Tamanho do texto

Assim como a depressão pós-parto, a canina está atrelada às inúmeras responsabilidades ao cuidar de um filhotinho

Quando pensamos em comprar um cãozinho, ou mesmo o ganhamos de presente, em nossa mente passa um curta de todos os momentos incríveis que serão compartilhados. O que nem todos pensam são nas diversas atribuições, limitações e responsabilidades que estão intrínsecas à vinda do pet. Esta surpresa pode causar desconforto e, nos casos mais sérios, a depressão pós-canina.

+ Dono registra crescimento de seu cachorro de forma inusitada e engraçada

As sensações de impotência, tristeza, irritabilidade e até mesmo de ausência de privacidade, são muito similares aos sintomas da depressão pós-parto. Pode parecer simples pensar, mas na prática não é fácil ter alguém no mundo que dependa única e exclusivamente de você. A psicóloga Emma Kenny diz, em entrevista ao site Mirror, que cuidar de um animal de estimação pode ser tão emocional e perturbador quanto ter um bebê.

Entenda os sintomas da depressão pós-canina
reprodução shutterstock
Entenda os sintomas da depressão pós-canina


Os sintomas mais comuns para identificar a depressão pós-canina são:

  • Ansiedade: você passa a ficar mais agitado e percebe que tudo que se relaciona com o cãozinho te dá certa tensão ou desconforto;
  • Irritabilidade: coisas que são simples tiram você do sério, tornam-se extremamente chatas e, muitas vezes, mais difíceis do que deveriam ser;
  • Frustração: a sensação de que nada está dando certo é frequente e até pensamentos de que você não é capaz de assumir essa responsabilidade agora;
  • Ausência de privacidade: sentir que não é mais possível fazer as coisas sozinho, já que o cãozinho requer sua atenção o tempo todo e, em alguns casos, te segue por todos os lugares;
  • Não conseguir dormir: quando filhote, os cachorros possuem uma carência maior de alimentação e cuidados. Muitos choramingam durante a noite e precisam ser alimentados em intervalos curtos, te fazendo acordar e ficar atento durante a noite. Você tem a sensação de fadiga e de ele é o culpado por não te deixar descansar.

+ Instituto Luisa Mell realiza novo resgate em canil clandestino

E como resolver ou lidar com a depressão pós-canina?

Primeiro: acalme-se! Essas sensações não são permanentes, elas vão aos poucos ficando esporádicas e quando você menos perceber o cãozinho já cresceu e está bem mais independente. Ao chegarem pequeninos, indefesos e cheios de necessidades, pode até parecer que ele será um fardo, mas com o passar dos dias, vem o afeto e o carinho mostrando que esta é uma mudança e uma adaptação para ambos.

Segundo: não guarde estes sentimentos para você! Procure um médico, e até mesmo o veterinário para contar suas angústias. Assim, ele poderá te ensinar meios mais fáceis para realizar as tarefas simples e até mesmo técnicas de adestramento que vão aliviar alguns afazeres cotidianos.

Entenda os sintomas da depressão pós-canina
reprodução shutterstock
Entenda os sintomas da depressão pós-canina


Ter um cãozinho é uma grande responsabilidade e deve ser uma decisão consciente e pensada. Às vezes, o pet passa a sensação de lazer, mas na realidade ele é um companheiro que precisa de carinho, atenção, afeto e cuidado. E, assim como um filho, possui gastos com medicamentos, conforto e higiene. É preciso colocar tudo na ponta do lápis antes de tomar essa importante decisão.

+ Dono brinca com excesso de pelo de seu Shiba Inu e resultado é hilário

Por fim, a depressão pós-canina é um momento desagradável, mas que posteriormente será substituido por um sentimento de carinho e amor ao cachorro. Entenda que por mais difícil que pareça ser, você é capaz de lidar com todas as responsabilidades e cuidar bem de seu cãozinho, basta seguir as recomendações do veterinário e ter paciência. Caso esses sintomas não mudem com o passar do tempo, é necessário consultar um médico e buscar um tratamento alternativo, mas jamais abandone o cachorro. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.