Tamanho do texto

Dentre eles, ter mais de uma caixinha de areia em casa faz toda a diferença; recipientes largos para água e comida também

Conhecidos por serem animais independentes, muitas vezes os gatos são um pouco negligenciados por seus tutores quando se trata de cuidado – não de propósito, mas por terem fama de não precisarem de tanta atenção quanto cães. Isso é um erro que pode resultar em muitos problemas para o  felino .

Leia também: Conheça quatro produtos sustentáveis para cães e gatos

Por isso, Ricardo Cabral, veterinário da Virbac, deixa claro que mesmo com as diferenças comportamentais, esses pets precisam de cuidado tanto quanto cães. “Mesmo que o comportamento do gato de estimação seja diferente do comportamento de um cachorro, os felinos também precisam de atenção, carinho e responsabilidades com a sua saúde e bem-estar”, afirma.

gato e dona arrow-options
Shuttersock
Para manter seu gato de estimação feliz e saudável alguns cuidados são muito importantes


O primeiro ponto é a vacina. Gatos costumam passear fora de casa sem os tutores, e mesmo que seu pet não tenha esse costume é sempre bom mantê-lo com as doses em dia. “Nos gatos, as vacinas consideradas essenciais são aquelas que protegem contra doenças graves e potencialmente fatais, como a panleucopenia e as viroses que causam o complexo respiratório felino, ou rinotraqueíte (herpesvírus e calicivírus). A vacina antirrábica também não deve ser esquecida”, conta Ricardo.

A segunda parte é a alimentação do pet, que deve estar de acordo com tamanho, raça e idade do animal. “A ração deve preferencialmente ser deixada à vontade para o animal , disponível o dia todo, pois diferente dos cães, os gatos podem ter hábitos alimentares noturnos, por exemplo”, conta o veterinário.

Já em relação à água, é importante deixa-la longe da comida a em recipientes largos, pois segundo Ricardo os gatos podem se incomodar com os bigodes tocando as extremidades do potinho de água ou comida. Como são animais que quase não bebem água, é preciso deixar muitos recipientes e até fontes espalhadas pela casa.

Agora a parte do banho, que pode ser um motivo de estresse para os felinos. Diferente de cães, os gatos não precisam de banhos com tanta frequência já que têm o costume de se lamber para tirar o excesso de pelos e sujeira, mas mesmo assim a limpeza profunda é necessária. “Durante o banho, o correto é nunca utilizar produtos que não sejam específicos para a espécie. Quando produtos inadequados são utilizados, como shampoos e condicionadores para humanos, a chance de causar alergias e dermatites no felino são grandes”, afirma Ricardo.

E, desta forma, a escovação do pet está diretamente ligada à limpeza dele. “Esse processo de escovação, além de criar um relacionamento afetivo com o felino, também auxilia na prevenção de bolas de pelo que os gatos costumam engolir enquanto se lambem e podem causar vômitos, diarreias, falta de apetite, entre outros sintomas”, explica.

Leia também: Mulher contrata "médium" animal e descobre pensamentos de seu gato

Um dos pontos que leva muita gente a ter um gato é que eles não precisam ser ensinados onde fazer suas necessidades: instintivamente utilizam a caixa de areia. “Esse instinto ocorre, pois, na natureza, um predador poderia localizá-lo mais facilmente pelo odor das fezes e urina. Por isso, ao enterrar, o gato reduz a chance de um cheiro característico denunciá-lo”, conta Ricardo. Isso quer dizer que a higiene da caixa também deve ser feita de forma correta.

Além de limpar a caixa todos os dias, Ricardo indica que sempre exista uma caixa a mais para o número de gatos na casa. “Por exemplo, se uma pessoa possui 3 gatos, o correto é ter 4 caixas de areia, pois os gatos não gostam de urinar ou defecar no “território” de outros animais. Muitos problemas de evacuação em local inapropriado podem ser solucionados aumentando o número de caixas de área disponíveis”, completa.

E por último, mas não menos importante, a saúde bucal do gatinho também deve ser observada bem de perto. Os pets podem desenvolver tártaro e até outros problemas mais sérios se não tiverem seus dentes higienizados de forma correta. “No mercado, é possível encontrar pastas de dentes para animais que previnem formação da placa bacteriana, do cálculo dentário (tártaro) e das doenças periodontais e sistêmicas secundárias”, finaliza Ricardo.

Agora é só ficar de olho no seu bichano e garantir que o pet estará sempre com as vacinas em dia, limpo, e vivendo em um ambiente cheio de amor e carinho.