Tamanho do texto

"Animal fica como um inválido", afirma veterinária; prática pode causar dores e até hemorragias

Recentemente Nova Iorque proibiu a extração de unhas de gatos em todo o estado . A lei contra extirpação é muito utilizada, principalmente na Europa, lugar em que essa prática é proibida desde 1987. Mas e no Brasil? Existe alguma legislação que proíba isso?

Extração de unhas de gato é prejudicial ao animal arrow-options
shutterstock
Extração de unhas de gato é prejudicial ao animal

Leia também: Figurinhas de WhatsApp muito utilizadas mostram gatos com doença

A resposta é não. Mesmo sendo equivalente a amputação ilegal de orelhas e rabos de cães, a extração das unhas de gatos não é proibida, mas mesmo assim não deve ser feita. A veterinária Carolina Ferreira explica o porquê.

“Essa extração de unhas deve ser feita apenas em decorrência de tumores ou algumas fraturas, ou seja, se a garra estiver prejudicando a vida do animal de alguma forma”, conta. Tirando isso, elas não devem ser retiradas.

Mesmo assim alguns tutores optam pela modificação para deixar o animal mais “manso”, já que é instintivo que muitos deles arranhem nas brincadeiras ou quando se sentem ameaçados. “As unhas servem para defesa, mobilidade, brincadeiras, entre outras coisas”, afirma Carolina.

Leia também: Gato causa apneia em seu tutor enquanto ele dorme; veja fotos

E, pelas unhas serem vascularizadas, assim como a dos cães , sua extração pode causar muitos problemas. “Essa retirada causa dor, hemorragias e desconforto”, completa. “Deixa o gato como se fosse inválido”, finaliza a veterinária.

Segundo Carolina, no Brasil, o Conselho Regional de Medicina Veterinária não tem nenhuma norma que proíba a extração das garras de gatos por motivos que não sejam de saúde.