Tamanho do texto

O elefante Maktao tinha apenas 3 meses de idade quando o Sheldrick Wildlife Trust soube de sua situação em uma zona perigosa

Existem muitos santuários para animais silvestres pelo mundo. Mas no Quênia, no continente Africano, onde a caça de animais pelo marfim é muito violenta, o trabalho do Sheldrick Wildlife Trust é de extrema importância principalmente para elefantes e rinocerontes viverem com qualidade e segurança. 

Leia também: Agência americana vai pagar US$1000 para quem adotar um cavalo selvagem

O elefante Maktao foi salvo pelo santuário de animais silvestres no Quênia
Instagram/Sheldrick Wildlife Trust
O elefante Maktao foi salvo pelo santuário de animais silvestres no Quênia


Recentemente o santuário recebeu a notícia de que um elefante de apenas 3 meses estava sozinho perdido em uma zona de conflito, onde ele poderia ser morto por causa de seu marfim. Logo depois de receberem o comunicado, a equipe que salva  animais silvestres  entrou em um helicóptero com destino a comunidade onde ele estava. 

"Por estar sem nenhum outro elefante por perto, nós sabíamos que ele estava perdido. Fomos resgatá-lo o mais rápido possível para que ele não ficasse mais tempo na comunidade hostil em que estava", conta o perfil oficial do santuário no Instagram. Batizado de Maktao, o pequeno elefante era abaixo do peso para idade, além de já estar desidratado. "Quando chegou na nossa 'creche' ele estava muito desnutrido. Maktao lutou muito pela vida nos primeiros dias", finaliza a postagem. 

Depois de ser resgatado, a rotina do animal se tornou para lá de boa: ele faz passeios pela floresta, toma mamadeiras de leite e até rouba folhas do bolso de seu cuidador. No site oficial do Sheldrick Wildlife Trust é possível adotá-lo virtualmente por um ano pagando uma taxa. Esse dinheiro serve para ajudar nos cuidados do animal.

Leia também: Animais fofos surpreendem vizinho ao baterem na porta dele

O resgate de Maktao foi filmado, assim como uma parte de sua rotina, confira:

Visualizar esta foto no Instagram.

When he was just three months old, Maktao was found alone in an area known for its incidents of human-wildlife conflict. Given his young age, the fact that there were no other elephants in the vicinity, and the risks he faced in this not particularly “elephant friendly” community, we immediately organized a rescue. SWT pilots were greeted by a perky (albeit dehydrated and hungry) little elephant, who was lulled right to sleep for the duration of the flight to our Nairobi Nursery. To no one’s surprise, Maktao fit right into the Nursery herd. He has an enormous attitude and is absolutely smitten with his Keepers. To learn more about him, visit: sheldrickwildlifetrust.org/orphans/maktao _________ Video © David Sheldrick Wildlife Trust #SheldrickTrust #DSWT #Maktao🐘#elephants #kenya #whyilovekenya#bekindtoelephants #adopt #maktaoDSWT

Uma publicação compartilhada por Sheldrick Wildlife Trust (@sheldricktrust) em


Além dele, outros animais foram resgatados pelo santuário. Fundado em 1977, o SWT cuida principalmente de elefantes, tirando-os de áreas de risco e oferecendo cuidados e proteção. Outros bichos protegidos pela organização são os rinocerontes brancos e pretos, que estão em extinção. 

Leia também: Tudo que você precisa saber antes de comprar um cavalo

Os escritórios do santuário estão no Quênia, na Inglaterra e nos Estados Unidos, e também é possível doar um valor para ajudar a organização sem adotar um desses animais. No site do SWT estão descritas as qualidades dos elefantes: amáveis, inteligentes e sociáveis. Na África muitos  animais silvestres estão em perigo de estinção, principalmente por causa da caça esportiva.

Elefante Maktao tomando leite
Instagram/Sheldrick Wildlife Trust
Elefante Maktao tomando leite