O comportamento das gatas muda completamente durante o cio
Banco de imagens/Pixabay
O comportamento das gatas muda completamente durante o cio

Além de evitar que as gatas procriem, a castração das felinas pode salvar a vida delas, evitando uma série de doenças – como infecção no útero e câncer de mama – e o comportamento típico do momento do cio , em que ela tenta fugir a qualquer custo para procriar.  Diferentemente das cadelas , a indicação médica mais comum é que a castração de uma gata seja feita antes do primeiro cio.

Para entender os benefícios da castração precoce e como os tutores devem cuidar de suas gatinhas depois de castradas, o Canal do Pet conversou com o veterinário Raphael Clímaco, da Plamev. Ele explica a seguir qual o momento ideal para a castração das felinas e como essa cirurgia pode beneficiar a saúde delas.



O momento do cio dos gatos, macho ou fêmea, é bastante peculiar. Eles alteram completamente o humor e o comportamento. Se são mansos, ficam ariscos e o mesmo ao contrário. Ficam estressados e tentando seguir o chamado da natureza para procriar.

Por isso, o veterinário Raphael Clímaco, da Plamev Pet, ressalta a importância de todas as casas que tem gatos serem preparadas para eles, principalmente se ainda não foram castrados, mas após o procedimento também.

“Pela influência hormonal, as gatas passam a se comportar ao avesso. Isso torna muito comum que, durante esse período do cio, aconteçam acidentes ou situações indesejadas, como uma fuga ou a gata pular de uma grande altura e acabar morrendo. Tenho pacientes que a gata conseguiu pular do 13º andar, quando estava no cio, por uma pequena abertura de um basculante sem tela”, afirma.

Por causa deste esse tipo de comportamento ser comum, os veterinários recomendarem a castração antes do primeiro ciclo , algo que costuma acontecer entre o quarto e o sexto mês de vida da gata. Gatas castradas tardiamente possuem mais riscos de desenvolver doenças como câncer de mama e relacionadas ao trato genital, como infecção no útero.

“Ao contrário da cadela, nós não recomendamos que as pessoas esperem o primeiro cio passar para poder castrar a gata, porque ele pode ser o suficiente para acontecer um desastre. É interessante que o tutor leve a felina para a castração por volta dos 3 meses e meio”, diz Clímaco.

Para quem adotou uma gata sem saber a idade, a chegada do cio costuma ser anunciada pelo comportamento de marcação de território, fazendo xixi em outros lugares que não na caixinha de areia e vocalizando de forma insistente, miando demais. Em caso de dúvida, um veterinário poderá analisar a gatinha e dizer se ela já tem idade para ser castrada.

Obesidade após a castração

Diferente das cadelas, as gatas não são prejudicadas em seus órgãos genitais ao serem castradas precocemente. Os problemas que elas podem desenvolver são de ordem metabólica e suas consequências, como obesidade e outras doenças ligadas ao ganho de peso.

“Tanto as gatas quanto as cadelas tem a castração diretamente relacionada ao metabolismo. Após a cirurgia, tendem a engordar e à obesidade. Por isso, é preciso ter atenção à quantidade de alimento oferecido”, diz Clímaco. O veterinário explica que é comum os tutores deixarem a comida disponível o dia todo para os gatos e, por isso, eles passam o dia comendo. 

“Na natureza, os gatos são atletas, precisam ser. E comem uma vez por dia no máximo, após caçarem. Em casa, após terem o metabolismo reduzido pela castração, passam o dia comendo, dormindo, fazendo poucos exercícios e isso tende a um quadro de obesidade, que pode levar a outros problemas de saúde”, afirma o veterinário.

Para evitar a obesidade, é necessário estimular a gatinha a se exercitar, brincando, caçando. Para isso, é preciso identificar o brinquedo que ela mais gosta. Na maioria das vezes, é algo que não foi feito para ela. Uma tampinha de garrafa, uma caixa de papelão com uns furinhos, apontador a laser, uma vara com uma pena na ponta. Depois é só usar para estimular os movimentos e consequentemente, a musculatura e o metabolismo dela.

A obesidade dos gatos pode ser camuflada pela quantidade de pelos que eles tem%2C principalmente na região da barriga
Banco de imagens/Pixabay
A obesidade dos gatos pode ser camuflada pela quantidade de pelos que eles tem, principalmente na região da barriga









Anticoncepcionais x Riscos para a saúde das felinas

De acordo com o veterinário, existe uma cultura – que envolve principalmente as pessoas menos informadas – de não castrar as gatas e dar anticoncepcionais a elas. Para ele, a prática deveria ser proibida porque prejudica muito mais a saúde do que provoca benefícios.

“O uso de medicamentos hormonais injetáveis para inibir o cio e interromper a gravidez é como uma bomba no organismo do gato. É uma prática que deveria ter sido proibida há muito tempo, porque estimula o aparecimento de cânceres nas gatas. Apenas uma única medicação dessa e já é possível ver o crescimento de nódulos nas mamas e o começo de infecção do útero”, afirma Clímaco.

Tais medicamentos costumam ser vendidos em casa de ração ou em agropecuárias. O médico diz que clínicas veterinárias, com médicos, não comercializam, porque as pessoas compram sem prescrição.

Existem ainda outros medicamentos, menos agressivos, que são importados e que podem ser usados em casos restritos. Esses medicamentos são raros e mais caros do que castrar a gata. Eles são usados em canis e gatis, em cadelas e gatas de alto custo mercadológico.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários