Tamanho do texto

O animal estava preso em uma poça de piche e não teria aguentado muito mais se os trabalhadores não tivessem ido atrás dos latidos

Era um dia comum na cidade de Suwałki, na Polônia. Mas tudo mudou quando alguns trabalhadores locais ouviram um cachorro latindo sem parar, como se estivesse pedindo socorro. O pet não parava, e, preocupados, os trabalhadores resolveram tentar descobrir o que estava acontecendo.

Leia também: Conheça as principais diferenças entre Buldogue Francês e Boston Terrier

Essa foi a sorte do cão, que estava preso em uma poça de piche. Os trabalhadores tentaram retirar o pet da poça, mas não tiveram sucesso, e optaram por chamar Joanna Godlewska, voluntária de um abrigo de animais da região, o 'Fundacja Zwierzęta Niczyje'. “Quando cheguei e vi o cachorro deitado em cima do piche, comecei a chorar”, contou Joanna em entrevista ao The Dodo. 

Acredita-se que o pet, provavelmente abandonado, estava procurando por calor e abrigo durante a noite, e encontrou a poça de piche – despejado ilegalmente no local – e deitou ali. Quando percebeu que estava preso, já era tarde demais. Não se sabe por quanto tempo ele estava lá, mas se não tivesse sido resgatado a tempo, o cão teria morrido.

Leia também: O clima esfriou? Cuidado com a tosse canina!

cachorro
Facebook
O cachorro foi resgatado da poça e está bem

Joanna e o corpo de bombeiros estavam destinados a retirar o bicho do piche, e cada vez que estavam mais próximos de tira-lo por inteiro de lá, a esperança reaparecia nos olhos do pet. Os voluntários cortaram a maior parte do pelo do animal que estava preso na substância e utilizaram óleo de cozinha para dissolver o resto.

Leia também: Estudo mostra que terapia assistida por animais ajuda crianças hospitalizadas

Quando finalmente saiu da poça, o cão foi levado rapidamente ao veterinário, que cuidou de sua exaustão e providenciou um belo banho para eliminar os restos de piche de seu corpo. Agora, o cão está cada vez mais forte, e não teve grandes problemas a não ser algumas feridas superficiais pelo atrito da substância em seu corpo.