Tamanho do texto

Os bichanos são animais que gostam de rotina e tranquilidade, mas as festas de final de ano podem acabar com isso

Muito se fala do perigo dos fogos de artifício das festas de final de ano para os cachorros , mas com os gatos a preocupação não deve ser diferente. Os bichanos são animais que gostam de rotina e tranquilidade, por isso podem até sentir mais incômodo ou ficar mais transtornados com o forte barulho do que os cães. 

Alex Portes Gomes, professor do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói, explica que a reação ao barulho dos fogos de artifício pode ser diferente em cada gato. "É habitual que eles tentem fugir, se esconder ou até mesmo escapar. Outros podem sinalizar o incômodo por meio de miados intensos e altos."

gato se escondendo arrow-options
Shuttersock
A reação de muitos gatos ao barulho dos fogos de artifício é se esconder

Leia também: Já está hora de preparar o seu pet para os fogos de artifício do final de ano 

Nesses momentos o ideal é que o dono não mexa com o gato. Caso ele se esconda não é recomendado retirá-lo do local, ficar por perto e mostrar que há alguém ali já é suficiente. Além disso, algumas mudanças na casa podem ajudar. São elas: 

  • Manter os potes de água e comida próximos ao esconderijo para que o gato não tenha que se distanciar muito da onde está se sentindo seguro. 
  • Criar ambientes altos e seguros, onde o pet consiga subir e observar todos os acontecimentos. 
  • Deixar sempre  as janelas fechadas, caso não sejam teladas.
  • Não o repreender pela sua atitude em relação ao barulho
  • Remover obstáculos da casa.

Para evitar tudo isso já existe técnicas para treinar os bichanos e acostumá-los com essas situações. Porém Alex explica que o aprendizado é muito mais difícil e lento se comparado com o dos cães. A dica do veterinário é procurar um especialista em comportamento felino para tal manejo ao longo do ano e não só próximo às datas festivas.

Outro alerta do veterinário é em relação ao uso de medicamentos para acalmar o gato. "É
perigoso, ainda mais nos felinos pela sua dificuldade de metabolização", afirma. Portanto, o uso de qualquer substância deve ser autorizado por um veterinário de confiança.