Tamanho do texto

De acordo com pesquisa da Mars Petcare, 59% dos cães e 52% dos gatos no mundo sofrem com o sobrepeso

A obesidade em animais se torna cada vez mais uma realidade. É o que revelou uma pesquisa realizada pela Mars Petcare. De acordo com os resultados, 59% dos cães e 52% dos gatos no mundo sofrem com o sobrepeso, condição que pode causar muito problemas de saúde. 

Leia também:  Cachorro obeso: como evitar e reverter a situação

Mais da metade dos gatos e cachorro do mundo sofrem com a obesidade em animais
shutterstock
Mais da metade dos gatos e cachorro do mundo sofrem com a obesidade em animais

Sedentarismo e má alimentação são os principais hábitos que causam a obesidade em animais . O costume de oferecer comidas humanas como chocolate, pizza, pão e queijo para os pets, por exemplo, é uma das atitudes que causa o sobrepeso. 

A Dra. Carolina Ferreira, médica veterinária do Hospital Veterinário Cão Bernardo, explica que, ao oferecer alimentos diferentes, o dono acha que está agradando seu animal, mas na verdade está o prejudicando. “Além do risco de infecção, o bicho não precisa desse alimento, que é nosso. Muitas substâncias, inclusive, não são totalmente digeridas pelo organismo deles, portanto, não podem ser dadas”, afirma.

Leia também: Principais doenças causadas pela má alimentação dos pets

Essa prática, somada a pouca atividade física e animais vivendo, a cada dia que passa, em espaços menores, afeta mais ainda a saúde deles. Assim, o pet que não é incentivado a correr, brincar ou não passeia diariamente por pelo menos 30 minutos tem mais probabilidade de sofrer com a obesidade. 

Oferecer alimentos humanos para os pets colabora com o aumento da obesidade em animais
shutterstock
Oferecer alimentos humanos para os pets colabora com o aumento da obesidade em animais

Há ainda os pets que são mais propensos a engordar: os mais velhos e os castrados, principalmente, exigem cuidados redobrados. A raça do animal também exerce influência, algumas estão mais inclinadas a obesidade. São elas: Beagle, Pug, Bulldog inglês, Labrador, Cocker, Rottweiler, Terra Nova, Boxer, Pastor Alemão e Shih Tzu. No caso dos gatos, os mistos ou mestiços têm maior chance de desenvolver a doença.

Mas, como proteger o seu animal de estimação da obesidade? A Dra. Carolina explica que o primeiro passo é analisar as necessidades do animal e escolher a alimentação, a ração, mais adequase para a idade, porte e estilo de vida do bichinho. “O ideal é conversar com o especialista que cuida do animal para avaliar qual a melhor ração, porque há opções especiais para cães que já se enquadram no quadro de obesidade”.  

Leia também: Alimentação natural melhora a qualidade de vida dos pets

Outra opção para ajudar no controle de peso é fracionar a refeição, o pet precisa se alimentar de duas a quatro vezes por dia. Os vilões da obesidade são os petiscos extras, por isso, a dica é não consumir alimentos na frente do bichinho. “É preciso evitar alimentar o pet toda vez que comemos, a nossa dieta não é igual a dele. É interessante ter um horário e um padrão de refeições por dia”, finaliza a médica.

Além disso, fazer um enriquecimento do ambiente e estimular que o animal brinque e se exercite pode ajudar. Para os cachorros, passeios diários com mais duração é uma opção para melhorar a obesidade em animais . No caso dos pets que já sofrem com sobrepeso é preciso tomar cuidado e não forçar que o animal se exercite mais do que pode, um acompanhamento profissional é muito importante. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.