Tamanho do texto

Os cães são tão emotivos quanto os seres humanos, por isso também estão sujeitos a ficarem depressivos

A depressão ainda não é vista como uma "doença de verdade" por muitas pessoas. Contudo, hoje já foi comprovado seu grau de seriedade e as consequências da falta de tratamento. Além de ser um problema para os seres humanos, os animais de estimação também estão sujeitos a desenvolver a chamada de depressão canina.

Leia também: Os cachorros têm depressão assim como os seres humanos?

"Cães são dotados de um grande repertório de emoções e esse é um dos principais motivos que os tornam grandes companheiros para as famílias", explica Renata Ragazini, especialista em comportamento animal e passeadora da DogHero, aplicativo que conecta donos a passeadores e anfitriões. Por serem capaz de sentir como nós, a depressão canina  se tornou pauta na medicina veterinária.

Além de ser um problema para os seres humanos, os animais de estimação também estão sujeitos a desenvolver a chamada de depressão canina
reprodução shutterstock
Além de ser um problema para os seres humanos, os animais de estimação também estão sujeitos a desenvolver a chamada de depressão canina

São diversos os motivos que levam os pets a ficarem tristes. É importante detectar cada um deles para agir rapidamente, já que este estado de espírito pode até mesmo comprometer a saúde do animal, pois passa a interferir na alimentação, sono e atividades físicas. Para abrir os olhos dos tutores a especialista reuniu alguns dos principais sintomas de tristeza

  • Mudança brusca de comportamento, permanecendo isolado em um canto da residência;
  • Perda de apetite; 
  • Automutilação, como morder extremidades como patas e rabo;
  • Lamber o nariz, se coçar ou bocejar com frequência;
  • Chorar, o que até certo ponto é normal.

Possíveis causas da depressão canina

É preciso ficar atento aos sinais de seu animalzinho.
reprodução shutterstock
É preciso ficar atento aos sinais de seu animalzinho.


Os cachorros são animais extremamente empáticos. Por conta disto, podem manifestar sentimentos parecidos com os dos donos. "Antes de deduzir a depressão do cão, é importante analisar o próprio estado emocional e avaliar se a tristeza dele é reflexo da sua", explica Renata.

Leia também: Já ouviu falar de depressão pós-canina? Ela é mais frequente do que imaginamos

Se essa não for a causa, normalmente a tristeza está associada a questões do dia a dia, como a perda do brinquedo favorito, mudança de ambiente, falta de atenção e brincadeiras, tédio e algum problema de saúde. 

Como faço para alegrar o cachorro?

Uma forma efetiva de combater a depressão canina é dando mais atenção ao bichinho. Reserve um tempo para brincar com ele e matar toda a saudade do dia
reprodução shutterstock
Uma forma efetiva de combater a depressão canina é dando mais atenção ao bichinho. Reserve um tempo para brincar com ele e matar toda a saudade do dia

Você gostaria de ficar trancado o dia inteiro, sem internet, sem telefone, sem televisão e sem nenhuma forma de distração? Provavelmente não, pois esse é o cenário perfeito para deixar qualquer pessoa deprimida. O mesmo acontece com os caninos. 

"Os cães são sociais, gostam de encontrar outras pessoas, outros cães. Os passeios promovem essa socialização, gastam energia e reduzem o estresse, aliviam e tédio e, por consequência, melhoram o humor dos cachorros", destaca Renata.

Apesar de ser difícil sair regularmente com o bichinho por causa da rotina corrida, é importante pelo menos tentar. Caso não tenha tempo disponível, você pode contratar um dog walker. Hoje já existem aplicativos e sites que trabalham com esses profissionais e ofereçam um serviço seguro e confiável. 

Leia também: A importância dos animais de estimação no tratamento da depressão

Além disso, outra forma efetiva de combater a depressão canina é dando mais atenção ao bichinho. Reserve um tempo para brincar com ele e matar toda a saudade do dia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.