Guia de Bichos
Pequeno Spaniel Anão Continental - undefined

Pequeno Spaniel Anão Continental

  • Nome no Brasil: Pequeno Spaniel Anão Continental
  • Nome original: Epagneul nain Continental
  • País de origem: Bélgica, França
  • Preço médio: entre R$ 3 mil e R$ 10 mil
  • Tipo de pelo: Alto

Tudo sobre Pequeno Spaniel Anão Continental

Porte: pequeno
Área de criação: pequena
Energia: alta
Temperamento: amigável

Descrição

  • Grupo: 9 - Cães Toys e de Companhia
  • Porte: 9 – Toy Spaniel Continental e Toy Russo
  • Machos: entre 20 e 27 centímetros/até 5 quilos
  • Fêmeas: entre 20 e 27 centímetros/até 4,5 quilos
  • Tipo de pelo: abundante, longo, fino, sedoso, fluido e reto. No crânio, focinho, frente das pernas dianteiras e pés traseiros é curto e fechado; as orelhas são bem franjadas e as costas das pernas dianteiras são emplumadas; as pernas traseiras são bem cobertas e a cauda porta uma longa e fluente pluma
  • Temperamento: feliz, alerta e amigável
  • Expectativa de vida: 12 a 16 anos
Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem: 5
  • Energia: 4
  • Inteligência: 4
  • Facilidade de adestramento: 5
  • Como cão de guarda: 1
  • Adapta-se ao calor: 4
  • Adapta-se ao frio: 2
  • Adapta-se bem à vida em apartamento: 5
  • Necessidade de atividades físicas: 4
  • Fica bem sozinho: 1
  • Relacionamento com a família: 5
  • Relacionamento com crianças: 5
  • Relacionamento com estranhos: 4
  • Tendência a latir: 2
  • Tendência à obesidade: 3
Cão de pequeno porte e estrutura harmoniosa.O corpo é um pouco mais longo do que alto e seu focinho moderadamente comprido. A pelagem é abundante, comprida, ondulada e forma uma juba e franjas nas orelhas, que são armadas parecendo uma borboleta. Na face o pelo é curto. Todas as cores são aceitas desde que em fundo branco, que deve predominar no tronco e membros. 

Em francês, Papillon significa “borboleta”, a quem esse simpático cãozinho se assemelha pela face e formato das orelhas. Os spaniels eram muito populares na Europa do século XVI, favoritos das senhoras e dos comerciantes, que os carregavam em cestas em mulas através da França, Itália e Espanha para realizar comércio. 

A corte de Luís XIV adorava o Pequeno Sapaniel Anão Continental , que receberam esse nome quando um pequeno spaniel com orelhas eretas foi desenvolvido. Os cães de orelhas caídas podem nascer na mesma ninhada, mas esses são conhecidos como Phalene, o francês para “mariposa”. A raça também ficou conhecido como Cães de 
Esquilo, devido à cauda cheia e emplumada.

Em 1900 o Papillon começou a ser levado em mostras francesas e, posteriormente, britânicas e americanas. Os cães, nessa época, eram de cores sólidas, mas a criação seletiva resultou em um pet menor com cores marcantes e manchas brancas. A AKC reconheceu a raça em 1915. 

Características

O Pequeno Spaniel Continental é um cão ativo e brincalhão. Adora passeios e exercícios ao ar livre. Seu temperamento é amigável, dócil e paciente o que o torna adaptável e obediente. Precisa de atividades físicas regulares para manter-se calmo, assim como treinamentos e socialização desde filhote para se submeter à liderança dos humanos e aceitar outros animais e crianças. Sem isso, pode se tornar possessivo e muito barulhento. Bem equilibrada é uma raça ótima para companhia.

  • Pequeno e elegante, de estrutura de ossos finos, leve, delicado e ação viva; sua principal característica são a orelhas de borboleta
  • Olhos escuros, redondos, de tamanho médio e expressão alerta;
  • Orelhas grandes com pontas arredondadas, colocadas nos lados e na parte de trás da cabeça
  • Pescoço de comprimento médio
  • Peito de profundidade média 
  • Cauda coberta por longa e fluente pluma
  • Ombros bem desenvolvidos; patas dianteiras e traseiras magras e alongadas
  • Pelagem branca, preta e branca, vermelha e branca, fulva e branca e castanha e branca 

Cuidados básicos

Não há uma frequência obrigatória de banhos e escovações devem ser feitas diariamente. Recomenda-se cuidado especial com os dentes para evitar acúmulo de tártaro.

Essa raça não exige uma grande dose de exercícios diários. Uma caminhada diária na coleira, bem como brincadeiras dentro de casa junto com as crianças e uma dose de estimulação mental através de jogos, farão bem ao Papillon. 

Ele deve viver dentro de casa, com a família, não foi feito para sobreviver ao ar livre. Tome cuidado com brincadeiras bruscas, que podem ferir sua cabecinha sensível. O treinamento deve utilizar técnicas de reforço positivo para conseguir melhores resultados. 

A pelagem precisa ser escovada duas vezes por semana para manter o brilho e beleza.

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.

Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade. Cães de pequeno porte consomem rações small breed.

A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas. 

Até os doze meses, o Pequeno Spaniel Continental é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 90 a 95 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.

A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 40 a 75 gramas/dia.

Espaço para criação

Essa raça se adapta bem em apartamento e espaços pequenos, mas costuma ser muita barulhenta ao sinal de qualquer movimentação perto do seu território. Com adestramento adequado esse comportamento pode melhorar. Passeios diários são recomendados para manter o equilíbrio mental e físico do cão.

Saúde

Assim como a maioria das raças de pequeno porte, o Papillon pode sofrer de luxação patelar, que provoca dor ao caminhar e, posteriormente, artrite. Ele também pode sofrer de atrofia progressiva da retina e hipoglicemia. Veja outras doenças comuns nessa raça: 
  • Colapso da traqueia: a inalação rápida de ar faz com que a traqueia aplaine e dificulte a entrada de ar nos pulmões. É uma condição herdada, e geralmente os cães com esse problema apresentam anormalidade na composição química dos anéis traqueais; 
  • Moleira aberta: os cães dessa raça nascem com um ponto fraco no topo da cabeça, que geralmente se fecha, mas as vezes pode ficar aberto ou não fechar completamente. Consequentemente, um golpe mais duro ou uma batida na cabeça podem matar o cãozinho.
Essa raça também é sensível à anestesias, que podem inclusive matar o cão. Tenha atenção quando ele precisar passar por uma cirurgia ou procedimento médico.

Curiosidades

Por que ter um Papillon?

Gentil, amável e brincalhão, o Papillon adora crianças e se dá muito bem com elas, podendo passar horas brincando. Só tome cuidado com as muito pequenas, que podem ferir esse cão de pequeno porte facilmente. 

Obediente e ágil, ele é altamente treinável e está sempre em alerta. Seu tamanho não permite que seja um bom cão de guarda, mas ele vai alertar se perceber algo de estranho. São muito companheiros e vivem à sombra da família, ambiente no qual prosperam. 

Amigável com estranhos, ele é muito inteligente e lida bem com outros animais de estimação, inclusive gatos, desde que seja criado desde cedo com eles. É um companheiro perfeito para quem busca afeto e diversão para as crianças. 

Por que não ter um Papillon?

O Papillon não tem a menor noção do seu tamanho e é comum que cães dessa raça provoquem brigas com cães maiores. Ele se acha um cão de grande porte, mas pode facilmente se machucar e sofrer algum acidente ao tentar agir como tal. Por conta disso, não serve muito bem como cão de guarda.

Exigem ser inclusos nas atividades da casa, caso contrário ficarão muito aborrecidos. Não é uma boa ideia deixar esse cão sozinho por longos períodos de tempo, pois ele pode sofrer de ansiedade de separação e, consequentemente, apresentar comportamento destrutivo pela casa.