Tamanho do texto

Por causa da curiosidade, os bichanos são os animais que mais correm o risco de serem envenenados

Todos os gatos têm algo em comum: a curiosidade. Vivem se enfiando em locais apertados, colocando a patinha em objetos estranhos e cheirando seus arredores. Isso, somado a agilidade e a capacidade de entrar em qualquer lugar, os deixa sujeitos a ingerir algo que não deveriam e sofrer envenenamento. Cabe aos donos ficarem muito atentos para isso não acontecer. 

10 alimentos proibidos para os gatos

Porém, nem sempre um gato se auto envenena. Existem muitas pessoas que são capazes de oferecer substâncias tóxicas ao bichano, seja para se livrarem dele ou para tentar resolver o problema do miado que atrapalha a vizinhança, por exemplo. Além disso, se o seu pet passa muito tempo na rua, é bom ficar de olho para ele não sofrer um  envenenamento .

Pensando nisso, surge a necessidade de saber como cuidar de um gato envenenado e evitar a sua morte. 

Os gatos são muito curiosos, por isso correm um risco maior de serem envenenados
reprodução shutterstock
Os gatos são muito curiosos, por isso correm um risco maior de serem envenenados

Produtos que causam envenenamento

Por causa da grande curiosidade, os felinos são os animais que mais correm o risco de serem envenenados. Eles estão mais expostos a perigos, já que passam muito tempos nas ruas vasculhando objetos ou alimentos que nem sempre lhes fazem bem. Para evitar que isso aconteça, é importante conhecer as principais substâncias que causam envenenamento: 

  • Remédios para humanos, como ácido acetil salicílico e paracetamol
  • Produtos de limpeza, como água sanitária e cloro
  • Inseticidas
  • Arsênico
  • Comida para humanos que são proibidas para gatos, como doces e produtos industrializados
  • Insetos venenosos, como as cantáridas
  • Shampoo, condicionadores, sabonetes e detergentes
  • Plantas venenosas

Todos esses exemplos contêm químicos e enzimas tóxicas que o organismo do gato não consegue metabolizar, por isso são tão perigosos.

Identificando os sintomas

Infelizmente, os sintomas em caso de envenenamento são muito variados, já que depende da substância ingerida e do grau de intoxicação. Porém, existem alguns sinais comuns que podem ajudar os donos e identificar esse quadro. 

Vômitos e diarreias, às vezes com sangue; salivação excessiva; irritação gástrica; tosses e espirros; dificuldade para respirar; pupilas dilatadas; convulsões, tremores e espasmos musculares involuntários; presença de espuma na boca; vontade frequente de urinar e dificuldade de coordenação nas extremidades por problemas neurológicos são alguns dos sintomas mais comuns.

Além deles, o gato pode ficar depressivo, debilitado e perder a consciência em alguns momentos. Se o produto entrou em contato com a pele, a região também pode ficar irritada e vermelha. 

10 plantas venenosas para cães e gatos que são comuns em jardins e praças

Tenha cuidado com alguns produtos que tem em casa para o gato não ingerir sem querer
reprodução shutterstock
Tenha cuidado com alguns produtos que tem em casa para o gato não ingerir sem querer

Primeiros socorros

Se você perceber que seu gato foi envenenado, saiba de antemão que não se pode fazer grande coisa na maioria das vezes. A melhor saída é identificar os sintomas a tempo e recorrer ao veterinário o quanto antes. Além disso, é importante realizar os primeiros socorros em casa enquanto o médico está a caminho. 

O primeiro passo é estabilizar o animal e levá-lo para um local aberto, ventilado e iluminado, assim será mais fácil ficar de olho nele. Segure com bastante firmeza e cuidados seu corpo frágil durante a locomoção. Assim que o gato estiver num local seguro, ligue o mais rápido possível para o veterinário. Ele dirá como se deve proceder para salvar a vida do pet. 

Se for possível, tente identificar a fonte do envenenamento, pois será uma das primeiras perguntas do profissional. Sabendo o produto ingerido, dê o máximo de informações que souber, como nome, seu princípio ativo, a potência, a quantidade que possa ter sido ingerida e há quanto tempo já está dentro do organismo. 

É importante também conservar uma amostra do veneno, junto com a embalagem e rótulo —se tiver — para entregar ao profissional. Assim, ele terá o máximo de informações sobre o produto e saberá qual o melhor tratamento. 

Jamais induza o vômito sem a recomendação do médico. É comum pensarmos que expelir o produto fará o gato ficar melhorar, mas nem sempre isso é verdade. Se ele ingeriu substâncias corrosivas, como água sanitária e gasolina, o vômito não deve ser provocado, uma vez que podem causar queimaduras cáusticas e danificar o esófago, garganta e boca. 

10 itens caseiros que são fatais para um gatinho

A mesma recomendação vale sobre oferecer alimentos, líquidos ou remédios caseiros. Se ele ingerir qualquer coisa nesse momento poderá causar um efeito contrário ao esperado, piorando o estado do bichinho. Por isso, espere pelas indicações do veterinário. 

Entretanto, se o profissional mandou induzir o vômito, você precisará de uma solução de água oxigenada 3% — não pode ser mais concentrada do que isso — e uma seringa. A dose correta é 5 ml (1 colher de chá) para cada 2 kg de peso do gato. Repita o procedimento a cada dez minutos e no máximo três vezes até dar certo.

Depois que o pet vomitar, será preciso reduzir a absorção do veneno que passou pelo intestino. Então, compre comprimidos de carvão ativado em qualquer farmácia. A dose indicado é de um grama de pó para cada meio quilo do peso do animal. Dissolva o pó em um pouco de água e use uma seringa se ele tiver com dificuldades para engolir.

Em caso de envenenamento, ligue imediantamente para o veterinário e saiba como proceder nos primeiros socorros
reprodução shutterstock
Em caso de envenenamento, ligue imediantamente para o veterinário e saiba como proceder nos primeiros socorros


Lembre-se também se verificar a pele do bichano. Se a contaminação aconteceu por algum pó ou substância oleosa, pode ter aderido ao pelo. No caso de pó, sacuda a substância com uma escovação intensa ou utilize algum produto de limpeza de mão se for óleo. Se nada der certo, corte o pedaço do pelo. 

Caso o gato esteja desperto e o veterinário não deu recomendações contrárias, ofereça um pouco de água fresca. Muitos venenos afetam os rins e o fígado, por isso a água pode reduzir um pouco o impacto nesses órgãos. Se ele não conseguir beber sozinho, ofereça através de uma seringa. 

Tratamento

Assim que o médico chegar, ele irá analisar o estado do bichano e, dependendo da substância ingerida, indicará qual o melhor tratamento. É importante seguir todas as recomendações dadas para que o produto saia completamente do organismo. 

Intoxicação em gatos não ocorre apenas por meio de venenos

Continue levando o bichinho regularmente à clínica para saber se todo o veneno saiu do corpo e se não há riscos de sequelas ou algo do tipo. Depois que o gato estiver a salvo, fique atento para sempre manter os produtos tóxicos fora de alcance e evitar outro envenenamento

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.