Tamanho do texto

O número de empresas que aceitam a presença de animais de estimação só cresce, mas para levar o cão é preciso treiná-lo antes

A relação do brasileiro com os animais de estimação é cada vez mais próxima, não à toa o mercado pet do país já é o segundo maior do mundo. Nessa toada, o número de empresas que se tornam pet friendly ou fazem eventos para que o funcionário possa levar o cachorro ou o gato para o ambiente de trabalho é cada vez maior. 

Leia tembém: Levar o pet para o trabalho aumenta a produtividade e reduz o estresse

cachorro com a cabeça em cima do computador arrow-options
Shuttersock
Muitas empresas estão se tornando pet friendly, mas os donos precisam tomar alguns cuidados para levar os cães para o ambiente de trabalho

Porém, para poder levar o animal para o trabalho é preciso garantir que ele vai saber se comportar - já que a maioria das empresas pet friendly possuem regras que devem ser seguidas para manter o ambiente harmonioso. Cleber Santos, especialista em comportamento animal e proprietário da ComportPet, dá 5 dicas para que tudo dê certo. 

1. Saiba as regras da empresa

As empresas pet friendly costumam criar regras para que a convivência do animal com todos os funcionários seja saudável. O bom senso também é importante, não é porque o cachorro está no ambiente que o dono pode sair várias vezes no dia para levá-lo para passear e fazer o que bem entender. 

“O cachorro deve ser treinado para fazer as necessidades no local determinado ou em horários corretos. Caso contrário, o pet pode acabar fazendo xixi ou cocô dentro da empresa ou ficará ansioso, podendo atrapalhar todos que trabalham ao redor”, explica Cleber. 

2. Prepare-se 

Não é só o cachorro que deve ser treinado para o ambiente, o dono também precisa se preparar e levar em consideração que o local pet friendly também é frequentado por outras pessoas que podem não gostar tanto de cães quanto ele.

“É importante ter uma série de cuidados para que o animal se comporte, seja sociável, e o local continue sendo pet friendly”, defende o especialista.

3. Treine o animal

Para ficar em um espaço onde há outras pessoas, o cão precisa ter autocontrole. Para isso, Cleber indica dois exercícios simples: fazer o cachorro sentar e ficar (comandos ‘senta’ e ‘fica’). O tutor pode treinar o pet de diversas formas, habituando o cão a estar na coleira por bastante tempo e ao seu lado, enquanto ele está focado em outra atividade.

“É possível treinar quando o tutor estiver trabalhando ou assistindo a uma série. O importante é ensinar o cachorro a ficar do seu lado - seja sentado ou deitado - enquanto o  dono está focado em outra atividade, até que ele aprenda a esperar o dono, sem latir e sem roer nada”, ensina Cleber.

Leia também: Levar o cão para o trabalho é o sonho de muitos brasileiros, aponta pesquisa

4. Distraia o cachorro

cachorro com brinquedo na boca arrow-options
Shuttersock
Levar brinquedos para distrair o pet no ambiente de trabalho pet friendly é importante

Mesmo que o animal esteja bem treinado e saiba se comportar, é interessante levar alguns brinquedos que ele possa usar para se distrair. Cleber indica brinquedos educativos ou que possam ter comida dentro. 

"O cachorro vai morder e roer o brinquedo, ficando menos ansioso com as coisas que estão ao seu redor. Enquanto ele estiver distraído com, ele não late, nem fica tentando chamar a atenção do tutor ou de outros que estão em volta, evitando  incômodo”, explica. 

5. Cuide da higiene

Manter a limpeza do ambiente de trabalho é muito importante. Para isso o dono deve levar de casa tapete higiênico, sacos plásticos e outros itens que julgar necessários. Além disso, se o animal solta muito pelo, é bom ficar de olha para não receber reclamações depois. 

“Outro ponto que pode ser levantado são os potes com ração e água. É sempre bom que o tutor leve os do próprio cão, para o caso de não haver potes suficientes disponíveis no ambiente de trabalho, além de ser algo que irá ajudar o pet a se familiarizar com o lugar”, finaliza.