Tamanho do texto

Tratar o cão como se fosse um humano é só uma delas

Ao adotar um pet, muitas pessoas o consideram seu melhor amigo e até um filho. Isso pode levar a tratá-lo como se fosse um ursinho de pelúcia, quando na verdade deve ser encarado como um animal que é igual a qualquer outro. 

+É possível cuidar de um cão mesmo sem muito dinheiro

Existem alguns fatos específicos que costumam irritar muito os pets e é sempre bom lembrar o tutor do que não fazer. Mais do que saber o que fazer, é importante ter dicas do que evitar. Afinal, o cão também tem sentimentos e, apesar de não falar, pode não aprovar as atitudes do humano.

Confira algumas dessas atitudes rejeitadas pelos pets.

1. Menos palavras, mais gestos

via GIPHY


Cachorros tem certa dificuldade em entender as falas dos humanos. O que conseguem compreender um pouco mais é a linguagem corporal, principalmente os gestos que fazemos.

Na hora de dar bronca, por exemplo, isso pode fazer muito efeito do que ficar conversando com o animal, como se ele fosse entender tudo. Movimentos com a mão podem ajudar bem mais do que ficar emitindo vários sons e reclamações que só deixam o pet mais confuso.

2. Fazer carinho no rosto

Receber carícias no rosto é outro fato que desagrada bastante os pets, principalmente de estranhos. De certa forma, é como se estivessem invadindo a privacidade do animal, assim como funciona com a gente. Demonstram essa reprovação inclinando a cabeça para trás e afastando-se da pessoa. Tapinhas leves eles também odeiam - e isso é realmente irritante e de mau gosto.

+Quer ter um pet? Saiba as vantagens de adotar um cachorro adulto

3. A pressa é inimiga da perfeição

É normal as pessoas estarem apressadas e por isso costumam passear de forma rápida só para dizer que levaram o pet para caminhar. Essa pressa pode atrapalhar e irritar o cãozinho, já que ele acaba explorando pouco o ambiente, os cheiros e a paisagem diferente do trivial.

A experiência de perceber elementos diferentes e estimular os sentidos é muito saudável e fundamental para o pet. O ideal é deixar o passeio acontecer no tempo do bichinho e permitir que ele aproveite ao máximo, sem puxá-lo o tempo todo. Até porque isso pode intimidá-lo na hora de fazer suas necessidades. 

4. Manter a guia curta demais

Esse item ainda está vinculado à questão do passeio. Ao deixar a guia da coleira curta demais, os cães têm a ideia de que o tutor está tenso ou nervoso, passando uma sensação de insegurança. Às vezes as pessoas têm esse hábito porque os cães puxam muito a guia na hora do passeio, mas isso os deixam agoniados e desconfortáveis. E o passeio tem que ser prazeroso e divertido!

5. Tratá-lo como criança

via GIPHY


Muitos tutores tratam os animais de estimação como bebês e apesar de eles serem fofinhos, detestam quando são apertados ou esmagados. A tendência é que as pessoas queiram mimar o bichinho e enchê-lo de sapatinhos, roupinhas e até carrinhos de bebê, mas não são elementos com os quais eles simpatizam muito. Cachorros precisam ser bem tratados, mas não devem receber o mesmo tratamento que as crianças.

+As atividades para distrair os pets enquanto eles estiverem sozinhos

6. Abraços grátis

via GIPHY


Nesse ponto, há uma diferença entre o que os pets sentem ao ser abraçado e como nos sentimos. Eles não gostam de serem apertados e o abraço é um sinal de ameaça. É como se estivessem presos e dominados à força, então é melhor evitar.

Alguns cães até toleram ser abraçados, enquanto outros ficam bastante agressivos. Alguns sinais demonstram desconforto, como afastar a cabeça. 

7. Não dar atenção

8 fatos que todo tutor faz e que os pets odeiam
Reprodução/ Redes Sociais
8 fatos que todo tutor faz e que os pets odeiam


Nessa época de tecnologia, celulares e internet, as pessoas se isolam cada vez mais e a correria pode deixá-la mais afastadas dos cães. Todos temos rotinas corridas e nem sempre é possível se entregar totalmente ao pet, mas é importante separar um momento do dia só para isso. Nem que seja para brincar por um tempinho curto ou apenas acariciar o animal.

Não há nada mais triste do que ver um pet abandonado no canto da casa enquando o tutor mexe no celular ou assiste TV, sem dar importância ao bichinho.

8. Estar sempre estressado

via GIPHY




O comportamento e a personalidade do tutor influenciam diretamente na vida do pet. Pessoas instáveis e estressadas podem deixar o cão agitado e inseguro. Eles são muito sensíveis aos nossos sentimentos e podem ficar agressivos e com medo. Quanto mais nervoso é o tutor, mais será seu cachorro. O mais indicado a fazer é manter a calma em situações ruins e procurar não transmitir isso aos animais de estimação.

+"Não sei em qual veterinário levar meu pet": saiba como escolher um adequado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.