Tamanho do texto

Os hamsters são animais resistentes e raramente ficam doentes, mas eles não estão totalmente imunes

Infelizmente, nossos animais também ficam doentes. Assim como nós, podem contrair doenças, algumas leves e outras mais graves. Por esse motivo, devemos ficar atento a saúde do pet para evitar o mais rápido possível qualquer enfermidade. Tal recomendação também vale para o hamster.

Saiba quais cuidados que se deve ter com um hamster

Esse pequeno roedor é conhecido por ser muito resistente. Ele dificilmente ficará doente se for bem cuidado e alimentado, mas, caso seja atingido, a enfermidade se desenvolve rápido e pode matar o  hamster em pouco tempo. Além disso, o pet é uma criatura de hábitos noturnos, fazendo com que os primeiros sintomas de doenças passem despercebidos. 

Hamster tem uma boa saúde e raramente fica doente
reprodução shutterstock
Hamster tem uma boa saúde e raramente fica doente


Para evitar que o hamster fique doente, é importante ter um conhecimento prévio das enfermidade mais comuns que atingem roedor. Sabendo quais são, ajudará o dono a ficar mais atento e se previnir delas. Confira abaixo as doenças mais recorrentes.

Abcessos e infecções

Abcessos são protuberâncias de pus subcutâneas, geralmente avermelhadas e elevadas, causando bastante dor ao animal. Ocorre, na maioria das vezes, devido a infecções bacterianas ou parasitárias, ou por cortes e mordidas mal curadas. Podem se formar em qualquer parte do corpo. É diferente de um tumor porque nos abcessos costumam ficar restos das feridas que o formaram. 

O tratamento costuma ser simples, mas o tipo irá depender da gravidade da infecção ou abcesso. Geralmente, basta abrir o ferimento, limpar bem a zona infectada e curar a região com alguma pomada. Mas, caso não seja suficiente, o veterinário pode recomendar antibióticos para eliminar as infecções. 

Resfriados, bronquite e pneumonia

Assim como entre os humanos, o resfriado é uma das doenças mais comuns em hamsters e, que se não for bem tratado, pode levar à bronquite e/ou pneumonia. Esta condição geralmente ocorre por causa de mudanças bruscas de temperatura e exposição a correntes de ar com frequência.

Os sintomas são corrimento nasal, dificuldades para respirar, perda de apetite, espirros, tremores ou olhos lacrimejantes. Mas, se esses sintomas se agravarem e se unirem a tosse, vermelhidão do focinho, fluxo nasal constante e assobios ao respirar, é possível que ele tenha bronquite, ou até uma pneumonia. Para tratar a doença, proporcione um local quente e seco, muito repouso e comida nutritiva. Leve o hamster também ao veterinário para que seja receitado alguns medicamentos. 

Leve o hamster ao veterinário quando detectar sinais de doença
Reprodução Pinterest
Leve o hamster ao veterinário quando detectar sinais de doença


Mini hamster com pata quebrada está chamando atenção na internet

Diarreia 

A diarreia é bastante comum. Nesse caso, o animal apresenta excrementos pastosos ou líquidos, falta de apetite e baixa atividade. A região anal fica bastante suja, causando confusão com a doença da cauda molhada. A causa da doença costuma ser infecções bacterianas, sobrealimentação com muitos produtos frescos, falta de higiene na gaiola e mudanças bruscas de temperatura. 

O tratamento consiste em muita água e diminuição de alimentos frescos (como frutas e verduras), substituindo por alimentos adstringentes, como arroz cozido. Limpe bem a região anal para evitar infecções e consulte o veterinário para a prescrição de antibiótico, se for necessário.  

Prisão de ventre

Na prisão de ventre há carência ou diminuição de excrementos, que serão pequenos e duros. O ânus do hamster ficará inchado e ligeiramente úmido, e o animal pode demonstrar dor, falta de apetite e inchaço do abdômen. A doeça é causada por má ou desequilibrada alimentação. Para o tratamento, dê muita água e verduras e frutas laxantes.

Mordidas, cortes ou lesões

Algumas vezes, os hamsters brigam entre si, podendo causa mordidas ou feridas no corpo. Normalmente, os roedores feridos limpam as feridas mais leves eles próprios e em poucos dias está curado. Mas, se os machucados forem mais graves ou até hemorrágicos, é preciso cuidar da melhor forma possível para não virar uma infecção. Corte o pelo da região afetada, limpe bem a ferida e aplique uma pomada antibiótica. Caso ocorra infecção, consulte o veterinário.

Ácaros e fungos

Ácaros e fungos são muito comuns nos hamsters. Esses parasitas geralmente já estão nos animais, mas podem se agravar em situações de estresse, debilidade do sistema imunológico, infecções bacterianas ou cutâneas, má alimentação ou falta de higiene na gaiola. O contato com outros animais infectados também é uma forma de contágio. Os sintomas geralmente são coceira excessiva, pele irritada ou com zonas sem pele, formação de eczema ou crostas e  inquietude na gaiola maior do que o normal.

O tratamento depende do ácaro ou fungo, mas em geral basta desinfetar o hamster e a gaiola com produtos específicos (indicação do veterinário), manter uma correta alimentação e higiene constante da gaiola. Em caso de infestação de sarna na pele, leve o animal rapidamente ao veterinário. A sarna produz bolhas nas extremidades, nas orelhas e focinho, sendo mais fácil de detectar.

Cauda molhada é uma das principais doenças que atingem esse roedor
reprodução shutterstock
Cauda molhada é uma das principais doenças que atingem esse roedor












O hamster está entre os animais de estimação mais indicados para crianças

Cauda molhada

Também chamada de ileíte proliferativa, é uma das doenças mais famosas em hamsters. Ela costuma afetar os roedores mais jovens (3 a 10 semanas), principalmente os recentemente desmamados, por problemas de estresse ou super povoações, ou má alimentação ou higiene da gaiola. A causa é umas bactérias que estão inerentes nos intestinos, chamadas colibactérias, mas pode ativar por algumas das causa anteriores. 

Os sintomas mais evidentes são diarreias abundantes e aquosas, a cauda e a região anal ficam bem sujas e com aspecto molhado. Por esses motivos a doença se confunde com diarreia, mas não é a mesma coisa. Também causa falta de apetite e desidratação, e o encurvamento do animal. 

Para tratar a cauda molhada, deve-se reidratar e nutrir bem o roedor, isolá-lo dos outros companheiros para não proliferar o doença, desinfetar completamente a gaiola e todos os objetos para não afetar outros animais e levá-lo ao veterinário para receitar medicamentos. 

Feridas nas bochechas ou bochechas obstruídas

Esses roedores têm bolsas nas bochechas para armazenar comida e podem ficar obstruídas ou ser afetadas com feridas e/ou abscesso. As bolsas são secas, não úmidas como dos humanos, e  por isso podem ser atingidas por doenças se ingerirem alimentos em mau estado ou pegajosos, fazendo com que não consigam esvaziar as bochechas.

Se o hamster tiver com esse problema, poderá notar a inflamação das bochechas. Para tratar, leve o animal ao veterinário para limpar e esvazar as bolsas cuidadosamente, retirando todo o alimento que ficou no interior. 

Irritação ou infecção nos olhos

Os olhos ficam lesionados por causa de vários fatores: briga com outros hamster, pó, sujeira, folha de feno ou apara de madeira, ou então infecção bacteriana. Os sintomas são excesso de lágrima, olhos salientes ou excesso de remelas.

Se a lesão ocular for leve, limpe o olhos afetado com um pano umidecido em água morna ou até que o animal abra o olho. Após abrir, aplique a solução salina tipo gotas ou colírio. Mas, se a lesão for grave, consulte o veterinário para receitar os medicamentos pertinentes, como pomadas antibióticas. 

Com cuidados e boa alimentação dificilmente o hamster ficará doente
Reprodução
Com cuidados e boa alimentação dificilmente o hamster ficará doente


Tumores ou câncer

Os tumores são protuberâncias internas ou externa desenvolvidas por causa do aumento das células que os compõem, podendo ser benignos ou malignos. Se for maligno e tiver capacidade para se alastrar, torna-se um câncer. As protuberâncias são diferentes das que aparecem em outras doenças, pois elas não se movem e costumam aparecer por múltiplos fatos, sendo o mais comum o envelhecimento. 

Os sintomais mais comuns são falta de apetite, pouca atividade, perda de peso e pelo. As protuberâncias internas são mais difíceis de detectar a tempo. Os tumores externos podem ser removidos através da operação realizada por um veterinário qualificado, mas não é garantia de sucesso. E os tumores internos também são operáveis, mas muito mais difíceis de detetar e remover, já que o hamster é bem pequeno. O tratamento depende da idade e do estado das protuberâncias.

Essa casa de hamster é a coisa mais fofa que você verá hoje!

O intuito da matéria é apenas alertar e conscientizar os donos para as doenças que atingem um hamster. Consulte sempre um veterinário para diagnosticar com precisão a enfermidade e receitar o tratamento adequado. Jamais automedique o animal. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.