Tamanho do texto

Desde o momento da compra até o tamanho do viveiro influenciam na qualidade de vida que esta ave terá

 As aves brasileiras são muito bonitas, e muitas delas estão ficando famosas na casa da população, principalmente os psitacídeos, as aves de bico curvo. Entre elas está a arara que além de ser uma das mais conhecidas, pode ser um animal doméstico. 

Leia também: Albina, Arlequim, e mais: conheça alguns tipos de calopsita

Mas para que a arara se torne um animal de estimação e tenha uma boa qualidade de vida são necessários alguns cuidados específicos. 

Na hora da compra

Para falar um pouco do manejo e cuidados com esta ave grande, o veterinário especializado em animais exóticos José Manuel explicou as medidas que devem ser tomadas desde o momento da compra. “O comerciante deve ser legalizado, emitir nota fiscal do animal, que deve ser anilhado”, conta.

Para encontrá-las o veterinário diz que é simples. “Pesquisando na internet já é fácil de achar lojas licenciadas pelo IBAMA e criatórios legalizados”, explica. “Para comprá-las basta comprovante de residência, RG, CPF, e alguns outros documentos comuns.”

Arara-Macau
shutterstock
Arara-Macau


Cuidados em casa

Como a arara é uma ave grande , ela necessita de muito espaço. “Um viveiro de grande porte, no mínimo, para que ela não fique em um espaço pequeno”, diz José Manuel. Além disso, elas precisam de água sempre disponível. “É uma ave que gosta de tomar banho, então oferecer um ambiente em que ela possa fazer isso é muito importante”, explica. O veterinário ainda ressalta a importância da convivência com o animal. “Ela não pode ficar confinada na gaiola a vida toda. Tem que ser estimulada física e mentalmente, com brincadeiras e conversas”, completa.

Leia também: Tudo que você precisa saber antes de ter um furão em casa

A alimentação deve ser recomendada por um veterinário especializado em animais exóticos. “É melhor ter um profissional de confiança do que confiar nos lojistas, que muitas vezes recomendam o tipo de alimentação errado para o animal, que pode estar muito acima ou abaixo do peso”, afirma José Manuel.

A veterinária Jakeline Mastria, do Hospital Veterinário Vet Popular, fala um pouco sobre as variações na dieta do animal. "Frutas secas e frescas, verduras frescas, legumes, ovos, castanhas e algumas sementes, além da ração própria. Nunca forneça carne, cafés, chocolates e leite."

Arara-Canindé
shutterstock
Arara-Canindé


Saúde

Segundo o veterinário, estas aves não desenvolvem doenças muito facilmente. A maioria dos problemas que elas podem ter estão relacionados à má higiene ou contato com outras aves infectadas. “O manejo incorreto do animal pode resultar em doenças. Poleiros incorretos, gaiolas pequenas ou sujas, comida incorreta ou contato com pombos ou outras aves infectadas criadas em cativeiro podem transmitir doenças.”

As visitas ao veterinário devem ser feitas a cada seis meses se a ave estiver saudável. Os exames mais comuns neste animal são os de sangue e os para identificar parasitas. O veterinário deve avaliar o ganho de peso e qualidade das penas do pet.

Leia também: Quanto tempo vive uma calopsita?

Por fim, José Manuel fala dos tipos mais comuns de araras comercializadas no país. “Como nossa legislação é muito confusa, toda hora ela acaba mudando e permitindo/proibindo algo. Mas as que mais atendemos na clínica são as Araras-Canindé, Araras-Macau, Maracanã verdadeira e Ararajubas.”

Ararajuba
shutterstock
Ararajuba