Tamanho do texto

Estresse, dores e até traumas motivam a agressividade dos cachorros

Você já disse, ou escutou alguém dizer a seguinte frase: mas o cachorro é tão manso, não sei porquê isso aconteceu! Ela é muito utilizada, principalmente depois de algum ato agressivo ou violento por parte do animal. Mas, os cachorros que atacam nem sempre têm esse tipo de comportamento dentro de casa. 

+ Pai encontra a maneira mais criativa de enviar notícias à filha sobre seu cão

Para que você saiba identificar quais situações podem tornar o cachorro agressivo e, possivelmente, fazê-lo atacar , preparamos uma lista com algumas informações importantes, dicas e métodos de prevenção. A primeira delas - e mais importante - é entender o animal e saber identificar os sinais que ele dá. 


Veja quais situações pode fazer o seu cachorro atacar alguém
reprodução shutterstock
Veja quais situações pode fazer o seu cachorro atacar alguém


Quais eventos deixam os cães estressados?

  • Quando há muitas pessoas dentro de casa, como em festas, por exemplo;
  • Em períodos que o cão fica um bom tempo sob o cuidado de desconhecidos e/ou pessoas que não possui contato frequente;
  • Quando, por algum motivo, fica muito tempo sem passear ou caminhar;
  • Qualquer situação que os faça sentir medo pode causar estresse e gerar um comportamento agressivo;
  • Também ficam estressados quando se sentem ameaçados. Geralmente acontece quando estão “protegendo” algum território e a pessoa o invade. Por exemplo, quando está comendo, com algum brinquedo ou deitado na sua caminha.
Veja quais situações pode fazer o seu cachorro atacar alguém
reprodução shutterstock
Veja quais situações pode fazer o seu cachorro atacar alguém


Quais dicas podemos ter a partir do comportamento animal?

  • O comportamento do seu cão com outros animais também pode ser um sinal.  Se ele é um animal manso, mas começa a avançar em outros cachorros é preciso ficar atento. Afinal, esse estresse também pode refletir no comportamento dele com você;
  • Quem é que não fica irritado quando está com dor? Com os cãezinhos acontece a mesma coisa. As dores podem ser motivadoras de atos agressivos, mesmo quando o cachorro é manso;
  • Além disso, doenças variadas podem ocasionar mudança de humor e, possivelmente, desconforto ou dores. Estar atento ao comportamento do bichinho também é uma forma de prevenção;
  • Também existe a dor psicológica ocasionada por traumas. Por exemplo, se o cachorro já sofreu maus tratos, ele tende a avançar em pessoas que tenham características similares ao agressor. É sempre importante colocar-se no lugar do seu animal e tentar entender o que o motiva;
  • É muito comum os cães não possuírem contato ou convívio com crianças. Nesses casos, um alerta ascende em sua cabeça quando avista uma,  já que são seres desconhecidos para eles. Tudo o que é diferente e possui novos cheiros, deixam os cachorros receosos e, por vezes, tensos.

+ Fotógrafo registra a beleza de animais selvagens em florestas da Finlândia

Quais sinais antecedem o ataque canino?

  • Lamber os lábios;
  • Colocar o seu corpo em uma postura baixa;
  • Puxar as orelhas para trás;
  • Colocar o rabo entre as pernas.
Veja quais situações pode fazer o seu cachorro atacar alguém
reprodução shutterstock
Veja quais situações pode fazer o seu cachorro atacar alguém


O que posso fazer para prevenir que o meu cachorro ataque?

É preciso prestar atenção em sua ansiedade e também nos sinais que ele te dá. Como o cão se comporta na sua ausência? Ele tem contato frequente com crianças? Qual a origem dele? Ele veio da cidade ou da zona rural? Entenda o seu cão.

É extremamente importante que desde cedo o cachorrinho participe do cotidiano da casa e se familiarize com os sons, ambientes e pessoas que ali habitam e frequentam. Não só isso, mas também entrem em contato com outros ambientes, outros sons e se socialize com o mundo ao redor. Manter o cachorro preso gera mais estresse e, consequentemente, mais agressividade.

+ Cachorro salivando muito? Pode ser indício de problemas com a saúde

Mas e se o cachorro era agressivo antes mesmo de fazer parte da família?

Se o cachorro não está desde cedo sob sua tutela é importante pensar qual o tipo de trauma ele sofreu e quais situações foi submetido. Se necessário, contrate um adestrador para que o cão seja treinado e passe a se sentir mais feliz e parte daquele ritmo. Só assim ela não irá atacar e você poderá inseri-lo em seu cotidiano e rotina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.