Tamanho do texto

É preciso seguir alguns passos para que o resgate do animal seja feito da melhor e mais segura forma

Cães abandonados nas ruas é a realidade de muitos países. O principal motivo dessa situação é a irresponsabilidade das pessoas, que largam o bichinho quando se torna difícil cuidar dele. Por outro lado, tem crescido o número de pessoas que se organizam para resgatar cachorro de rua e encontrar um novo lar.

Leia também: Adotei um cachorro de rua, e agora?

Se você se comove com essa triste situação, saiba que também pode entrar para o time de resgatadores. Para isso, é preciso conhecer a melhor forma de ajudar o pet e como colocá-lo para adoção. Salvar um cachorro de rua necessita de passos importantes para que tudo seja feito da melhor e mais segura forma.

1º passo: Ganhe a confiança do cachorro de rua

Cachorro de rua costuma ser desconfiado com pessoas, por isso é importante ter cuidado e calma na hora da aproximação
Shuttersock
Cachorro de rua costuma ser desconfiado com pessoas, por isso é importante ter cuidado e calma na hora da aproximação

A gente não sabe pelo que o cachorro passou para se aproximar sem cuidado. Em geral, animais que vivem na rua foram maltratados, vivem machucados e provavelmente estão doentes. Isso faz com que o bichinho fique desconfiado e violento com pessoas, impedindo que você se aproxime facilmente. 

Dessa forma, é preciso paciência e calma. Tente se aproximar oferecendo comida, de preferência aquelas bem cheirosas e apetitosas. Jogue um pouco no chão e deixe que o pet coma por vontade própria. Fique sentado durante esse processo, pois essa posição te deixa menos ameaçador. 

Conforme o animal vai se aproximando de você e demonstrando confiança, tente acaricia-lo. Aos poucos coloque a guia em seu pescoço. Não insista se houver resistência, se não ele pode fugir ou até te atacar. Mas, se conseguir por, é uma grande vitória. 

No dia do resgate, lembre-se de ir preparado. Caso o animal seja de porte pequeno, tente colocá-lo dentro de uma caixa de transporte. Aos poucos, assim como fez com a guia. Procure ir de carro até o local, para transportá-lo de modo seguro. Leve também um coberto ou pano para cobrir e proteger a pele do bichinho caso esteja machucada. 

2º passo: Cuidados médicos

Saiba de antemão que irá gastar um bom dinheiro ajudando o bichinho. Cuidados médicos e uma cirurgia de castração não são baratos
reprodução shutterstock
Saiba de antemão que irá gastar um bom dinheiro ajudando o bichinho. Cuidados médicos e uma cirurgia de castração não são baratos

Animais de rua precisam urgentemente de cuidados médicos. Essa é a etapa mais importante do resgate. Tente levá-lo ao veterinário logo que for retirado das ruas. O médico irá avaliar as condições de saúde do animal, pesar, determinar uma idade aproximada, tratar possíveis doenças, vermifugar, desparasitar e dar as vacinas importantes. 

Leia também: Calendário e importância das principais vacinas para cachorro

É importante você anotar todas as informações passadas pelo veterinário, pois serão necessárias na hora da adoção. Lembre-se de guardar a carteirinha de vacinação e datas da vermifugação e desparasitação. 

Depois, castre o animal. Além de facilitar a adoção , é uma forma de contribuir para a saúde de bem estar dos pets em geral, pois estará evitando que os filhotes dele sejam abandonados no futuro. Por último, leve-o para tomar banho e tosar. 

Saiba de antemão que irá gastar um bom dinheiro ajudando o bichinho. Cuidados médicos e uma cirurgia de castração não são baratos. Você pode pedir ajuda monetária a amigos e parentes próximos. É uma forma de dividir os custos sem pesar para ninguém. Além disso, procure sempre ir a clínicas veterinárias e hospitais públicos ou aqueles com preços populares. 

3º passo: Procure um lar provisório

A dieta dos cães de rua num geral são sobras de alimento, por isso não é bom oferecer ração logo de cara. Será uma mudança muito brusca para o organismo
reprodução shutterstock
A dieta dos cães de rua num geral são sobras de alimento, por isso não é bom oferecer ração logo de cara. Será uma mudança muito brusca para o organismo

Antes de resgatar o pet, tenha em mente que precisará procurar um lar provisório. A melhor opção é sua casa, pois é em você que o animal confia. Caso não seja possível, leve até um amigo ou familiar confiável. O local escolhido não precisa de muita estrutura, basta ser coberto, com água e comida disponível, e ter cobertores e almofadas para ficar aconchegante. 

Alimente-o com comida caseira num primeiro momento, como carnes, legumes cozidos e verduras. No caso de filhotes umedeça com leite ou ofereça só o líquido que será suficiente. A dieta dos cães de rua num geral são sobras de alimentos, por isso não é bom oferecer ração logo de cara. Será uma mudança muito brusca para o organismo. 

Leia também: Os mitos e verdades sobre a castração

4º passo: Encontrando um lar permanente

Para encontrar um lar invista em feiras de adoção. Entre em contato com quem organiza e se informe sobre os procedimentos para participar
reprodução shutterstock
Para encontrar um lar invista em feiras de adoção. Entre em contato com quem organiza e se informe sobre os procedimentos para participar

Depois que o bichinho for tratado e encontrar um lar provisório, é hora de procurar uma família permanente. Antes de colocá-lo para adoção, certifique-se de que ele não está perdido. Animais assim costumam ser mais dóceis, podem se adestrados e ter uma aparência menos mal tratada. Verifique se ele possui uma coleira e pergunte pela vizinhança e nas redes sociais se alguém o está procurando. 

Se sua busca não der em nada, ele realmente não possui dono. Então, procure uma ONG ou um abrigo para te ajudar a encontrar um novo lar. Eles tem mais acesso a famílias que procuram por cachorros e irão auxiliar na divulgação. Porém, o indicado é que o bichinho fique no lar provisório durante esse período. As organizações estão sempre lotadas e dificilmente receberão mais um animal.

Outra opção é investir em feiras de adoção. Entre em contato com quem organiza e se informe sobre os procedimentos para participar. No dia, leve-o de banho tomado, tosado e com todas as informações de cuidados, como carteirinha de vacinação. 

Não deixe de divulgar a adoção em sites, nas suas redes sociais e em grupos específicos. Tire bastantes fotos do animal, descreva sua personalidade, comportamento e físico e informe sobre os cuidados que tomou. Com a velocidade da internet será bem fácil encontrar uma nova família. 

5º passo: Escolha a família com cuidado

É muito importante escolher a família com cuidado. Tem muitas pessoas que adotam sem pensar nas consequências e acabam abandonando o pet
reprodução shutterstock
É muito importante escolher a família com cuidado. Tem muitas pessoas que adotam sem pensar nas consequências e acabam abandonando o pet

É muito importante escolher a família com cuidado. Tem muitas pessoas que adotam sem pensar nas consequências e acabam abandonando o pet, e tudo que você não quer é que o cão volte para as ruas. Por isso, verifique as reais intenções dos futuros adotantes, conheça o local em que viverá e peça para assinar um termo de responsabilidade, para tornar oficial. 

Leia também: 10 motivos para adoção de cachorros

Tente não perder o contato da família, assim você pode verificar de tempos em tempo como está o animal. Todo tipo de precaução é válida para evitar que o bichinho se torne novamente um cachorro de rua .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.