Tamanho do texto

Há inúmeros tipos de fisioterapia que ajudam a melhorar a qualidade de vida dos cães

Poucos sabem, mas existe fisioterapia veterinária. Assim como humanos precisam às vezes de exercícios para fortalecer ossos e músculos, alguns cães e gatos também necessitam de certos tratamentos. Em casos de perda de movimentos, dores nas articulações ou algum trauma o procedimento ajuda a melhorar a qualidade de vida do pet.

+Animais sedentários: como mudar essa rotina

Fisioterapia veterinária é ótima para melhorar a saúde ortopédica do pet
shutterstock
Fisioterapia veterinária é ótima para melhorar a saúde ortopédica do pet

Doenças genéticas ou aquelas desenvolvidas ao longo da vida podem resultar em problemas ortopédicos. Tratar esse tipo de complicação leva tempo, no entanto a fisioterapia veterinária é uma boa solução. Para entender melhor como funciona esse tipo de tratamento, aqui vão algumas dicas e informações importantes sobre o assunto.

Seu pet precisa de fisioterapia?

Esse tipo de procedimento é ótimo principalmente para substituir a cirurgia, em casos menois graves. O diagnóstico do pet deve ser feito o mais rápido possível. Quanto mais cedo o problema de saúde for descoberto, em menos tempo ele estará curado e saudável novamente. Por isso, leve sempre o cão ao veterinário - de preferência uma vez a cada dois meses, por exemplo.

Mesmo depois de cirurgias ortopédicas a fisioterapia é indicada. Isso ajuda na recuperação dos ossos e músculos, além de reduzir possíveis dores ou complicações futuras.

Problemas comuns em cães, como a luxação da patela ou a displasia coxofemoral , têm a solução atrelada a esse tratamento. As dores e o inchaço causado na região dos músculos e ossos reduzem consideravelmente depois de algumas sessões. 

Há inúmeros tipos de fisioterapia que ajudam a melhorar a qualidade de vida dos cães
Reprodução/ Shutterstock
Há inúmeros tipos de fisioterapia que ajudam a melhorar a qualidade de vida dos cães


Assim como humanos desenvolvem complicações na estrutura óssea, como a osteoporose, alguns cães costumam ter osteoartrose, uma enfermidade degenerativa, ou seja, surgida já quando o animal nasce.

Observe se o pet está mancando, andando com dificuldade, se apresenta qualquer sinal de dor ou incômodo. Inflamações nas patas e ancas costumam ser fáceis de serem notadas. Qualquer alteração, leve-o imediatamente ao veterinário.

Serve nessa situação para melhorar o condicionamento e a resistência física do pet. A mesma finalidade é observada em cachorros com sobrepeso , diabetes ou problemas cardíacos.

É importante saber que os pets têm certa dificuldade para se adaptar à fisioterapia. Demoram a ter confiança no veterinário e muitas vezes têm medo de sentirem dor durante o tratamento. Mas dependendo do caso essa movimentação é fundamental para a recuperação. Por isso, procure um médico veterinário e entenda se deve ajudar o pet, levando água e comida até ele, ou se o animal precisa desse tipo de movimento mesmo que doa no início. 

Também não esqueça de garantir que o médico vai se preocupar com seu pet, para ele não sentir dor à toa. Algumas situações permitem ao animal tomar um remédio, como anti-inflamatório antes das sessões, para evitar o sofrimento dele.

+Humanos e animais podem ter doenças em comum; saiba quais

Tipos de fisioterapia veterinária

Cada problema ortopédico será tratado com um método específico e apontado pelo veterinário, que deve ser especializado na área - nunca procure um fisioterapeuta que cuida de humanos, porque não tem conhecimento suficiente sobre o corpo do animal.

Ultrassonografia

O ultrassom é ótimo para pós-operatório de cirurgias ortopédicas e ajuda a regenerar tecidos. A eficácia é ainda maior para aliviar a inflamação na área do corpo lesionada.

Massoterapia

Essa é famosa até entre humanos e a técnica é baseada em massagens.  Assim como na gente, reduz a tensão e as dores musculares. Além disso, melhora a circulação sanguínea, a oxogenação e diminui inchaços, por meio da drenagem linfática. Aos poucos o múculo volta ficar mais elástico e sem nós, deixando o cão livre para se movimentar com mais facilidade e sem incômodos.

+O coração do seu pet está saudável? Confira alguns cuidados necessários

Yoga ajuda a relaxar tanto o tutor quanto o pet, além de estreitar a relação
Reprodução/ Shutterstock
Yoga ajuda a relaxar tanto o tutor quanto o pet, além de estreitar a relação


Hidroterapia

A técnica da fisioterapia na água é perfeita para melhorar articulações inflamadas e atua nas dores musculares também. Realizado em piscinas, o exercício geralmente é recomendado a cães obesos  que precisam emagrecer. Seja nadando, caminhando em uma esteira aquática ou brincando com bolas, a hidroterapia promete ajudar em casos de displasia coxofemoral ou hérnias de disco.

Mas por quê na água? Ela diminui o impacto causado por atividades muito intensas, principalmente no caso de cachorrinhos acima do peso.

Eletroterapia e laserterapia

A primeira é mais indicada para cachorros com paralisia ou que tiveram problemas ortopédicos. É feita com correntes elétricas, aliviando dores e aumentando massa muscular de animais eventualmente fracos.

O segundo método é aplicado em feridas, para regenerar tecidos e acelerar a cicatrização. É bastante adequada para substituir medicamentos, como anti-inflamatórios. Também é ótimo para pós-operatório.

+Quais exames médicos cães devem fazer?

Quando o cão sente muita dor pode ser que o médico recomende anti-inflamatórios
Reprodução/ Pinterest
Quando o cão sente muita dor pode ser que o médico recomende anti-inflamatórios

Cinesioterapia

A finalidade desse método  é basicamente a mesma que da eletroterapia. Porém, aqui utiliz-se exercícios físicos terapêuticos para a reabilitação animal. Por meio do uso de bolas e cones, por exemplo, além dos alongamentos, o cão volta a se mexer de forma saudável e sem dor. Costuma ser uma atividade mais passiva, já que a maior parte do trabalho é feito pelo veterinário ao movimentar o pet.

Acupuntura em animais

Sim, os pets também podem ser tratados assim. Isso nada mais é do que a aplicação de agulhas de inox em certos pontos do corpo, com a finalidade de trazer equilíbrio energético ao animal e reajustar problemas físicos, como consequência.

Magnetoterapia

Mais comum para casos de dores agudas e crônicas, como a artrose  ou complicações na coluna. Usa campos magnéticos que pulsam e aliviam esses problemas, além de liberar endorfina, um hormônio da "felicidade".

+Conheça as principais doenças de cachorros, a prevenção e o tratamento delas

A fisioterapia veterinária vai ajudar com certeza o pet a recuperar os movimentos prejudicados, além de não sentir mais dor. É muito bem-vinda não só para melhorar o físico do pet, mas principalmente a qualidade de vida dele de forma geral. Se for jovem então, a recuperação tende a ser ainda mais rápida e o tratamento, eficaz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.