Tamanho do texto

Vários fatores presentes na praia, desde o sol forte até a água salgada, podem trazer riscos à saúde do seu cachorro

Algumas épocas do ano atraem mais as pessoas para a praia. O aumento da temperatura e feriados prolongados são alguns deles. Como o animal de estimação faz parte da família, é normal querer levá-lo, não o deixando sozinho em casa.

Leia mais:  Vai à praia com seu animal de estimação? Cuidado com o verme do coração!

Entretanto, a praia esconde uma série de perigos ocultos à saúde do cachorro. Queimaduras, otites e outras doenças podem acometer o cachorro que brinca na areia e entra na água. Apesar disso, uma série de medidas podem ser tomadas para diminuir os impactos do ambiente no seu bichinho.

Cachorros são permitidos nas praias

Outros países, como os Estados Unidos, permitem a presença de animais em locais específico; é o caso da Huntington Beach, na Califórnia, por exemplo. No Brasil, cada cidade possui uma regulamentação diferente a respeito da presença de cães em praias. Entretanto, a decisão é quase unânime: os animais são proibidos, e o descumprimento dessa regra pode render multas de até R$ 1.600,00.

A explicação é que os pets podem ser transmissores de zoonoses, se tornarem agressivos ou sujar o ambiente. Entretanto, existem outros motivos que tornam a faixa de areia um ambiente inadequado para cachorros.

A praia é uma ambiente extremamente perigoso para os cachorros.
Reprodução
A praia é uma ambiente extremamente perigoso para os cachorros.













Veja também:  Saiba como viajar com seu cachorro de forma mais segura!

Ir para a praia pode fazer mal para o cão?

Vários fatores presentes na praia podem trazer problemas de saúde para o seu pet. O calor pode fazer com que lesões na pele apareçam, juntamente com coceiras. Outro ponto extremamente vulnerável nos pets são os seus ouvidos. Raças com orelhas pendulares (como o Cocker Spaniel, Golden, Labrador) podem sofrer com a umidade, que fica presa e abafada dentro das suas orelhas.

A situação piora caso o pet entre no mar, a combinação entre areia, umidade e água salgada tornam os ouvido do bichinho suscetíveis à otites (inflamações). Os raios solares também causam danos aos olhos sensíveis do pet, criando quadros de conjuntivite.

Doenças também estão presentes na areia, onde outros animais não vermifugados podem ter passados. Entre as patologias é possível encontrar o ancylostoma, muito comum no litoral. Enfermidades transmitidas por mosquitos também podem ser contraídas pelo pet.

Cachorros no litoral: quais cuidados tomar?

Leia mais:  Hotel para cachorro e família: dicas para um passeio em conjunto

Apesar de tantos problemas, ainda é possível levar o seu cachorro para uma viagem no litoral. Só não ultrapasse o calçadão, evitando que o animal tenha contato com a areia inadequada da praia , e mantenha o cão na coleira. Existem no mercado opções de protetores solar para cachorros, sempre os aplique no bichinho antes de sair de casa. Separe um local arejado onde o pet consiga descansar e beber água fresca e, na hora de voltar para casa, escolha o caminho mais rápido e tranquilo para diminuir o estresse da viagem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.