Guia de Raças: Beagle, uma das raças mais dóceis do mundo

Um cachorro muito popular por ter um faro poderoso e, especialmente, pelo seu perfil simpático e aventureiro. Está sempre explorando e atrás de algo para comer

Foto: Nick115/Pixabay
Simpáticos e muito alegres, os Beagles adoram explorar o ambiente e seguir trilas

Com origem no Reino Unido, os Sabujos Beagle (como foram chamados originalmente, em meados de 1475) eram muito apreciados pela aristocracia da época, muito usados para a função de caçar veados e lebres.

A data exata do surgimento dos Beagles é incerta e, apesar de serem apontados como um cão de origem inglesa, existem registros de cães semelhantes aos beagles datados de 400 anos antes de Cristo, na Grécia.

Os Beagles eram cães muito populares, não apenas por terem um faro impressionante para a caça, como por serem encontrados em diferentes portes – lembrando que do século 14 para cá, a raça teve mudanças significativas.

Se hoje os Corgi são populares como os cães de estimação da Rainha Elizabeth II, a Rainha Elizabeth I (1533 – 1603) tinha um mini Beagle com apenas 9 cm de altura.

Dependendo do tipo de solo da região onde se encontravam, os beagles eram encontrados em tamanhos diferentes – sendo adaptados para a caça. A partir do século 19, no entanto, os criadores passaram a padronizar a raça, para que tivessem tanto a aparência quanto o temperamento mais uniforme. Ainda assim, os Beagles de hoje não se diferem tanto dos de centenas, ou até milhares, de anos atrás.

Em continente americano, a primeira menção conhecida da raça data do ano de 1642. A raça também foi usada como cão farejador durante a Guerra Civil, embora fossem bem diferentes dos cães europeus. Foi já no século 19 que o Beagle inglês começou a migrar para a América do Norte.

O Beagle era tão popular que logo se tornou um dos cães favoritos também como animal de estimação. O American Kennel Club foi fundado em 1884 e, já em seu primeiro ano de existência, reconheceu o Beagle como raça pura. Na mesma época também foram fundados os clubes Beagle Specialty Club, American-English Beagle e National Beagle Club of America, todos dedicados unicamente à raça.

Curiosidades sobre os Beagles

Foto: olginaa84/Pixabay
Os Beagles são excelentes farejadores

- Um Beagle só é considerado “puro” se a ponta da cauda for branca.

- Existem duas teorias para a origem do nome da raça. A primeira é que tenha origem Celta, onde "Beagle" significa “Pequeno”, remetendo ao tamanho do cão. A segunda, e mais plausível, é a de origem francesa, em que o nome significa “boca aberta” ou “boca alta”, isso porque os Beagles sempre latem quando encontram algo interessante.

- Os Beagles são bem semelhantes aos Foxhound, com a maior diferença sendo o tamanho menor. A Confederação Brasileira de Cinofilia classifica os Beagles como Grupo 6, do qual fazem parte outros cães bem similares, como os  Basset Hound e a  raça Billy.

- Os Beagles são muito utilizados em aeroportos nos Estados Unidos para detectar armas, drogas ilícitas, alimentos ilegais e até dinheiro. Mais recentemente, muitos cães foram treinados para identificar sinais de Covid-19.

- Os cães dessa raça têm a fama de serem muito comilões e não vão medir esforços para conseguir um lanchinho.

- Em meados de 1800, antes da padronização da raça, existiam as variações conhecidas como “Beagle de bolso”, eram muito populares e mediam até 22 cm.

- O famoso personagem Snoopy, das histórias em quadrinhos e desenhos animados “Peanuts” (conhecido no Brasil como “A Turma de Charlie Brown”) é da raça Beagle. Criado pelo cartunista Charles M. Schulz, Snoopy tem como semelhança ao cão real a sua preocupação com o comedouro vazio e o fato de estar sempre com fome.

- O ex-presidente dos Estados Unidos, Lyndon Baines Johnson, fez uma grande mudança na Casa Branca para abrigar seus dois cães, Him e Her, em 1963. A casinha dos cachorros presidenciais chegava a ser comparada com um palácio, na época. Mais tarde, Lyndon teve mais um Beagle, chamado Edgar.

(Continue a leitura logo abaixo)

- O perfil dócil e amigável dos Beagles também é um grande problema para a raça. Por serem cães de fácil manuseio, eles também são preferência para o uso como cobaias em laboratórios, onde são trancados e submetidos a práticas dolorosas, como inserção de substâncias tóxicas nos olhos, inalação de fumaça e implantação de eletrodos.

Um caso que se tornou muito popular foi o do resgate de 200 cães do Instituto Royal, em 2013. Apesar de não ter iniciado a operação de resgate, o nome que mais se destacou foi o da  ativista e apresentadora Luisa Mell.

A personalidade dos Beagles 

Foto: José Somovilla/Pixabay
O Beagle é um grande fã e admirador de comida, irá sempre para onde o cheiro do alimento o levar.

Um cão alegre, curioso e muito gentil. Essa é considerada uma das raças mais dóceis do mundo. Muito sociáveis, eles também são do tipo esperto e amam se aventurar. Caso um Beagle sinta um cheiro interessante para ele (comida), imediatamente perseguirá esse rastro até encontrar o que procura.

São muito apegados e leais aos tutores e amam praticar atividades físicas. O ideal é que esses cachorros vivam em ambientes espaçosos e murados, para que possam explorar e brincar à vontade, mas sem correr o risco de se perderem caso decidam seguir algum rastro.

Também podem viver em apartamento ou casas com quintais menores, mas é preciso que o tutor tenha tempo para se dedicar ao pet. Caso não gastem energia o suficiente, podem ficar entediados e descontar essa frustração em alguns pares de sapatos.

Por serem cães com um grande apreço por comida, adestrar um Beagle não será uma tarefa tão difícil, caso o tutor tenha sempre uma boa recompensa. Só não se pode exagerar, pois a raça pode ter problemas com sobrepeso.

Mesmo muito dóceis, é importante socializar a raça desde filhote, para que não se tornem animais muito tímidos. Se dão bem com outros animais de estimação, especialmente outros cães. Também são perfeitas companhias para crianças e idosos.

Higiene e saúde

Os Beagles têm pelagem curta e densa, sendo até mesmo resistente à chuva. Manter o pelo de um cão dessa raça não será um grande trabalho, mas ainda requer alguns cuidados, como escovar ao menos uma vez por semana, para a remoção de pelos mortos.

A raça também é considerada bem independente no que se trata de limpeza, por isso não precisam de tantos banhos. A menos que o pet se suje durante um dia de diversão, um banho 30 ou 40 dias já será o suficiente.

Esses cães são geralmente saudáveis e não há grandes casos de doenças ligadas à sua genética, porém o cuidado com a alimentação é fundamental e indispensável, pois é uma raça com grande tendencia a engordar. Isso pode causar ou agravar outros problemas comuns, como a displasia coxofemoral e o hipotireoidismo.

Uma alimentação nutritiva e balanceada deve ser seguida, junto aos exercícios físicos diários, algo também essencial para um cão com tanta energia como é o Beagle. Outra questão a ser considerada é o cuidado com as orelhas, por serem grandes e caídas, precisam ser limpas com certa frequência, para evitar casos de otite.

No mais, levar o pet em visitas periódicas ao médico veterinário e manter vacinas e vermífugos em dia já será o bastante para ter um animal feliz e saudável.

Acompanhe o  Canal do Pet também no Telegram. E, para garantir o melhor para o seu melhor amigo,  conheça todas as vantagens de ter um plano de saúde pet!

** Formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho, Renan Tafarel é apaixonado por pets e cultura pop. Escolheu o jornalismo por enxergar na profissão uma oportunidade abrangente de conhecer novas pessoas, culturas e histórias diversas.