Tamanho do texto

Os felinos não são 100% responsáveis pelo contágio da doença; existem formas bem mais comuns de ser contaminado

Recentemente a cidade de São Paulo teve 45 casos de Toxoplasmose por ingestão de alimentos contaminados. A doença, que é conhecida como “doença do gato” é o motivo de muitas pessoas de desfazerem de seus bichanos, principalmente mulheres grávidas, já que o risco de aborto para portadoras da doença é grande. Porém os gatos não são os grandes vilões, e sim apenas os hospedeiros intermediários.

Leia também: Gato em perigo é salvo de buraco graças a funcionário de fábrica

gato
shutterstock
Gatos não são tão responsáveis assim pelo contágio da Toxoplasmose


O veterinário Jorge Morais, fundador da rede Animal Place, explica que a doença é causada por um protozoário facilmente encontrado na natureza, e que o contágio em seres humanos pode acontecer tanto em lugares públicos, como praças e parques, quanto por alimentos. “Para ser infectado basta ingerir alimentos mal lavados ou carnes mal passadas de origem duvidosa. Essa é a forma mais comum de contágio, e não pelo gato , como muitos acreditam”, diz.

Para ser infectado pelo gato é preciso que o pet tenha ingerido oocistos do parasita (ou seja, os “ovos”). “Esses oocistos estão presentes na carne crua de outros animais que podem ser chamados de hospedeiros intermediários. A outra forma de contágio dos gatos é ingerir oocistos eliminados nas fezes de outro felino infectado, o que ocorre somente se o gato tiver contato com fezes ou locais frequentados por pets já contaminados, tais como caixas de areia ou parques públicos”, conta Jorge.

Ou seja, é muito mais fácil “pegar” Toxoplasmose comendo alimentos contaminados do que pelo seu pet. Os cães também podem ser vítimas da doença, mas não o hospedeiro, explica o veterinário. Raramente os gatos desenvolvem a doença. “Os gatos geralmente são assintomáticos, raramente manifestam a doença, somente em casos de baixa imunidade associada”.

Leia também: Filhotes de gato são resgatados de dentro de parede pelo corpo de bombeiros

Para quem não conhece os sintomas da doença, no começo eles podem parecer com os de uma gripe comum. “Febre, dores de cabeça e apatia são alguns dos sintomas. O perigo é que a Toxoplasmose pode causar distorção visual e até a cegueira. Já a toxoplasmose neonatal é transmitida ao feto durante a gravidez pela mãe contaminada e pode causar abortos até o terceiro mês de gestação”, completa Jorge.

Já crianças que estão aprendendo a andar e engatinhar devem ser sempre supervisionadas. “Os pequenos podem colocar a mão na areia e depois levá-la à boca, o que aumenta a chance de contaminação se o animal for portador da doença. O ideal é isolar o local ou ficar muito atento”, alerta.

Portanto, se o seu bichano é caseiro a probabilidade de hospedar a doença é muito pequena. “Vale acrescentar ainda que seu gatinho que só come ração e faz suas necessidades na caixa de areia, ele tem pouquíssima possibilidade de se contaminar, mas para sua tranquilidade procure um veterinário e realize o exame”, finaliza.