Veterinários especialistas e donos de cães que fazem tratamento com homeopatia estão muito satisfeitos com o resultado

Um tratamento largamente utilizado na medicina humana, a homeopatia para animais é uma terapia que trata não só os sintomas da doença, mas o indivíduo como um todo, ou seja, corpo, mente e energia vital. Muitos ainda desconhecem a aplicação dele em animais, mas é tão antigo quanto em seres humanos e pode ser utilizada em qualquer tipo de doença.

A homeopatia para animais tem se mostrado um tratamento eficaz
Reprodução
A homeopatia para animais tem se mostrado um tratamento eficaz

Em cães, a homeopatia para animais tem sido introduzida aos poucos, especialmente por donos que já fazem uso da terapia e conhecem sua eficácia. Segundo Charlotte Ritschel, veterinária especialista, não é preciso que o animal apresente algum tipo de enfermidade para dar início ao tratamento, já que ele também serve como prevenção. “Na maioria das vezes, durante a consulta, podemos achar doenças crônicas. Geralmente, o dono não acha que é sintoma e trata como normais casos como vômitos ou diarreias ocasionados de vez em quando, ou ainda o fato de o cão ter medo de aspirador”, explica.

Os medicamentos usados na terapia são específicos para cada paciente, dependendo exclusivamente das necessidades do animal, de caso a caso. A homeopatia para animais trata qualquer doença não cirúrgica e ainda com a vantagem da inexistência de efeitos colaterais num momento tão delicado. Segundo Charlotte, cinco cães com diagnóstico de cinomose podem receber diferentes tipos de medicação, pois cada um terá seus sintomas particulares.

Costuma-se dizer que a homeopatia não trata as doenças, mas sim os doentes. Isso porque quando ocorre o desequilíbrio da energia vital, os seres ficam mais suscetíveis a diversos tipos de doenças. O tratamento homeopático visa o equilíbrio dessa energia, fazendo com que o animal reaja à doença, promovendo a cura. Nesse processo, os sintomas são tratados a partir dos órgãos mais importantes para os menos importantes, de forma gradativa e permanente. “Não tratamos apenas a queixa principal, conseguimos restabelecer o equilíbrio do organismo. O cão vem com problemas de alergia e acabamos curando também o medo, a secreção nos olhos, entre outras disfunções”, ressalta a especialista.                                                                                  

Vale lembrar que só é considerado medicamento homeopático a substância diluída e dinamizada vinda dos reinos animal, vegetal ou mineral, diferente da fitoterapia, cujo medicamento é feito à base de plantas. “A única desvantagem da homeopatia na veterinária é que os animais não podem nos contar seus sintomas como, por exemplo, uma dor de cabeça, que é localizada nas têmporas”, diz Charlote, explicando que o mecanismo de ação do remédio homeopático ainda não foi descoberto, mas pode-se dizer que por um estímulo medicamentoso esse mecanismo faz com que o organismo reaja, voltando ao equilíbrio.

Problemas de saúde como alergias são corrigidos através da homeopatia
Reprodução Pinterest
Problemas de saúde como alergias são corrigidos através da homeopatia

Não existem doenças específicas em que a homeopatia para animais aja com maior eficácia. O bom resultado do tratamento depende basicamente do animal e do contexto em que ele vive. A ação da homeopatia vai depender do tipo de doença, se ela é crônica ou aguda. Uma doença aguda, por exemplo, pode ser curada rapidamente. De acordo com Charlote, no momento da administração do remédio já pode haver a melhora. “Houve um cão que chegou apresentando vômitos com sangue, pupilas dilatadas e agitação. Trinta minutos após a medicação estava calmo, depois de 2 horas se alimentou e, no dia seguinte, já estava correndo e brincando”, lembra.

Já em casos de doenças crônicas como medo, depressão e diarreias frequentes, o processo pode ser um pouco mais lento, pois o organismo deve retomar seu equilíbrio pela cura e não pela supressão dos sintomas. Embora o tratamento homeopático possa ser iniciado a qualquer momento, os melhores resultados são obtidos quando o animal não recebeu nenhum tratamento convencional anteriormente. “Muitas vezes, o cão é trazido após anos de aplicação de corticosteroides, o que pode ocasionar uma demora maior na resposta ao tratamento”, justifica.

Quem usa homeopatia para animais aprova

A empresária Lúcia Kalil com Buffy que possui anos de tratamento homeopático
Reprodução
A empresária Lúcia Kalil com Buffy que possui anos de tratamento homeopático

Quem já experimentou os benefícios da terapia, dificilmente abre mão das vantagens que ela proporciona. A empresária Lúcia Kalil decidiu tratar a sua Bichon Frisé, Buffy, apenas com homeopatia por considerar a terapia rápida e eficaz. Buffy fazia uso da medicina veterinária alopática e homeopática em conjunto, até ser diagnosticada, aos 4 anos de idade, com enterite linfoplasmocitária, uma doença autoimune tratada apenas com cortisona. “Fiquei impressionada com o efeito do tratamento homeopático, principalmente quando ela entrava em crise com enjoo e diarreia com sangue. O efeito era imediato. Após 1h da primeira dosagem, Buffy já tinha sarado”, relata. Com o tratamento contínuo, ela se tornou uma cadela saudável e feliz. Hoje, a Bichon Frisé faz uso somente de medicamento homeopático e passa por consultas mensais.

Marli Hurtado Romera e Mirian Hurtado Majovski fazem uso da homeopatia veterinária em seus animais de estimação há anos. Segundo elas, tanto os cães Lulu e Tiffanny quanto as gatas Batatinha e Naná respondem muito bem à terapia. “É menos agressiva e trata também o emocional deles”, diz Mirian, fazendo uma comparação com a alopatia. Marli explica que optou pelo tratamento em seus pets por também utilizá-la e acreditar em sua ação terapêutica.

Embora já tenham feito uso da medicina veterinária convencional, e façam ainda hoje quando necessário, o uso da homeopatia para animais foi fundamental para que Lulu, diagnosticado com Lupus – doença autoimune, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico, se mantivesse saudável. “O tratamento por alopatia, de acordo com a veterinária, seria muito agressiva para ele”, justifica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.