Tamanho do texto

Os mini pigs estão se tornando animais de estimação cada vez mais populares por serem companheiros, brincalhões e inteligentes

Por serem muito fofos, os mini pigs estão se tornando animais de estimação muito comuns. Isso mesmo, o mini porco pode ser criado em casa, não só em sítios ou fazendas, pois o seu tamanho reduzido é o que permite que esse pet seja domesticado. Esse tipo de animal é muito companheiro, brincalhão, inteligente e até responde pelo nome. 

Leia também:  Porco pode ser ótimo animal de estimação; saiba como cuidar de um

Se você simpatizou com esse focinho e está pensando em ter um mini porco, separamos tudo que é necessário saber para criar esse animal em casa, segundo a médica veterinária Erica Couto.

mini pig no colo de uma crinaça arrow-options
shutterstock
Os mini pigs são fofos, brincalhões e inteligentes.


Crescimento

Érica alerta que é necessário ter cuidado com o processo de compra ou adoção do pet, pois muitas pessoas relatam que o porquinho acabou crescendo mais do que o esperado. 

“O único jeito de evitar isso é ir conhecer o criatório que o mini pig está antes de comprar. Veja as matrizes do filhote, ou seja, verifique se a mãe e o pai realmente são mini pigs. Tenho pacientes que tiveram que doar seu porquinho para algum sítio, pois o pet chegou a 150 kgs”, conta a veterinária.

Espaço

Mesmo que tenham um porte pequeno se comparados aos outros porcos, os mini pigs medem de 30 a 40 cm de altura e seu peso pode chegar 35 kgs. Por isso esses pets precisam de um espaço só para eles. 

“O tamanho é como se fosse de um cão de médio porte, ou seja, para que ele tenha uma rotina saudável, é legal que ele tenha um espaço só dele, para brincar, fazer suas necessidades, se exercitar, etc.”

Alimentação

mini pig comendo arrow-options
shutterstock
A alimentação do mini pig deve ser feita com ração, verduras, legumes e frutas


“O ideal é a ração para mini pig , porém não tem no Brasil. Então pode ser usada a ração de suinocultura, mas é necessário lembrar que essa ração é indicada para animal de abate, então engorda muito rápido. 50 % da dieta tem que ser baseada em verduras de folhas escuras e legumes, como cenouras, beterraba, rabanete, brócolis, abobrinha, berinjela, etc. Além disso, 10% da alimentação do mini pig deve conter frutas”, recomenda a médica veterinária.


Higiene

mini pig banho arrow-options
shutterstock
O banho no mini pig pode ser feito de 15 em 15 dias


A higienização vai depender de como é feito o manejo do mini porco e onde ele é criado. A veterinária afirma que os tutores podem dar banho em seus pets uma vez a cada 15 dias ou até uma vez por semana, e lembra que o comedouro e bebedouro devem estar sempre limpos. 

“O banho pode ser num pet shop ou até em casa, com shampoos para animais de pele sensível. O porquinho seca muito rápido, não utilize secador, pois pode queimar sua pele, prefira uma toalha felpuda”, afirma a veterinária. 

Cuidados específicos

Além de cuidados mais gerais, como levar para passear pelo menos duas vezes por dia e brincar com o pet para fortalecer o relacionamento com o animal, o mini porco tem algumas particularidades, principalmente em relação ao cuidado com a pele. 

Por possuírem uma pele mais sensível, a médica veterinária recomenda que os tutores passem hidrante, segundo orientação do profissional, em seus porquinhos . Além disso, esses pets adoram tomar sol, por isso, é necessário utilizar protetor solar também segundo a recomendação do médico. 

Como esses animais não desgastam muito seus cascos é necessário que um profissional faça o corte deles a cada dois meses, mas o check-up a cada seis meses também é necessário, porque se isso não for feito o sistema locomotor do animal pode ser prejudicado, levando a deformidades ósseas e articulares. Porém é sempre indicado acompanhar o crescimento do seu pet para saber se ele precisará desses cuidados com mais ou menos frequência.

Leia também:  Saiba tudo sobre mini pig: características, como cuidar e onde adquirir um 

Legislação de SP

Por fim, Erica recomenda que os tutores se atentem à legislação, pois, segundo ela, a maioria das pessoas não sabem que no Estado de São Paulo, por exemplo, não é permitido ter mini pig, segundo o Decreto nº 12342, de 27/09/1978, que "dispõe sobre normas de promoção, preservação e recuperação da saúde no campo de competência da Secretaria de Estado da Saúde."

Mesmo sendo tão fofos, cuidar de um mini pig pode ser trabalhoso e a médica veterinária reforça que é necessário ter responsabilidade, ou seja, conhecer o animal que você está comprando ou adotando, saber de todos os cuidados necessários, ter espaço e tempo para dar a atenção que o pet precisa.