Tamanho do texto

Exames devem ser feitos antes da vacinação para que a escolha do tipo de vacina seja a correta

Ter uma gata prenha ou adotar um filhote de gato são situações que requerem alguns cuidados importantes , muitas vezes esquecidos pelo tutor. Acompanhamento pré-parto, comida certa, vacinas e socialização são pontos que devem receber uma atenção especial para que o animal tenha uma boa qualidade de vida. 

Leia também: Não faça carinho na barriga do gato! Entenda o porquê

filhote de gato andando arrow-options
shutterstock
É preciso socializar os filhotes de gato da forma correta para evitar traumas irreversíveis


A veterinária Carolina Ferreira, do Hospital Cão Bernardo, pontua os principais cuidados para se atentar quando o assunto é filhotes de gato . Confira:

  1. Durante a gestação é preciso levar a gata ao veterinário, principalmente ao completar 60-65 dias, para verificar se o parto será normal ou cesárea. Algumas vezes os filhotes precisam de intervenção cirúrgica para nascer.
  2. Deixar os recém-nascidos perto da mãe, sem encostar neles e sem perturbá-la é importante para a recuperação pós-parto. “A mãe é responsável por alimentá-los, e se isso não acontecer, o tutor precisa optar pela fórmula de leite”, alerta a veterinária.
  3. Depois de algumas semanas, leve os filhotes ao veterinário para testá-los para duas doenças. “Temos que testá-los para as temidas Fiv/Felv, pois a partir disso poderemos pensar em um protocolo de vacinas para o pet”, afirma. A primeira se refere ao vírus da Imunodeficiência Felina, e a segunda ao vírus da Leucemia Felina.
  4. Assim que o resultado do teste estiver disponível, está na hora de decidir junto ao veterinário de confiança as vacinas que o felino irá tomar. “No mercado temos a tripla, quádrupla e quíntupla e o teste ajuda nessa escolha”, explica Carolina.
  5. Junto com as vacinas chega a hora do vermífugo. “Escolher um princípio ativo e protocolo de vermifugação adequado faz toda a diferença, já que isso também influência na imunidade dos gatos”, completa.
  6. Na hora de acostumar o novo membro da família aos animais já existentes na casa é preciso muito cuidado, principalmente se forem outros gatos. “A adaptação tem que ocorrer de forma tranquila e gradativa, porque podemos criar traumas irreversíveis, tornando o filhote, por exemplo, em um gato pouco sociável”, alerta.
  7. Na alimentação é preciso que o tutor ofereça os sachês de comida molhada desde cedo. “Assim conseguiremos enriquecer a ingestão hídrica já que os gatos não costumam beber água”, explica. Para estimular ainda mais o pet a ingerir água, Carolina dá uma dica importante. “Coloque fontes de água para acostuma-los desde cedo a beber muita água, minimizando os riscos de problemas urinários e renais que são comuns em felinos”, completa.
  8. Como os gatos fazem suas necessidades na caixa de areia por instinto, a veterinária aconselha a ter mais de uma espalhada pela casa, principalmente se o tutor tiver mais de um bichano. “Tem que ser mais de uma caixa para cada gato.”
  9. Por fim, um dos cuidados mais importantes, tanto para filhotes, quanto para adultos, é telar janelas e sacadas. “Felinos são curiosos e exploradores por natureza, e muitos acidentes podem ocorrer se não tomarmos o devido cuidado, ainda mais com filhotes que são pequenos e arteiros”, finaliza.