Tamanho do texto

Ter um bichinho reduz os pensamentos negativos e faz o paciente se importar novamente com a vida

Os animais de estimação são mais do que meras companhias peludas. Eles podem ser cruciais para a melhora da saúde, como no caso de quem tem depressão. A presença do bichinho se torna muito importante, pois traz estímulo para o dono seguir em frente e superar o mau momento. 

A importância dos cães para o autismo e as raças que auxiliam no tratamento

A depressão , também chamada de Transtorno Depressivo Maior, é um distúrbio mental caracterizado pela perda ou diminuição do interesse pelas atividades e prazeres da vida, prejudicando significativamente o dia a dia. Esse problema gera angústia e letargia profunda, muitas vezes sem motivo aparente. É causado pelo desequilíbrio na bioquímica cerebral, como diminuição da oferta serotonina, neurotransmissor ligado à sensação de bem-estar. 

Por muito tempo a depressão não era considerada uma doença. Muitos acreditavam que essa perda de interesse era passageira e um exagero por parte da pessoa. Mas, hoje já é comprovado seu grau de seriedade, sendo considerada a quarta principal causa de incapacitação, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Os animais são um estímulo para a pessoa com depressão seguir em frente e superar a doença
reprodução shutterstock
Os animais são um estímulo para a pessoa com depressão seguir em frente e superar a doença

O transtorno psiquiátrico atinge qualquer tipo de pessoa, de todas as idades — embora seja mais frequente em mulheres. A doença é tão grave que pode levar a diversos sintomas físicos e comportamentais anômalos, como alterações no sono, apetite, concentração, autoestima, nível de energia e, em casos mais graves, até pensamentos suicidas. 

A depressão deve ser tratada com a ajuda de psicoterapeutas e medicamentos. Aos poucos a pessoa irá melhorando e retomando a sua vontade de viver. A terapia pode ter melhor resultado com a presença, e ajuda, de um animalzinho de estimação. 

Como os animais ajudam na depressão

Como foi dito, os pets auxiliam em diversos problemas de saúde e um deles é a possibilidade de curar ou, pelo menos, reduzir a depressão. O amor incondicional e puro que os animais expressam pelo dono é muito genuíno, por isso eles são ótimas companhias nesse momento complicado da vida. Não é preciso se isolar da sociedade e viver apenas com seu bichinho, pois não irá potencializar o tratamento. O ideal é apenas desfrutar de sua companhia e tentar superar as dores. 

Os animais de estimação mais indicados para pessoas idosas

De acordo com especialistas, os pets têm a capacidade de reduzir os pensamentos negativos. Estar perto deles faz passar todo o estresse, tristeza, angústia e solidão. A responsabilidade de cuidar de um ser vivo dá às pessoas com depressão a oportunidade de interagir, se sentir importante e ter com quem se importar. A rotina de cuidados — alimentação, banho, carinho — gera incentivos para continuar vivendo. 

Além disso, os bichinhos precisam brincar e se exercitar, sendo um estímulo para os donos também praticarem atividade física e estimularem sua mente. Exercícios liberam endorfinas no cérebro que aliviam os sintomas da depressão, tudo ficam muito melhor quando se tem companhia. 

Os animais são um estímulo para a pessoa com depressão seguir em frente e superar a doença
reprodução shutterstock
Os animais são um estímulo para a pessoa com depressão seguir em frente e superar a doença

Os dois bichinhos mais clássicos são gato e cachorro. Eles são perfeitos já que interagem e gostam muito do carinho humano. Olhar para o cão produz no cérebro o hormônio da oxitocina, gerando a sensação de felicidade, já o ronronar dos felinos acalma e alivia o sentimento de ansiedade. 

Escolhendo o bichinho ideal

Antes de sair e adotar qualquer bichinho, é preciso levar em conta alguns fatores. O animal precisa ter algumas características definidas, como ser calmo, familiar, gostar de receber carinho. 

Os cães são mais indicados para quem tem depressão do que os gatos. Os felinos são independentes e muitas vezes preferem ficar sozinhos, e isso pode ser um problema para o tratamento. Os depressivos precisam de um animalzinho presente, que aceite carinho a qualquer hora do dia e esteja ao seu lado. Os cães, por exemplo, requerem mais atenção, o que os tornam melhores terapeutas. Entretanto, essa escolha é bem pessoal e vai de pessoa para pessoa. O importante é escolher o pet que mais te traga felicidade. 

Em relação aos caninos, é importante escolher uma raça tranquila e não agitada. Também deve ser carinhosa, de baixa manutenção e fácil de cuidar. Um vira-lata costuma ser perfeito, pois trás uma satisfação enorme ao paciente ter salvado um bichinho. Ele dedicará sua vida para te agradecer e retribuirá esse favor te dando muito amor e carinho. Além disso, são fáceis de treinar e sua saúde costuma ser de ferro.

Como escolher corretamente uma ração para cachorros?

Golden Retriever e Labrador também estão entre os recomendados, pois sua personalidade leal, amorosa e atlética preenche todos os requisitos necessários para o tratamento. Se desejar um pet menor, você pode optar por um Pug, já que é um cão engraçadinho, fofo, adora um colo e transportá-lo é fácil. O lado ruim é que são preguiçosos e tem problemas respiratórios. 

Os animais são um estímulo para a pessoa com depressão seguir em frente e superar a doença
reprodução shutterstock
Os animais são um estímulo para a pessoa com depressão seguir em frente e superar a doença

Uma boa ideia é adquirir um animal quando já passou da fase filhote. Quando novos precisam de mais atenção, cuidados, treinamento e educação. Essa dica vale tanto para cães quanto para gatos. Um pet adulto já esta com sua personalidade minimamente formada, então fica mais fácil de prever seus hábitos e conduta. Para idosos com depressão, a recomendação é um bichinho com mais de cinco anos. 

Apesar das dicas de raças e idade, lembre-se que vai do dono escolher o cão ou o gato ideal. O temperamento e comportamento é muito particular, e muitas vezes depende de como o dono o educa e adestra. 

O que fazer quando não posso ter um animal?

Apesar de todos os benefícios que um pet traz, nem todo mundo pode ter um, seja por questões financeiras, de espaço ou tempo. A solução é frequentar um abrigo de animais ou se aliar a uma ONG. Você verá que fazer trabalho voluntário contribuirá muito para o tratamento. O amor que esses animais receberão de você não tem preço. Uma segunda alternativa é visitar um amigo ou parente que tenha um bichinho em casa. 

Sequência de fotos mostram a importância da terapia assistida por animais

Outra opção, essa para quem tem depressão e está num hospital, é fazer terapia assistida por animais. É um método que consiste em levar pets saudáveis nas clínicas para visitar pessoas doentes, trazendo muito carinho, amor e companhia. Alguns grupos e sociedades protetoras patrocinam esse tipo de tratamento e levam pets já treinados para interagir com os pacientes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.