Tamanho do texto

Algumas doenças, assim como certas mudanças de hábitos podem gerar falta de apetite e baixa ingestão de comida nos pets

Assim como é muito fácil os pets ganharem peso , devido aos exageros nos biscoitinhos ou por ter algum problema de saúde, o contrário também é possível. Seja por falta de apetite ou por conta de alguma doença, um gato ou cachorro magro em excesso merece atenção e cuidados especiais. E a maior dúvida dos tutores geralmente é: mas se o pet come da mesma forma, por quê ele apresenta sinais de magreza ? Tudo isso precisa ser esclarecido. 

+Descubra o que você deve fazer se seu cachorro não come ração

8 possíveis causas e como ajudar um gato ou cachorro magro demais
Reprodução/ Shutterstock
8 possíveis causas e como ajudar um gato ou cachorro magro demais

Antes de tomar qualquer atitude ou desesperar-se, é preciso entender os motivos da mudança de peso de um dia para outro e encontrar meios de ajudar o bichinho. Muita gente acha que ao ver o cachorro magro , por exemplo, é sinal de saúde, mas tudo tem limite. Costelas aparentes e fraqueza sinalizam uma possível complicação. Por isso, confira alguns fatores influentes nesse processo, como combatê-los e preveni-los.

Parasitas

Apesar de hoje em dia já haver várias vacinas para cachorros e gatos próprias para prevenir os parasitas, ainda podem estar sujeitos à contaminação. Nem todos os produtos são totalmente eficazes no combate aos vermes e o cuidado deve ser redobrado - em especial quando o pet está ao ar livre e exposto a ambientes desconhecidos.

O pet é afetado quando ingere água ou alimentos contaminados. O resultado normalmente é vomitar ou ter diarreia, perdendo bastante líquido, o apetite e consequentemente nutrientes e peso, dependendo da gravidade. Mas esse problema é mais comum em cães em comparação aos felinos. 

Leve imediatamente o pet ao veterinário, que provavelmente vai prescrever vermífugos ou até cosméticos naturais , na intenção de prevenir outras ocorrências. 

Problemas nos dentes prejudicam a mastigação e à má alimentação
shutterstock
Problemas nos dentes prejudicam a mastigação e à má alimentação

Problemas dentais

Se um animal tem complicações nos dentes, como doenças periodontais , tártaro ou até a falta deles, a mastigação com certeza fica prejudicada. Ao sentir dor a reação do pet é parar de comer ou diminuir consideralvemente, às vezes a ponto de emagrecer muito. A boa notícia é que pode ser um problema fácil de resolver. 

Estresse

Pouca gente dá atenção a esse fato, mas é importante prestar atenção em um gato ou cachorro estressado . Normalmente eles desenvolvem sinais de ansiedade, tédio e apatia - ou, do contrário, ficam agressivos e ariscos até com quem já conhecem. Aos poucos tendem a perder a vontade de comer e o peso. 

Ajudar um pet nessas condições é relativamente fácil, tente saber o motivo do estresse e demonstre sempre carinho. Procure passar mais tempo perto do animal e passar segurança para ele. O veterinário pode dar boas dicas de como melhorar a qualidade de vida do pet. 

Ração nova

Mudar a ração do pet exige uma certa adaptação e leva um tempo até ele gostar ou passar a aceitar. É importante ter paciência e fazer essa troca aos poucos, de preferência misturando a antiga com a nova. Se o animal rejeita o tempo todo a comida provavelmente vai começar a emagrecer. Mas essa questão é fácil de resolver também juntando um pouco de ração úmida junto à seca, tornando mais apetitoso. 

Outro fato que poucos percebem é a quantidade de calorias presente em um pacote de comida para animais. Muitos tutores trocam a ração, mas a nova passa a ser 20% menos calórica. Por isso, apesar de oferecerem o mesmo tanto de alimento, ocorre a perda de peso.

+Rações ajudam na dieta para cães e combatem a obesidade canina

Doença cardíaca, periodontal ou renal são algumas causas da magreza em pets
Reprodução/ Shutterstock
Doença cardíaca, periodontal ou renal são algumas causas da magreza em pets

Doença renal

Os rins são órgãos relativamente vulneráveis quando o assunto é saúde. A magreza é um dos sinais da doença renal, mas só surge depois de estar no estágio avançado. Por isso, se você levou o pet no veterinário atualmente, provavelmente ele já está doente há um certo tempo. 

Nesse caso os principais sintomas são: urinar em excesso e constantemente e sentir sede o tempo todo, mesmo estando hidratado.

Doença cardíaca

Pois é, assim como no caso da doença renal, o problema no coração do pet tem por consequência uma diminuição súbita no peso, em especial quando no estágio avançado. Porém, muitos se perguntam "mas por quê a balança está apontando um valor maior no peso do pet?", a causa é o inchaço.

Ele camufla o efeito da enfermidade e na verdade pode se tornar uma complicação ainda maior: a pessoa começa a oferecer ração para sobrepeso, quando na verdade a questão é o oposto. 

Se o pet apresentar sinais de problemas no coração , consulte rapidamente um veterinário e não tome medidas antecipadas sem a devida indicação. E lembre de deixar a comida do pet doente em um pote diferente dos demais, para evitar qualquer contaminação. 

Hipotireoidismo em gatos 

Assim como ocorre em cães e com seres humanos, alguns felinos podem ter hipotireoidismo - uma disfunção da glândula tireoide, responsável pela produção de vários hormônios e pelo equilíbrio metabólico. O resultado em gatos é diferente, porque em vez de ganhar peso, como é o caso de cachorros, eles ficam mais magros - apesar de comerem de forma excessiva e estarem com sede o tempo todo. 

+Fique atento às principais doenças de gatos

Falta de apetite e vômito podem causar perda de peso nos pets
Reprodução/ Shutterstock
Falta de apetite e vômito podem causar perda de peso nos pets

Câncer

O câncer do intestino é um dos mais perigosos e costuma afetar mais os cães idosos do que bichanos. Os sintomas incluem dor abdominal, vômito e falta de apetite. Mas qualquer outro tipo de tumor também gera perda de peso, apesar de esse ser um dos mais graves e depender de tratamento rápido e eficaz.

Não tem exatamente como evitar essa doença, mas se for descoberta ainda nos primeiros estágios o pet tem maiores chances de se recuperar e curar-se totalmente, sem necessariamente o tratamento quimioterápico. 

+A importância do autoexame para identificar o câncer de mama em cães e gatos

Sempre que notar sinais de fraqueza, costelas aparecendo ou que podem ser sentidas em um toque, leve o pet ao veterinário e cuide sempre da alimentação e dos hábitos cotidianos dele. Quando o assunto é saúde, todo cuidado é pouco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.