Tamanho do texto

A emergência recebeu 8.300 ligações para resgatar cães de dentro de carros quentes só no ano de 2018, 16% a mais do que comparado a 2016

Deixar o animal de estimação preso dentro do carro nunca é uma boa ideia, principalmente quando se trata de um dia quente e de muito sol. Tal atitude pode ser fatal, mas muitos tutores ainda ignoram o perigo e deixam seus cães esperando dentro do veículo. 

No Brasil a situação já foi vista e denunciada nas redes sociais várias vezes e um dado que vem do Reino Unido preocupa: o número de pets que sofrem com o clima abafado dentro do carro cresceu nos últimos dois anos. Só em 2018 a Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA) registrou cerca de 8.300 ligações de emergência alertando sobre animais em possível situação de perigo dentro de carros.

cachorro dentro de carro
shutterstock
Deixar cães dentro do carro é uma atitude cruel



O problema é que muita gente acha é que em um dia com a temperatura amena, como 22ºC, o perigo não existe. Na verdade, os carros podem esquentar muito rápido, e mesmo com essa temperatura do lado de fora, o lado de dentro pode chegar a 47ºC.

Leia também: Carteiro salva a vida de cachorro idoso abandonado no frio

Por isso, vale a pena reforçar os perigos de deixar os pets presos dentro dos carros, não importa a temperatura. Além de sofrer com o superaquecimento corporal, o animal pode ficar sem oxigênio e acabar morrendo. 

Como o pedido de socorro pode demorar, o instinto de muitas pessoas é quebrar o vidro do carro para retirar o animal. Porém, mesmo que a intenção seja boa, ela pode ser considerada crime. Por isso, se você presenciar um cão preso dentro de um veículo e decidir quebrar o vidro, certifique-se de que poderá justificar a ação de alguma forma. 

Assim que remover o animal de dentro do carro, coloque-o em uma área fresca e com sombra, além de providenciar água para que ele beba.

Deixar o cachorro dentro do carro pode ser considerado crime de maus-tratos aos animais .