Tamanho do texto

A acne canina existe; saiba como lidar com essa situação

Quem é ou já foi adolecente sabe muito bem o pesadelo que as espinhas são - e como é trabalhoso cuidar delas. E não bastesse elas infernizarem a vida de jovens do mundo inteiro, ela também ataca seus bicinhos de estimação. Sim, a acne canina é uma realidade e é mais comum do que você acha. 

Cachorros com pelagem curta têm maiores chances de sofrerem com a acne canina
Reprodução/Pinterest
Cachorros com pelagem curta têm maiores chances de sofrerem com a acne canina

Assim como em humanos, os cachorros são vítimas da acne canina mais frequentemente durante a sua "puberdade", período que ocorre entre os três e 12 meses de idade. A infecção de pele também ocorre com mais frequência em raças com pelos mais curtos, como bulldogues e dobermans.

Leia mais:  Tratamento com homeopatia para animais é eficaz e não possui efeitos colaterais

A principal razão do surgimento das espinha são as alterações hormonais que ocorrem nessa fase, mas, embora não seja muito comum, mesmo assim é possível o aparecimento de uma espinha ou outra em cães mais velhos, já em idade adulta.

Regiões afetadas

As principais regiões afetadas pela acne são o queixo, a pele ao redor dos lábios e, em casos mais raros, o focinho. Ela pode se manifestar em uma ou outra "bolinha" ou então em vários nódulos inflamados e pústulas - que são as "bolinhas" amareladas e cheias de pus.

Em casos extremos, pode levar ao inchação da região da boca dos bichinhos
Reprodução/Pinterest
Em casos extremos, pode levar ao inchação da região da boca dos bichinhos

Quando se apertem as lesões, elas expelem o pus e um pouco de sangue. Em alguns casos, os nódulos apresentam um material preto, que se assimila a um pelo duro. Em situações mais graves, tanto os lábios e o queixo do animal ficam bastante inchados e doloridos, causando desconforto para o pet.

Como tratar

A acne na sua forma mais leve e com poucas lesões desaparece naturalmente com o passar do tempo. O único cuidado necessário é a constante limpeza do local, se utilizando de antissépticos e de drenagens das pústulas, quando necessário.

Em casos mais brandos, aparecem poucos nódulos na região do queixo
Reprodução/Pinterest
Em casos mais brandos, aparecem poucos nódulos na região do queixo

Em casos extremos, como quando há múltiplas lesões e inchaço total, é preciso o uso de antibiótios por via oral, antissépticos e pomadas especiais.

A doença também se manifesta em gatos, mas neste caso não há limite de idade para ela aparecer. Nestes casos, a limpeza diárias da região bocal nos felinos mais propensos já dá conta do recado.

Leia mais:  Cachorro com focinho inchado? Saiba as causas e como tratar

Apesar do cuidado ser simples, e não haver complicações muito sérias vindas da acne canina, e felina, é sempre indicado procurar a ajuda profissional antes de qualquer coisa. Cabe ao médico veterinário, e não ao dono do pet, identificar se as marcas no bichinho são espinhas ou alguma outra doença de pele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.