Tamanho do texto

Por mais estranho que pareça, existem casos de comportamento canibal na espécie e os motivos que levam a isso são variados

Os hamster são de longe um dos animais fofos. Não é à toa que estão entre os bichinhos de estimação mais populares. Além da aparência encantadora, esses roedores são excelente companhia para qualquer pessoa. Porém, eles também têm seu lado obscuro: você sabia que os filhotes de hamster podem ser comidos pela própria progenitora?

Leia também: Saiba quais cuidados que se deve ter com um hamster

Esse assunto é bastante delicado e muitos não acreditam, afinal, como pode um animal tão fofo fazer isso com os próprios filhos. Mas sim, existem casos de comportamento canibal na espécie, sendo relativamente comum encontrar os filhotes de hamster sendo comidos pela mãe. Apesar de ser inadmissível entre os humanos, o canibalismo não é algo restrito dos roedores. 

Tal fenômeno, inclusive, tem sido alvo de muitos estudos científicos por causa das inquietações que nos provoca. Os resultados das pesquisas não serviram para estabelecer uma causa clara, mas ajudam na criação de diferentes teorias para tentar explicar os motivos desse comportamento. Descubra as possíveis razões que levam a fêmea a agir assim e saiba como evitar. 

Motivos que fazem a fêmea comer os filhotes

Existem casos de comportamento canibal na espécie, sendo relativamente comum encontrar os filhotes de hamster sendo comidos
reprodução shutterstock
Existem casos de comportamento canibal na espécie, sendo relativamente comum encontrar os filhotes de hamster sendo comidos

Primeiramente, entenda que esse fenômeno é habitual e "normal" entre a espécie. Nem sempre a progenitora faz isso após o parto, apesar de acontecer com maior frequência. Após muitas pesquisas, concluiu-se que existem várias razões que motivam o canibalismo. 

Pode ser que o filhote nasceu com alguma anomalia e a mãe deseja garantir que apenas as crias fortes sobrevivam. Ocorre, também, dos bebês serem tão frágeis e incapazes de desenvolver que a fêmea recorre ao canibalismo

Leia também: O hamster está entre os animais de estimação mais indicados para crianças

O estresse também é um grande motivador desse fenômeno. A presença do macho na jaula pode deixar a mãe tão nervosa que acaba ingerindo a cria. O mesmo acontece quando dá a luz a uma ninhada muito grande, fazendo-a eliminar dois ou três filhotes para se sentir mais capacitada a cuidar dos hamsters restantes. 

Quando a mãe está muito fraca graças ao parto, pode ser que utilize um dos filhotes para obter os nutrientes necessários. Por fim, se alguma cria nasce longe do ninho, existe a chance dela não reconhecê-lo, então o come porque considera apenas uma boa fonte de alimento. 

Formas de evitar o canibalismo

O estresse também é um grande motivador desse fenômeno. A presença do macho na jaula pode deixar a mãe tão nervosa que acaba ingerindo a cria, por isso é bom separá-los
reprodução shutterstock
O estresse também é um grande motivador desse fenômeno. A presença do macho na jaula pode deixar a mãe tão nervosa que acaba ingerindo a cria, por isso é bom separá-los

Se sua hamster está grávida, saiba que nem sempre dá para evitar que ela coma os filhotes. Porém, existem algumas dicas que irão minimizar as chances de que isso aconteça. A primeira recomendação é retirar o macho da jaula logo que os filhotes nascerem. Assim você evitar que a mãe fique estressada. 

Coloque a gaiola com a progenitora e as crias num local tranquilo, onde tenha pouco barulho e pouquíssimas pessoas passem perto. Reduza a quase zero a interação com os roedores durante os primeiros dias. Você só deve chegar perto para proporcionar alimento e água. Inclusive, deve ter comida disponível para a fêmea 24 horas.

A dieta dela deve ser composta principalmente de proteínas. Uma dica é oferecer um ovo cozido por dia. É muito importante levar a futura mamãe ao veterinário antes do parto para verificar seu estado de saúde e saber quais alimentos oferecer durante essa fase.

Leia também: Saiba quais são os alimentos proibidos para um hamster

Por último, evite ao máximo tocar nos filhotes de hamster antes de completarem 14 dias de vida. Se ficarem com seu cheiro, existe a chance de mãe rejeitá-las e comê-las. Todos os cuidados valem a pena se deseja evitar o canibalismo na família de roedores. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.