Tamanho do texto

O tratamento utilizando soro fisiológico por via oral é recomendado em casos simples de desidratação

Quando o pet elimina mais líquido do que ingerido dizemos que está sofrendo de desidratação. Essa condição pode ser motivada por diversas situações e é extremamente perigosa. A falta de água no organismo coloca a vida do peludo em perigo, precisando de atendimento médico imediato. É importante que os donos aprendam a identificar os sinais dados por um animal desidratado. 

Leia também: Seu pet está com desidratação? Confira o que fazer

Esse problema ganha maior relevância durante o verão, já que a perda de líquidos se intensifica graças às altas temperaturas. Em geral, vômitos e diarreia são os principais responsáveis por um animal desidratado , mas febre, exposição prolongada ao sol e a ingestão de líquidos insuficientes também estão entre as causas. 

Em geral, vômitos e diarreia são os principais responsáveis por um animal desidratado
reprodução shutterstock
Em geral, vômitos e diarreia são os principais responsáveis por um animal desidratado

Os sintomas característicos dessa condição são perda de elasticidade na pele, gengivas secas, língua seca, falta de energia e ânimo, letargia, perda de peso, olhos secos ou saltados, batimentos cardíacos acelerados e respiração ofegante.

Uma forma de identificar desidratação é apertando as almofadinhas da pata. Se você pressioná-las e demorar um bom tempo para recuperar a cor normal, indica que há uma diminuição da irrigação sanguínea. Essa mesma dica vale para as gengivas. Após apertá-las de leve, verifique se demora muito para voltar ao tom avermelhado. 

Ao perceber a desidratação no bichinho, leve-o ao veterinário. O tratamento irá variar conforme a gravidade da condição. Em alguns casos é necessário recorrer a medicamentos, já em outros a fluidoterapia resolve. Nesse método é utilizada a administração de soro de forma intravenosa, subcutânea ou intraóssea.

Em geral, a fluidoterapia é adotada em casos mais simples. Deve ser feita de forma lenta e constante para evitar complicações em função da ingestão rápida de líquidos. Se o veterinário optar pelo tratamento oral, você mesmo pode administrar em casa o soro fisiológico. 

Leia também: Saiba como lidar com um cachorro vomitando sem sair de casa

Receita de soro caseiro

Em geral, a fluidoterapia é adotada em casos mais simples. Deve ser feita de forma lenta e constante para evitar complicações em função da ingestão rápida de líquidos
reprodução shutterstock
Em geral, a fluidoterapia é adotada em casos mais simples. Deve ser feita de forma lenta e constante para evitar complicações em função da ingestão rápida de líquidos

Produzir soro fisiológico caseiro é bem simples e conta com ingredientes fáceis de encontrar. Para a receita, separe:

  • 1 litro de água mineral natural
  • 1 colher de chá de sal
  • 3 colheres de sopa de açúcar
  • 1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • Suco de meio limão

Ferva a água numa panela e coloque-a ainda quente num recipiente adequado, de preferência vidro. Adicione todos os ingredientes e mexa bem com uma colher. Conserve na geladeira. Esse soro deve substituir a água do animal, não podendo ficar parado no potinho por mais de 24 horas. Caso ele não beba tudo, jogue fora e substitua por um novo. 

Se não quiser preparar a mistura em casa, procure em lojas de animais soros de reidratação oral apropriado para seu pet. Consulte o veterinário caso tenha dificuldades de encontrar. 

A importância de tratar a desidratação urgentemente

Não deixe de ir ao veterinário ao notar seu animal desidratado. Siga as recomendações do profissional e não deixe de fazer a reposição de fluidos
reprodução shutterstock
Não deixe de ir ao veterinário ao notar seu animal desidratado. Siga as recomendações do profissional e não deixe de fazer a reposição de fluidos

Quando um animal está perdendo parte dos fluídos corporais, consequentemente perde seus eletrólitos, que são minerais com carga elétrica presente no sangue. Eles são responsáveis por inúmeras reações químicas, sendo uma delas a regulação do pH. 

A perda de eletrólitos desencadeia um desequilíbrio ácido-base no pH, alterando também outras reações químicas. Como consequência, o organismo do bichinho pode entrar num estado grade de instabilidade, colocando a vida do animal em perigo. 

Leia também: Descubra como aumentar a imunidade canina e evitar problemas de saúde do pet

Portanto, não deixe de ir ao veterinário assim que notar seu animal desidratado . Siga as recomendações do profissional e faça a reposição de fluidos. Se o bichinho não beber o soro, volte à clínica o quanto antes para reidratá-lo através de outras vias.