Com o crescimento dos casos confirmados do novo coronavírus no Brasil muitas atitudes estão sendo tomadas. A recomendação é que as pessoas fiquem em casa para evitar a proliferação do Sars-Cov-2. Diante do fechamento de vários estabelecimentos e suspensão de serviços, como  restaurantes sem funcionar no Rio de Janeiro  e  suspensão temporária do serviço de transporte público municipal em sete cidades  de São Paulo, muitos donos de animais estão se perguntando se haverá atendimento veterinário para seus pets caso necessário. 

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) recomenda que o atendimento em clínicas e hospitais veterinários funcionem normalmente. "Assim como os profissionais de saúde, os veterinários estão autorizados, por enquanto e até segunda ordem, a manter o atendimento. Isso pode variar de uma região para outra do país e os profissionais devem sempre observar e respeitar as restrições determinadas pelas autoridades locais", comunicou o órgão. 

gato em atendimento veterinário arrow-options
Shuttersock
Gato em atendimento veterinário

Leia também: Como entreter o cão dentro de casa durante a quarentena do coronavírus

Para manter o atendimento e evitar ao máximo a proliferação do coronavírus, a recomendação é que apenas um dono acompanhe o animal na consulta, evitando a aglomeração de pessoas nas clínicas e pet shops. Além disso, recomenda-se que os tutores evitem visitar os animais internados e reprogramem serviços e consultas que não são de urgência ou emergência. Conforme determina o Código de Ética do médico-veterinário, consultas a distância continuam proibidas. 

Durante o período de crise do coronavírus, a higine deve ser redobrada. O CFMV recomenda que o recinto seja limpo a cada atendimento, dando atenção especial para mobiliários e utensílios que tiveram contato direto com o animal ou com o tutor. Os veterinários devem  lavar as mãos e os antebraços com água corrente e sabão, antes e após os atendimentos. 

Leia também: Morre cão que testou positivo para coronavírus em Hong Kong

Vale lembrar que não é comprovado que os animais de estimação ficar doentes ou transmitir o novo coronavírus. Mesmo assim, por cautela, a recomendação é de que as pessoas infectadas evitem o contato com seus cães e gatos. 




    Veja Também

      Mostrar mais