O tédio dos animais pode resultar em objetos da casa destruídos e problemas de saúde como emagrecimento e depressão

Os pets costumam passar longos períodos sozinhos em casa quando os seus tutores saem para trabalhar. Com isso, a ansiedade de separação  se torna comum em animais de estimação que exibem uma grande ligação com os seus tutores e ficam horas entediados. Dessa forma, é preciso encontrar atividades para distrair o animal durante esses períodos de solidão. 

Alguns cães passam todo o tempo que estão sozinhos executando comportamentos compulsivos , como destruir as paredes e móveis da casa, latir excessivamente, correr atrás do próprio rabo ou causar feridas a si mesmos por lambedura, tudo com o intuito de se distrair

O animal que fica muito tempo sozinho precisa de estímulos para se distrair
Reprodução
O animal que fica muito tempo sozinho precisa de estímulos para se distrair

Nos gatos, os transtornos mais comuns são: perda de pelos, ingestão excessiva de pelos ou de substâncias não alimentares, como, por exemplo, plástico. Estes comportamentos podem causar efeitos colaterais, como emagrecimento, estresse e até mesmo depressão. Eles são caracterizados por comportamentos repetitivos, por isso, é sempre importante observar como o animalzinho vem se comportando, até mesmo durante o sono.

Algumas atitudes involuntárias e repetidas podem se tornar frequentes. É o que chamamos de “tic”. O primeiro passo a ser tomado caso o animal já apresente esse comportamento é levá-lo ao veterinário e constatar se há uma causa clínica.

Como ajudar

A melhor maneira de evitar ou auxiliar no tratamento desses transtornos é levar o pet para passear todos os dias. Não tendo esse tempo disponível, é importante procurar um passeador. Alguns gatos gostam de passear com guia ou em bolsas.

Pedir comandos para os cães também estimula sua mente e pode cansá-los antes de deixá-los sozinhos. Jogar bolinha ou brincar de cabo de guerra também. Com os gatos, é possível brincar com ratinhos de pano ou fitas e penas, por exemplo.

Na ausência de companhia, os pets também precisam de atividades para se entreter. Existem vários brinquedos interativos vendidos em pet shops para fazer o enriquecimento do ambiente.

via GIPHY

Os mais comuns para cães são: uma bola onde se coloca ração e o pet precisa rolá-la para que o grão caia, ou aqueles em que é possível colocar frutas amassadas da preferência do animal e congelá-las para que ele gaste energia tentando comer, pendurar cabos de guerra nas portas, deixar petiscos planos dentro de papelões amarrados com barbante e escondidos pela casa, entre outros.

Para gatos, fitas e brinquedos com penas penduradas em uma maçaneta, de forma que balancem. Bolinhas tipo pingue-pongue com pena, caixas de papelão empilhadas cheias de passagens umas para outras ou prateleiras, são ótimas formas de entretenimento.

É essencial que os pets sejam apresentados aos novos objetos e ensinados a brincar com eles na presença do tutor, para que mantenham o interesse sozinhos.

Antes de distribuir os brinquedos, uma boa dica é deixá-los juntos às roupas não lavadas. Com isso, os objetos se tornarão muito mais atrativos por ficarem com o cheiro dos donos que tanto amam. Cada animal terá sua preferência por determinado brinquedo ou atividade, é importante tentar estimulá-los e insistir algumas vezes. Dessa forma ele terá uma opção para se distrair e as chances de desenvolvimento de algum problema são bem menores. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.