Tamanho do texto

Olívia foi abandonada por seus antigos donos depois de sofrer um acidente e perder os movimentos de três patas; hoje a cadela possui mais de 62 mil seguidores no Instagram

Alguns animais nascem com problemas genéticos ou sofrem acidentes ao longo de suas vidas, fazendo com que precisem de cadeira de rodas para se locomover. E, assim como para os humanos, muitos lugares não estão adaptados para a movimentação desses pets. Para conhecermos um pouco do dia a dia dos animais com mobilidade reduzida conversamos com Mariana Oliveira, tutora da Olívia, uma golden retriever.

Leia também: Como escolher a tatuagem e outras formas para eternizar o animal de estimação

A cadela e sua dona moram em Sorocaba, interior de São Paulo, mas Olívia não fez parte da família desde filhote. “Ela caiu de uma laje de 7 metros e perdeu os movimentos de três patas. Seus antigos donos a abandonaram para eutanásia”, conta Mariana. “Quando vi a história dela no Instituto Luisa Mell não resisti. Não parei de pensar na Olívia.”

cadela com cadeira de rodas arrow-options
Instagram/ oliviagoldenespecial
Olívia é uma cadela com mobilidade reduzida que foi deixada por seus antigos donos para ser eutanasiada


Quando conseguiu adotar a golden , Mariana já teve que encarar uma dificuldade: a cadeira de rodas era muito cara, e ela teve que se virar como pode para adquiri-la. “Vendemos rifa e abrimos uma vakinha nas redes sociais, o que nos ajudou muito”, explica.

Durante a adaptação à cadeira de rodas, a pet precisou ser treinada para erguer o pescoço, e  em casa ela não fica 100% do tempo utilizando o aparelho. “Não é tão simples quanto parece. Ela tinha que entender que a cadeirinha era para o momento de passear e brincar com os outros cães”, conta a dona.

Para mantê-la saudável os cuidados são muitos. Fisioterapia, adestramento, acupuntura e ozônio, tudo isso para que Olívia tenha uma vida normal. “Infelizmente não são em todos os lugares que podemos ir com ela, em alguns as rodas travam, como areia e pedras. Mas tentamos ao máximo buscar os melhores lugares pra ela se divertir”, diz Mariana, reforçando a importância da cadeirinha.

Na hora de fazer as necessidades, Mariana faz compressão e estímulos na Golden. Já o banho ela prefere dar em casa, e quando não pode, leva Olívia em um pet shop de confiança em que possa participar da limpeza de seu animal de estimação .

Leia também: Diferenças entre o staffordshire bull terrier e o american staffordshire terrier

Até hoje os gastos são muitos, mas a oportunidade de salvar a vida de Olívia valeu a pena. É possível ver a felicidade em todas as fotos de seu Instagram @oliviagoldenespecial. Lá Mariana compartilha com mais de 62 mil seguidores o dia a dia da cadela , entre diversões e dificuldades.


Infelizmente não é a realidade de todos poderem adquirir uma cadeira de rodas adaptada para o pet, e isso acaba culminando no abandono e eutanásia de grande parte dos cães e gatos que possuem alguma deficiência.