Uma pesquisa recente realizada pela Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia, com apoio da Mars Petcare , mostrou que um em cada quatro cães tem fraturas dentárias causadas pela mastigação de brinqudos e petiscos muito rígidos. A consequência disso é muita dor no dente, mas a maioria dos donos de cães com o problema não souberam identificá-lo. 

Além das fraturas, a dor de dente em cães pode ser causada por doenças como gengivite, tártaro e periodontite. Uma das semelhanças entre as causas é a falta de percepção ou conhecimento do dono. Porém, basta dizer que o incômodo sentido pelo animal é semelhante ao que os humanos sentem quando estão com algum problema no dente, para evidenciar a importância da atenção e cuidado com a situação. 

dente arrow-options
Shuttersock
A dor de dente em cães é muito comum e pouco percebida

Livia Romeiro, veterinária do Vet Quality Centro Veterinário 24h, lista os principais sinais dado pelo animal que os donos precisam se atentar. Qualquer um, mesmo que isolado, é motivo para consulta com um veterinário de confiança. 

  • Vermelhidão na gengiva;
  • Presença de placas ou furos nos dentes;
  • Diminuição do apetite;
  • Emagrecimento;
  • Recusa de comidas muito duras;
  • Parecer estar tentando tirar algo da boca com a pata;
  • Mau hálito;
  • Inchaço nas bochechas;
  • Sangue nos alimentos ou nos brinquedos;
  • Mastigação apenas de um lado da boca;
  • Saliva mais grossa (por vezes com a presença de sangue);
  • Relutância com carinhos próximos da boca.

Além de conhecer os sinais da dor de dente em cães, também é importante estar por dentro das causas principais. As fraturas nos dentes, normamente resultado de mastigação de brinquedos ou petiscos muito rígidos, deixam estruturas internas, como raíz e nervos, o que contribui para o aumento de infecções e dores. 

A gengivite é a inflamação da gengiva, causada principalmente pelo acúmulo da placa bacteriana na região de junção entre os dentes e a gengiva. Seu principal sintoma é a vermelhidão excessiva na área e, quando não tratada, pode evoluir para  o tártaro e depois para a periodontite, caracterizadas pela perda dos tecidos da sustentação dos dentes e até presença de bactérias da boca na corrente sanguínea, o que pode afetar os órgãos do pet. 

A boa notícia é que todos esse problemas podem ser evitados. Para as fraturas, basta evitar brinqudos e petiscos muito duros, como os cães não têm noção da rigidez, vale a regra: se o dono acha que é muito duro, é porque é. Já para as outras doenças, a veterinária Cinthya Ugliara, veterinária da Petland da  Dra Mei, afirma que a escovação dentária é a melhor forma de prenveção. 

cachorro escovando os dentes arrow-options
shutterstock
Escovar os dentes é a melhor forma de prevenção

"Os cremes dentais para pets podem conter enzimas que auxiliam na degradação do filme bacteriano, que é um estágio anterior a placa bacteriana e, ainda, pode ser removido por meio da escovação dos dentes. A atividade deve ser realizada com escova de cerdas macias ou gaze. O esforço compensa a longo prazo, desde que o tutor mantenha esta rotina com seu pet", afirma Cinthya. 

O melhor tratamento para cada situação deve ser indicado pelo veterinário. Os mais utilizados são limpeza do tártaro por raspagem dos dentes, o que deve ser feito por um cirurgião, e extração dos dentes mais afetados. 

    Veja Também

      Mostrar mais