Durante o período de  quarentena causado pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2), os casos de violência doméstica aumentaram. Mulheres, crianças, e idosos, principalmente, estão sofrendo com seus agressores em casa e, com os animais de estimação, isso também acontece.

Leia também: Música, TV e outras dicas para ajudar a manter a saúde mental do pet

quarentena
shutterstock
Denúncias de maus-tratos contra animais sobem mais de 10% durante quarentena em São Paulo


O Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMVSP) divulgou dados de denúncias de maus-tratos contra animais , que tiveram aumento superior a 10% se comparados com a mesma data em 2019. No início do ano passado, os números eram de 4.108 denúncias. Agora, em 2020, este número é de 4.524 denúncias. 

Os agressores de animais, muitas vezes, não param por aí. É o que fala a Teoria do Elo, criada há mais de 50 anos nos Estados Unidos. Esta teoria diz que os autores de crueldade contra animais são potenciais agressores/abusadores de pessoas. 

A Teoria do Elo foi comprovada em um estudo de Tália Missen Tremori, médica veterinária da Comissão Técnica de Medicina Veterinária Legal (CTMVL) do CRMVSP. Segundo Tália, um terço das mulheres vítimas de violência doméstica confirmaram que seus pets já haviam sofrido maus-tratos por seus agressores. 

Por isso, é sempre necessário ficar atento aos pequenos sinais. "Já fiz atendimentos clínicos em que a tutora relatou que seu parceiro foi o autor da agressão contra o animal . Frequentemente, esse cônjuge pratica essa violência como forma de ameaça e agressão psicológica à mulher, o que já configura um contexto de violência doméstica", diz Tália. 

E não são apenas os sinais físicos que demonstram que seu pet está sendo maltratado. Mudanças de comportamento como agressividade e medo podem indicar que o animal sofre violência. A reação do bicho na presença do agressor também pode ser um sinal do que está acontecendo. 

Leia também: Após dois meses de quarentena, mula reencontra dono e se emociona

Como avaliar fisicamente se o pet está sofrendo maus-tratos

O Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo disponibilizou um guia online para que os donos possam identificar agressões em seus animais. Para visualizar, basta clicar aqui . Se você conhece casos de violência contra pets, pode denunciar ao  Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (Depa) .

De qualquer forma, é muito importante interromper o ciclo de maus-tratos assim que forem identificados, seja denunciando, ou levando seu pet ao veterinário, para que as medidas cabíveis sejam tomadas.

    Veja Também

      Mostrar mais