Tamanho do texto

De acordo com os donos do cachorro, os órgãos do animal pararam de funcionar devido ao calor intenso na área de cargas da aeronave

O dono de um cachorro acusa a United Airlines, terceira maior linha aérea dos Estados Unidos e do mundo, pela morte de seu cão. Em entrevista ao jornal The Sun, John Paul Ciancimino, 45, disse que o seu animal "fritou" devido à insolação e o calor intenso no compartimento de carga da companhia áerea .

O cachorro chamado Rock, um pastor belga malinois, estava indo de Boston para Fort Lauderdale quando o suposto incidente ocorreu, em agosto de 2017. Durante uma parada do voo em Nova York, um funcionário da empresa descobriu que o cão não estava em seu canil e tinha se machucado. O animal foi transferido para o hospital veterinário mais próximo e faleceu.

Leia também: Dona treina seu rato de estimação para pintar quadros e o transforma em artista

 Criança ao lado de seu cão 'Rock' que morreu durante voo da United Airlines arrow-options
Reprodução/The Sun
Criança ao lado de seu cão 'Rock' que morreu durante voo da United Airlines

Ciancimino, no entanto, parece certo de que seu cachorro morreu devido a insolação depois de ser deixado na área de carga. O relatório de um veterinário, compartilhado pelo advogado de do dono do cão, registrou a temperatura corporal de Rock em 41°C sugerindo que a insolação levou à morte do cachorro.

"Ele estava completamente cego quando o encontraram", afirmou Ciancimino, que acrescentou que seus dois filhos, Jon, 9 anos, e Alysse, 5, ficaram "devastados" pela perda.

Em um comunicado compartilhado com a Fox News, a United Airlines explicou que entrou em contato com Ciancimino, além de cobrir as despesas médicas e de viagem do cão.

"Ficamos tristes com a morte de Rock em agosto de 2017. Nossa equipe PetSafe está comprometida com a segurança e o conforto de todos os animais de estimação que viajam conosco. Após a chegada de Rock no Aeroporto de Newark, nossa equipe descobriu que o cachorro havia se machucado enquanto escapava do canil durante o voo. Nós imediatamente transportamos Rock para um hospital de animais local para atendimento médico, onde ele faleceu", diz trecho de comunicado da empresa aérea.

Leia também: Câmara debate sobre prisão por maus-tratos aos animais

Ainda de acordo com o comunicado da United a empresa concluiu a revisão completa de serviço PetSafe e colocou proteções adicionais para garantir a segurança e o bem-estar dos animais a bordo.

Em um e-mail enviado para a Fox News, o advogado de Ciancimino, Evan Oshan, disse que "não tem tanta certeza" de que o United esteja "comprometida em fazer a coisa certa em relação aos animais". Oshan também pediu os resultados da investigação da companhia aérea.

“O setor aéreo precisa entender que os cães são seres vivos e membros da família. Eles não podem mais se esconder atrás de sua posição de que um cachorro é simplesmente carga ou bagagem ”, escreveu Oshan.

O advogado da família também contou que não havia recebido a indenização por Rock, ou os R$ 260.000 de Ciancimino que foram gastos no treinamento do cão. "Uma declaração geral de condolências simplesmente não é suficiente e, de fato, é um insulto", complementou o advogado.