A filhote não atingirá mais do que 3,6 quilos em sua vida
Nicole Butler/SWNS
A filhote não atingirá mais do que 3,6 quilos em sua vida

Teacup (Xicara de Chá, em tradução literal) é uma pequena filhote gerada pelo cruzamento de um schauzer miniatura e um wheaten terrier, que foram considerados os menores filhotes das ninhadas em que nascera. O motivo dessa mistura era criar cães de estimação ainda menores, conhecidos como “toy”.

Teacup nasceu tão pequena, que com quatro semanas de vida pesava apenas 450g e, pelo seu pequeno tamanho, não conseguia manter a temperatura do corpo. Além disso, o filhote nasceu sem os olhos e com a bexiga colada no útero.

Quando tinha apenas um mês de vida, o criador de filhotes a levou até um abrigo para animais chamado Big Fluffy Dog Rescue, em Nashville, nos Estados Unidos. A pequena filhote não conseguia se alimentar adequadamente, pois não tinha respostas a amamentação, e não poderia ser alimentada com o uso de mamadeiras.

"Eu não podia acreditar como ela era minúscula e estava tão ansiosa para conseguir dar algum alimento a ela", disse a coordenadora de adoções do abrigo, Nicole Butler, ao jornal Metro”. A coordenadora conta que, Teacup não sente dores físicas e que não tem ciência de que é deficiente, pois já nasceu sem visão e não conheceu o mundo de outra forma.

Você viu?

“Ninguém lhe disse que ela é especial, então ela se entende como qualquer outro cachorro feliz, exceto que de vez em quando ela se esbarra nas coisas, mas depois continua andando normalmente”, conta Nicole. “Nós sempre dizemos ‘Adote, não compre’, mas as pessoas não entendem e continuam dando lucro aos criadores que fazem coisas como essas”.

Durante seus primeiros meses de vida, Teacup foi alimentada com ração úmida para cachorros e leite de cabra, dados com o uso de uma seringa, para que ela ganhasse peso. Agora, com 18 semanas, ela pena cerca de 2,4 kg e não se espera que chegue muito além disso, pensando por volta de 3,6 kg quando atingir a fase adulta.

Nicole está em busca de um lar para a filhote, contudo, a cachorrinha precisa de uma família que tenha condições para atender suas necessidades especiais. Por seu tamanho minúsculo e falta de visão, ela não pode conviver com cães maiores, que eventualmente possam esmaga-la. A nova casa também precisa ter um quintal que seja devidamente cercado.

Os colaboradores da ONGs também ressaltam sobre os riscos da compra de filhotes de cães miniatura. Nicole ressalta que “Os cães que nascem menor do que o normal já costumam ter problemas, e as pessoas os cruzam para gerar filhotes menores ainda. O problema é que, mesmo com esses problemas de saúde, as pessoas se derretem quando veem um, e isso dá muito dinheiro [aos criadores]”.

“Infelizmente, o dinheiro é tudo o que importa para muitos desses criadores e não a saúde, o temperamento e a integridade geral da linhagem”, completa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários