Tamanho do texto

Além de provocar coceira e vermelhidão na pele, os insetos são os principais transmissores de doenças e devem ser repelidos

A chegada do verão alegra muitas pessoas, afinal é época de férias, calor, sol e piscina. Contudo, é preciso ficar atento também aos ricos ligados ao período, como a proliferação de insetos . Esse cuidado se estende também aos animais, que estão sujeitos, assim como nós, às picadas e às doenças transmitidas. Felizmente já existem repelentes de insetos para cães e gatos disponíveis para proteger os peludos.

Leia também: Você saberia o que fazer se o cão levasse uma picada de inseto?

Esse item extremamente necessário pode ser encontrado em grandes pet shops, sendo vendidos em diversos formatos. No entanto, você deve estar se perguntando: por que investir num repelente de insetos para cães e gatos se o pernilongo é inofensivo? A verdade é que uma picada pode provocar muito mais do que coceiras irritantes.

Os insetos são os principais transmissores de doenças e fazem isso através da picada. Muitos animais são contaminados dessa forma e o perigo é quando a patologia passa despercebida, como é o caso da dirofilariose. Transmitida por pernilongos comuns, é causada por um parasita que provoca o entupimento da cavidade cardíaca. Seu diagnóstico costuma vir só em estágio avançado. 

Além da dirofilariose, doenças que também são transmitidas por insetos (nesse caso mosquitos) são leishmaniose, berne e miíase. Outro problema que uma picada pode causar são alergias. Os sintomas variam muito, indo de coceira, dor e vermelhidão até um choque anafilático. É preciso tomar muito cuidado com os bichinhos alérgicos.

Para evitar que isso aconteça com seu bichinho, conheça os tipos de repelentes disponíveis e quando são indicados. A proteção é muito importante no combate a transmissão de doenças. 

Vacinas, o principal meio de proteção

O repelente de insetos para cães e gatos é um item indispensável para evitar picadas no verão
reprodução shutterstock
O repelente de insetos para cães e gatos é um item indispensável para evitar picadas no verão

As vacinas são o meio mais eficaz de prevenir doenças. Elas são capazes de combater os agentes patógenos, não colocando o bichinho em risco. Não deixe de vaciná-lo regularmente e seguir as recomendações médicas. Contudo, as vacinas não conseguem afastar os insetos. Isso é trabalho dos repelentes. 

Tipos de repelentes e quando usar

Não devemos usar repelentes tradicionais para humanos em animais, sejam eles de tomada, odorizadores, etc. Esses produtos contém substância que podem ser tóxicas se ingeridas
reprodução shutterstock
Não devemos usar repelentes tradicionais para humanos em animais, sejam eles de tomada, odorizadores, etc. Esses produtos contém substância que podem ser tóxicas se ingeridas

  • Spray

Muito parecido com os usados por humanos, o repelente em spray é feito com ingredientes atóxicos para os animais e repulsivo aos insetos, como citronela. Borrife em todo o corpo do pet diariamente, principalmente quando sair para passear ou brincar no quintal. Cuidado para não atingir olhos, boca e focinho.

Leia também: Seu gato se machucou em casa? Aprenda a realizar os primeiros socorros

  • Coleira

A coleira foi desenvolvida com inseticida em seu material, sendo capaz de afastar moscas, mosquitos, abelhas e outros insetos. A duração varia conforme o fabricante e é importante ser respeitada. Pode ser utilizada dentro e fora de casa. É recomendado associar o uso do repelente em spray e coleira em situações de maior exposição, como em viagens para praia ou campo. 

  • Pipeta

O funcionamento da pipeta é bem parecido com o da coleira: deve ser aplicado na nuca do bichinho a cada 30 dias para fazer efeito. Costuma ser tão efetivo quando os anteriores. É importante garantir que o pet não ingira ou lamba o produto durante a aplicação. 

  • Eletrônico

O repelente eletrônico precisa ser conectado à tomada para funcionar. Ele emite um potente ultrassom no ambiente para afastar os insetos, de forma segura e atóxica aos pets. Seu uso é indicado principalmente à noite, pois as janelas costumam ser fechadas e o repelente não se dissipa. Durante o dia recomenda-se o uso do spray ou coleira.

  • Odorizador

Esse modelo precisa ser espalhado pelo ambiente da casa para funcionar, servindo de aromatizante e repelente. Sua função é parecida com a do eletrônico, ou seja, protege o espaço e não o animal em si. Deve ser usado junto com a coleira ou spray.

  • Naturais

Fora os produtos vendidos em lojas, dá para apostar em itens naturais com função repelente. Aposte em óleo de citronela ou de eucalipto-limão que ajudam a espantar insetos. Consulte o veterinário antes para garantir que o bichinho não é alérgico.

Consultas médicas ajudam a detectar doenças rapidamente

O exame é fundamental para o diagnóstico e prescrição de remédios para prevenir contra a doença
reprodução shutterstock
O exame é fundamental para o diagnóstico e prescrição de remédios para prevenir contra a doença

Não se esqueça de levar o cachorro frequentemente ao veterinário para detectar doenças no estágio inicial. O exame é fundamental para o diagnóstico e prescrição de remédios para prevenir contra a patologia.

Leia também: Como proceder em caso de choque anafilático em pets?

Além disso, vale a pena ressaltar que não devemos usar repelentes tradicionais para humanos em animais, sejam eles de tomada, odorizadores, spray, etc. Esses produtos contém substância que podem ser tóxicas se ingeridas. A melhor opção é investir num bom repelente de insetos para cães e gatos. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas