Tamanho do texto

A humanização é um dos principais problemas, pois o animal é tratado como pessoa para garantir mais sucesso

Diante do advento da internet, o atual vício dos internautas são as redes sociais. Essas plataformas mudaram completamente a maneira como nos relacionamos e interagimos na sociedade. Assim que as pessoas se acostumaram com isso, chegou a vez dos pets. Os tutores descobriram o sucesso dos animais nas redes sociais e embarcaram nesse novo mundo. 

Leia também: Conheça os perigos do tratamento humanizado aos animais de estimação

Nos últimos anos eles têm sido temas de milhões de páginas que se dedicam exclusivamente a produzir conteúdo de sucesso. E os donos também não ficaram de fora. Tanto celebridades quanto anônimos criaram perfis para seus animais nas redes sociais  com o intuito de compartilhar o dia a dia deles.

Embora seja divertido acompanhar a vida do cachorrinho de sua cantora favorita e compartilhar o vídeo de um gatinho desastrado, é preciso estar ciente dos riscos que as redes sociais trazem. 

Os perigos da humanização

O tratamento humanizado provoca muito problemas de conduta e de saúde no animal. Transtornos de comportamento, perda da identidade, problemas para socializar e problemas de saúde são alguns exemplos
reprodução shutterstock
O tratamento humanizado provoca muito problemas de conduta e de saúde no animal. Transtornos de comportamento, perda da identidade, problemas para socializar e problemas de saúde são alguns exemplos

As redes sociais, quando mal utilizadas, podem ser um problema para os humanos. Mas, se tratando dos animais de estimação, o risco está na humanização . Para quem não conhece, esse fenômeno faz referência a uma série de características humanas que são atribuídas aos pets, fazendo com que não sejam mais tratados como deveriam.

Dentre as ações mais praticadas pelos donos é tratar o bichinho como bebê, vesti-lo exageradamente com roupas e acessórios "da moda", passear só usando um carrinho, submetê-lo a sofisticados tratamentos estéticos, entre outros. E a maioria dos animais expostos na web é tratado dessa forma.

Isso é ainda mais forte entre os pets influencers. Como são estrelas na internet , são submetidos a qualquer coisa que garanta mais curtidas e compartilhamentos, como vestir uma fantasia e posar em uma sessão de fotos.

Por mais que seja fofo acompanhar a vida desse bichinho, a humanização gera muitos problemas. Transtornos de comportamento, perda da identidade, problemas para socializar e problemas de saúde são alguns exemplos. É necessário corrigir as más condutas a tempo para evitar que piorem. 

Leia também: 10 aplicativos para cães que vão facilitar a vida dos donos

Outra situação originada do processo de humanização é o esquecimento das necessidades básicas do bichinho. Os donos ficam tão imersos no mundo digital que se esquecem de levar o pet para passear, brincar com ele e até mesmo oferecer as refeições. A negligência é extremamente perigosa para a saúde mental e física do animal. 

Vale ressaltar que não é proibido publicar fotos de seu peludo ou criar um perfil para ele, o problema está na humanização. Tratá-lo como se fosse uma pessoa é um desrespeito com sua natureza. Lembre-se que um cachorro e um gato são diferentes de nós, e devem ser tratados como tal.

Diferente da gente, os animais não precisam interagir por meio de redes sociais e nem entendem o que é a internet. A vida deles será perfeita se for repleta de amor, carinho, atenção, cuidados básicos e brincadeiras. 

Criação de redes sociais para animais

Assim que perceberam o sucesso dos bichinhos na web, não demorou muito para desenvolverem redes sociais exclusivas para eles. Dentre as mais populares temos a Animal Social Network, a Dogster e a TvMascotas
reprodução shutterstock
Assim que perceberam o sucesso dos bichinhos na web, não demorou muito para desenvolverem redes sociais exclusivas para eles. Dentre as mais populares temos a Animal Social Network, a Dogster e a TvMascotas

Assim que perceberam o sucesso dos bichinhos na web, não demorou muito para desenvolverem redes sociais exclusivas para eles. Essas plataformas de relacionamento pet se tornaram tendências no mundo todo, atraindo todos os tipos de tutores. 

Elas são bastante simples e o funcionamento é semelhante às redes sociais para humanos. A diferença está na proposta: essas plataformas online foram projetadas para melhorar a vida social dos peludos e auxiliar em outros processos, como promover campanhas de adoção, controle reprodutivo e ajudar na recuperação de animais perdidos. 

Como os objetivos são focados no bem estar dos peludos, essas redes sociais são mais adequadas do que as tradicionais. Dentre as mais populares temos a Animal Social Network, a Dogster e a TvMascotas.

Fora as funcionalidades já informadas, as plataformas também permitem que o usuário compartilhe fotos, vídeos, eventos, campanhas e todos os tipos de notícias do reino animal. Há também fóruns e chats para que os internautas troquem curiosidades, informações e divulgue eventos relacionados. Ou seja, o principal intuito é garantir ajuda mútua entre os donos. 

Leia também: 10 aplicativos para cães que vão facilitar a vida dos donos

Apesar de todos os benefícios dessas redes, elas não estão livres de riscos. O tratamento humanizado e esquecimento nas reais necessidades do animal também pode ser um problema nessas plataformas. Isso irá depender do uso de cada usário.

Usando as redes sociais de modo consciente

Os animais nas redes sociais não precisa se tornar um problema, basta lidar com consciência. Portanto, lembre-se de dedicar parte do seu dia ao pet e não forçá-lo a fazer algo que não goste
reprodução shutterstock
Os animais nas redes sociais não precisa se tornar um problema, basta lidar com consciência. Portanto, lembre-se de dedicar parte do seu dia ao pet e não forçá-lo a fazer algo que não goste

Não é muito difícil utilizar as redes sociais de forma consciente. A dica mais importante é não dedicar todo seu tempo atualizando o feed. Lembre-se que seu bichinho precisa de atenção e cuidados, e só ficar no celular não solucionará sua carência. Dedique parte do seu dia só para o animal e suas necessidades.

Além disso, não o force a fazer nada. Por mais que ele fique bonitinho naquela fantasia, apenas o vista se ele permitir. Opte sempre por captar ações espontâneas do pet, pois é a melhor forma de conseguir um vídeo legal e natural.

Leia também: No Dia do Amigo, confira 10 razões que fazem o cão ser o melhor amigo do homem

E por fim, jamais o trata de maneira humanizada. As consequências que isso provoca podem ser irreversíveis. Os animais nas redes sociais não precisa se tornar um problema, basta lidar com consciência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.