Tamanho do texto

A fêmea costuma cuidar bem dos seus filhotes, mas é importante receber o auxílios dos donos

Os coelhos são conhecidos por terem muitos filhos de uma vez só. Em média, as fêmeas realizam 3 a 5 partos por ano e podem gerar cerca de 8 filhotes por gestação. É bastante para um animal tão pequeno. E, caso você tenha uma macho e uma fêmea em casa, é bem possível que eles acasalem e tenham lindos filhotes de coelho.

Coelho: principais características e cuidados

Bebês em casa significa que precisarão de bastante atenção e cuidados. Os filhotes de coelho , como de qualquer outra espécie, são frágeis, delicados e deverão contar com a dedicação por parte dos donos. Por isso, caso você não tenha tempo para cuidar de bebês, não permita que o macho e a fêmea acasalem.

Os filhotes de coelho precisam de total dedicação do dono
Reprodução Pinterest
Os filhotes de coelho precisam de total dedicação do dono

Mas, se no seu caso a fêmea já engravidou, prepare-se para receber filhotinhos. Cuidar deles pode parecer divertido, mas é um verdadeiro desafio. Isso porque todos os cuidados que serão dados no estágio inicial da vida pode garantir a sobrevivência e desenvolvimento saudável do animal. Pensando nisso, saiba como cuidar desses lindos bebês e garantir que tenham um bom crescimento. 

Cuidando da fêmea grávida

Os cuidados precisam começar logo quando souber da gravidez para os filhotes nascerem saudáveis e fortes. Ofereça uma alimentação balanceada e de alta qualidade, assim como água fresca e limpa diariamente. É importante consultar o veterinário, de forma que ele crie uma dieta própria para a fêmea e ainda dê algumas dicas de alimentos complementarem. Além disso, o profissional pode analisar o estado da gravidez e te ajudar caso seja dono de primeira viagem. 

Conheça as principais doenças que atingem o coelho

Prefira separar o macho da fêmea quando ela estiver próximo do parto. Não é comum ele machucar os filhotes, mas existe o risco dele engravidar novamente a parceira logo após o nascimento. Isso pode prejudicar a amamentação dos bebês e ser ruim para o proprietário, que não está preparado para outra ninhada. No entanto, deixe as gaiolas próximas, pois os coelhos tem laços bem fortes e é importante não separá-los totalmente. 

via GIPHY


Ninho

Os filhotes nascem sem pelo e precisam de calor constantemente nos primeiros momentos de vida. Por este motivo é importante ter um ninho para que fiquem juntos e aquecidos. Veja se lojas especializadas oferecem ninhos prontos ou improvise com caixas. É preciso que o recipiente seja maior do que a mãe e ter uma pequena borda para evitar que o bebês fujam. 

Forre o fundo com uma toalha ou tecido limpo e, por cima, coloque um punhado de grama, palha ou feno. Ponha o ninho num local silencioso e escuro da gaiola, para evitar que os pequenos fiquem estressados e incomodados com barulhos. Além disso, opte por colocar o ninho do lado oposto à caixa de areia da mãe para evitar complicações de saúde.

Lidando com os filhotes

Por sorte, as fêmeas são ótimas mães e não costumam negligenciar seus filhotes. Não se preocupe com o parto, pois elas não precisam de ajuda. Após o nascimento dos bebês, veja se todos estão visualmente bens e se há algum natimorto. Se tiver, retire-o da gaiola. Confira se alguns deles está fora do ninho e coloque-o imediatamente para se manter aquecido. Limpe também os resquícios da placenta. 

A fêmea naturalmente amamentará seus filhotes, mas não fique preocupado se não vê-la fazendo isso, pois só acontece uma ou duas vezes ao dia. Diferente dos humanos, os coelhinhos não se alimentam tantas vezes. Em vez de tentar observar a mãe alimentando, sua atenção deve se voltar para os bebês e ver se estão amamentados. Provavelmente estarão quentes e com a barriga cheia, assim como silenciosos e calmos. 

O que você precisa saber antes de adotar um coelho?

via GIPHY

É importante manter o ninho sempre limpo, pois os filhotes ficarão lá por um tempo e farão todas as necessidade lá. Para evitar proliferação de bactérias, a limpeza deve ser realizada diariamente. 

O manuseio dos filhotes só deve ocorrer após oito semanas. Antes do desmame, eles ainda estão suscetíveis a doenças e bactérias. Lave bem as mãos sempre que precisar mexes nos bebês antes deste período acabar. 

Conforme as semanas vão passando, comece a adaptar a dieta dos filhotes. Com duas semanas de idade, eles podem começar a mordiscar a ração. Porém, não devem parar de mamar antes de completar as oito semanas. É importante que eles recebam os dois alimentos, de forma que vá diminuindo lentamente o consumo de leite e aumentando a ingestão de ração. Jamais promova o desmame precoce, pois o sistema imunológico dos filhotes ficará fraco demais. Caso tenha dúvidas de quais alimentos oferecer aos bebês, consulte um veterinário para te instruir adequadamente. 

Cuidados com a fêmea

Continue oferecendo uma alimentação reforçada e balanceada para a fêmea enquanto estiver amamentando. O acesso à água e comida deve à vontade, pois ela precisa produzir uma quantidade suficiente de leite para seus filhotes. Fique atento ao comedouro e bebedouro para nunca estarem vazios, já que é possível que acabem mais rápido do que o habitual. 

O que fazer se a fêmea não cuida dos filhotes

via GIPHY

Não é comum, mas pode acontecer. Nessas situações consulte rapidamente um profissional para ele identificar o motivo do negligenciamento da fêmea. Caso ela tenha gerado uma ninhada muito grande, pode ocorrer o abandono dos bebês, pois é um número muito grande para amamentar.

Vá ao veterinário, relate sua situação e ele passará instruções para alimentá-los com mamadeira. Será também passado qual leite oferecer e como proceder com a fêmea. Contudo, o descaso da mãe pode contribuir para o falecimento dos bebês, pois esta forma artificial de amamentar costuma não obter sucesso.

Vacinas para coelhos: quando dar e quais são as mais importantes

Saúde

Por fim, leve os filhotes de coelho ao veterinário para receberem as vacinas. Se informe com o profissional qual a melhor época para serem vacinados e quais são elas. 

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.