Iguana verde
Reprodução
Iguana verde

Uma nova lei estadual que proibe a venda e compra de 16 repteis não nativos entrará em vigou nesta quinta-feira (6), no estado da Flórida, Estados Unidos. Entre os répteis estão as iguanas verdes e tegus, dois repteis comuns das Américas Central e do Sul. As novas regras vão impactar lojas e donos desses animais de estimação, segundo informações da NBC Miami.

Aqueles que possuem iguanas verdes e tegus terão que registrar os animais, obter uma licença e ter seus repteis de estimação microchipados. A medida visa cumprir o regulamento aprovado em fevereiro para proteger espécies nativas contra espécies invasoras, que entrou em vigor nesse último fim de semana.

A Comissão de Pesca e Vida Selvagem da Flórida (FWC) estabeleceu um prazo para que sejam implementados os microchips, em todo o estado.
A partir de quinta-feira (6), desses animais terão até 28 de julho para obter as licenças necessárias, adequar as gaiolas internas e marcar os animais, e até 26 de outubro para melhorar os compartimentos das gaiolas externas.

Até o momento, o FWC programou eventos que acontecerão das 10h às 16h, para a inserção dos microchips, em diferentes locais do estado.

O lagarto Tegu está entre as 16 espécies que precisarão ser identificadas com microchips
Pixabay
O lagarto Tegu está entre as 16 espécies que precisarão ser identificadas com microchips

Para as lojas e negociantes de animais vivos, serão proibidas as vendas de espécies não nativas na Flórida, a partir do dia 28 de julho, exceto iguanas verdes e tegus, que exigirão uma licença de uso comercial com exceção limitada.

Segundo a comissão de vida selvagem, existem mais de 500 espécies não nativas na Flórida. A maioria foi introduzida pelo comércio de animais vivos e, em seguida, foram soltas ou escaparam para a natureza, onde se reproduziram.

Os animais sob as novas restrições incluem espécies de pítons, iguanas verdes, lagartos tegu, entre outros. A medida visa conter especies não nativas que interferem na fauna local, competindo por alimentos, trazendo novas doenças ao habitat.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários