Hoje (14), é celebrado o Dia Nacional dos Animais , que estão cada vez mais presentes nas residências brasileiras - já são 139,3 milhões. Porém, a forma como a saúde deles e levada em conta por alguns donos tem preocupado veterinários. Uma pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto QualiBest mostrou que 34% dos donos de cães e 43% dos donos de gatos levam o pet ao veterinário menos de uma vez por ano ou sem frequência. Tal comportamento pode ser considerado uma negligência, afinal, a medicina veterinária preventiva melhora a qualidade de vida dos pets e prolonga a expectativa de vida deles. 

cachorro no veterinário arrow-options
Shutterstock
Levar o animal ao veterinário regularmente para fazer exames preventivos pode prolongar a vida dele

Ao procurar o veterinário apenas quando o animal apresenta sintomas, a oportunidade de descobrir doenças graves e silenciosas no início é perdida. Natália Gouvêa, veterinária da clínica Soft Dogs e Cats, dá como exemplo os tumores malignos. "Eles são silenciosos. Geralmente, os sintomas começam a aparecer quando o órgão já está tomado pelo tumor. Se for descoberto no início, o prognóstico é ótimo, mas em grau avançado o tratamento é difícil, até cirurgicamente falando. Isso porque o tumor pequeno pode ser retirado, o grande a primeira escolha é a quimioterapia para diminuí-lo." 

Doenças renais e hepáticas são outras que podem ser revertidas quando descobertas com antecedência. "O paciente renal tem uma doença progressiva, que se descoberta no início, às vezes nem medicação precisa. Mudanças de alimentação e hábitos já podem resolver o problema. Porém, quando crônica é irreversível. As doenças hepáticas seguem na mesma linha", afirma a veterinária. 

Leia também: Março Amarelo: Doenças renais podem levar seu pet ao óbito

gato no veterinário arrow-options
shutterstock
Gatos também precisam ir regularmente ao veterinário

Dessa forma, fica claro que levar o animal para consultas preventivas apenas quando há um problema aparente pode ocasionar pouca qualidade de vida e até morte. Além disso, os gastos financeiros do dono quando uma doença é descoberta de forma tardia são muito maiores. 

A recomendação de Nathália é que para os cães de porte pequeno de até 8 anos e os de porte grande de até 6 anos, a consulta veterinária preventiva seja feita uma vez por ano. A partir dessas idades, para ambos os tamanhos, as visitas ao profissional devem ser anuais. Com os gatos é a mesma lógica: uma consulta anual até a idade adulta (até os 7 anos) e semestral quando idoso

Outros pontos importantes dos cuidados com animais que não devem ser nigligenciados pelos donos são banhos, vacinação, vermifugação, anti-pulgas e escovação dentária (principalmente para cães). A posse responsável é muito importante para a saúde e bem-estar do cachorro e do gato. 


    Veja Também

      Mostrar mais