Tamanho do texto

Palito passou por um programa de redução e controle de peso que envolveu quantidade de ração, atividade física e até comportamento dos donos

Quando o seu cachorro faz aquela carinha de pidão você dá o que está comendo para ele? Ou então sempre oferece petiscos para agradá-lo? Atitudes parecidas com essas dos donos de Palito fizeram dele um dobermann obeso . Com três anos de idade ele chegou aos 55kg, cerca de 11 kg a mais que o peso ideal.

pirulito ao lado do irmão arrow-options
Divulgação
O dobermann Pirulito estava obeso

Para a sorte de Palito seus donos procuraram por ajuda e ele entrou em um programa de redução e controle de peso de um estudo científico coordenado pela veterinária Karina Mussolino, do Centro Seres da Petz. 

Leia também: Cão levado por dono para eutanásia por estar muito gordo dá a volta por cima

"O programa de redução de peso do Palito foi desenvolvido por quase por 4 meses. Além do animal, envolveu também a família tutora, incluindo duas crianças, que receberam orientação sobre a quantidade de ração que o Palito poderia comer em cada fase do programa. Afinal, ninguém poderia ceder aos sorrisos e olhares do cachorro com qualquer tiquinho a mais que burlasse a dieta prescrita", explica a veterinária. 

Além da quantidade de alimentação oferecida, um hábito mudou muito: em vez de oferecer petiscos e biscoitos, a família passou a interagir mais com o Palito fazendo brincadeiras que o levavam a praticar mais exercícios.

O comprometimento da família de Palito com o que foi indicado pela Dra. Karina surtiu efeito e o dobermann alcançou a meta definida no programa em 106 dias - ele perdeu 9,5 Kg e entrou dentro da faixa de peso ideal  (cerca de 44 kg). 

antes e depois do dobermann obeso arrow-options
Divulgação
O dobermann obeso perdeu 9,5 Kg em pouco mais de três meses; nas fotos Palito está ao lado do irmão, Escova

“O Palito estava sendo prejudicado pelo seu elevado peso. No início da dieta ele mal conseguia entrar no porta-malas do carro. Alguém tinha de ajudá-lo. Após a dieta, ele passou a entrar feliz e com muita agilidade. Ele ficou muito mais ágil também durante os passeios e nas brincadeiras com o Escova, o outro peludo da família”, conta a profissional.

Dra. Karina aproveita para alertar sobre os perigos da obesidade em cães. "A saúde está intimamente relacionada à nutrição, com o que oferecemos aos bichinhos. Uma alimentação equilibrada, que atenda às exigências nutricionais, melhora a condição e as respostas do organismo a doenças."

Leia também: Estudo revela que cães obesos costumam viver dois anos a menos do que saudáveis

Para evitar que seu cachorro chegue ao ponto de obesidade, como aconteceu com Palito as dicas da veterinária são: 

  • Não queira acarinhar seu pet oferecendo bolachas, pizzas ou doces;
  • Use ração adequada ao tamanho e idade do animal;
  • Não exagere na oferta de ossinhos, bifinhos ou quaisquer outros tipos de snacks;
  • Leve o animal regularmente para passeios com caminhadas;
  • Se o animal curte, se organize para fazer corridas de curtos ou longos percursos;
  • Incentive brincadeiras que o ajudem a queimar calorias e fortalecer os músculos;
  • Fique atento. Animais castrados e idosos ganham peso com mais facilidade.

Algumas raças possuem maior predisposição para a obesidade , por isso se você é dono de um beagle, boxer, bulldog inglês, pug, cocker, labrador, pastor alemão, rottweiler, shi tzu ou terra nova, tenha atenção redobrada. 

    Leia tudo sobre: dieta