Tamanho do texto

O corte de asas é algo que gera muita polêmica, mas a Dra. Ana Carolina Ibelli diz que é importante para a segurança da ave

As calopsitas têm ganhado cada vez mais espaço nas casas brasileiras como animais de estimação. Normalmente tratada membro da família, a ave fica boa parte do tempo solta pela casa e interagindo com seus donos e até outros animais, como cães e gatos. Exatamente por isso, muitos donos acabam cortando as asas do animal para impedir que ele consiga voar e fugir. 

Leia também: Quanto tempo vive uma calopsita?

calopsita
Arquivo pessoal
Gabriel, calopsita da veterinária Ana Carolina

O ato de cortar as asas da calopsita é algo que gera muita polêmica, já que muitos acreditam que a ave sofre com isso. A veterinária Dra. Ana Carolina Ibelli, que também é dona de uma calopsita chamada Gabriel, afirma que o corte é importante para a segurança do pet. "É interessante cortar a asa para que o animal não consiga voar, evitando assim fugas e acidentes como quedas de locais altos, não ir parar em cima de um fogão quente, dentro do chuveiro, se afogar em uma banheira, no vaso sanitário", afirma. 

Em relação ao sofrimento, a médica veterinária garante que o dono não precisa se preocupar. "O corte não causa sofrimento porque o que é cortado é a pena de uma das asas, não um músculo ou uma veia. Tem que respeitar a dinâmica de voo do pássaro para que não tenha nenhuma consequência para o animal, por isso é importante que quem faça o corte da asa seja um profissional qualificado. O procedimento dura menos de 30 segundos e a ave é contida da mesma forma que acontece com um cachorro que vai fazer a aplicação de uma vacina."

Leia também: Calopsita sente frio? Saiba como cuidar da ave no inverno

Normalmente, uma calopsita com a asa cortada consegue subir no sofá, em uma cadeira, e viver normalmente. Para a decisão do corte devem ser levados em consideração o ambiente em que a ave vive - em gaiola, solta no apartamento, em casa - e escolher o que for melhor para a segurança dela. 

Calopsita na rede de proteção arrow-options
Shuttersock
Colocar tela na casa pode não ser suficiente para a segurança da calopsita porque alguns perigos estão dentro da residência

"Eu já tive clientes que tiveram calopsitas, não cortaram as asas e o animal acabou indo embora. As calopsitas são criadas desde pequenas em casa e não sabem se virar na natureza, então se ele fugir chega a ser uma maldade", conta a Dra. Ana Carolina. 

Caso a decisão tomada seja do corte da asa, é importante acompanhar o crescimento das penas para fazer a manutenção do corte. Quando perceber que a calopsita está ameaçando alçar voo, compare a asa cortada com a outra e, se elas estiverem parecidas, está na hora de levar o pet até um profissional para realizar o procedimento novamente.