O uso da coleira eletrônica nos pets ainda é bastante controverso. Isso porque muita gente ainda acredita que o adestramento com o acessório é muito agressivo, chegando a ser até torturante para o bichinho. Porém, de acordo com o adestrador André Almeida, do Adestramento Comportamental, o método é eficiente e seguro, desde que feito de maneira correta.

De acordo com o especialista, o preconceito com o adestramento usando a coleira eletrônica é devido a maus profissionais, sem experiência o suficiente nem conhecimento da ferramenta, que utilizaram de maneira incorreta o acessório no animal.

"O colar não é utilizado para ensinar o cão, senão vira algo punitivo e o cachorro não aprende dessa forma. A informação errada passada por esses maus profissionais foi o que trouxe muitos problemas", explica.

Cãozinho usando coleira eletrônica
Reprodução/Amazon
A coleira eletrônica é segura e eficaz para o pet, mas precisa ser usada corretamente

André conta que a coleira eletrônica era usada geralmente por pessoas que queriam uma mudança imediata no comportamento do cão. Utilizavam o acessório para causar o desconforto no animal. "Automaticamente o cachorro chorava, fugia, gritava e isso traumatizava ele. Não é a forma correta de lidar com a ferramenta", alerta.

Outra coisa são as formas de intensidade de choque da coleira eletrônica que também podem ser usadas de maneira incorreta. Os animais são mais sensíveis que os seres humanos e começam a sentir o equipamento em níves menores de intensidade. Geralmente ela deve ser menor do que o nível 4 ou será muito desconfortante para o pet. Os humanos podem aguentar até 20 níveis de intensidade, portanto testes nesses indivíduos não devem ser levados em conta.

Em alguns casos, em que a punição ao comportamento do cão é a única saída. Nesses casos é essencial que seja feito um reforço positivo após o choque. "Atendi uma casa em que os cães brigavam muito, toda semana eles estavam todos machucados. Entramos com a punição e quando eles paravam de brigar, reforçávamos aquele comportamento de forma positiva, com atividades prazerosas, como passeios, brinquedos, petiscos, etc", conta.

O adestrador ainda explica que todas as raças podem fazer o adestramento com a coleira eletrônica. O que muda será a sensibilidade de cada pet. É necessário ser feita uma associação do equipamento no cão antes de começar a utilizar para ele não associar que é o acessório que faz isso. Várias opções devem ser testadas no bichinho antes de chegar nessa ferramenta. 

O adestrador ainda fala um pouco mais sobre como a coleira eletrônica funciona no pet e algumas outras informações técnicas do equipamento no vídeo abaixo. Confira.




    Veja Também

      Mostrar mais