Os hamsters são bichinhos super populares como pets. Os pequenos roedores são muito fofos, inteligentes, e precisam de atenção com suas características e cuidados. Porém, devido ao pouco conhecimento sobre desses bichinhos, alguns mitos sobre eles são propagados.

Pensando nisso, junto ao biólogo Tiago Calil, responsável pelo treinamento da área de roedores da Cobasi, separamos 8 afirmações sobre os hamsters, e o especialista explica se são mitos ou verdades.

Hamster dentro de gaiola
shutterstock
Hamsters são animais fofos, muito inteligentes, e bastante curiosos


Hamsters podem transmitir doenças, como a leptospirose.

Verdade. Muitos animais domésticos podem transmitir zoonoses, porém não são todos. Cuidados com a higiene, alimentação e a procedência do animal são fatores importantes que evitam a contaminação por essas doenças. No caso da Leptospirose, eles só passam a transmitir após entrar em contato com o material biológico de um roedor silvestre portador da bactéria.

Por serem pets de menor porte, podem ficar apenas em lugares pequenos.

Mito. Claro que, por serem pequenos, naturalmente eles ocupam menos espaço comparados a um cão ou gato, por exemplo. Porém, quanto maior a gaiola, maior a qualidade de vida do hamster. Eles precisam de espaço suficiente para poder se exercitar.

Hamsters aprendem e atendem pelo próprio nome.

Mito. É fato que os hamsters são muito inteligentes e reconhecem seus tutores, mas o motivo disso acontecer está muito mais associado ao cheiro do tutor e à sua voz do que a palavra propriamente dita por ele.

Dentes muito grandes podem perfurar a boca dos pequenos roedores.

Verdade. Os dentes de roedores nunca param de crescer. A má oclusão (crescimento anormal dos dentes), pode ter origem genética ou por algum manejo inadequado. Por isso, é importante que seja fornecido ao animal itens para o desgaste dos dentes, como talos de madeira tratada. 

O pelo cai se tomarem banho.

Verdade. Em hipótese alguma é indicado banho em hamsters, a pele destes animais é sensível a umidade, podendo desencadear dermatites. Assim como os gatos, eles usam a língua para se manterem limpinhos.

Utilizam os bigodes para se orientar, portanto eles não devem ser cortados.

Verdade. Os bigodes de animais noturnos, como os dos pequenos roedores, influenciam no comportamento e funcionam como sensores extremamente sensíveis, visto que, seus olhos não são muito bons para enxergar.

Hamsters podem atrair ratos de rua.

Verdade. Os restos de alimentos que são derrubados para fora da gaiola dos roedores podem atrair animais cinantrópicos, como: ratos, ratazanas e camundongos. Cheiro de urina e hormônios também podem atrair esses bichos. Por este motivo, é importante a higiene diária dos utensílios e também de onde o hamster fica.

São animais que podem viver junto com outros.

Mito. Hamsters são animais solitários na natureza, não necessitam de companhia. Eles são muito territorialistas, e só aceitam outro roedor quando vão acasalar. Com outras espécies, como cães e gatos, é recomendado cuidado, pois esses pets são predadores e podem atacar o hamster.




    Veja Também

      Mostrar mais