Cão-Guia
Divulgação/Freepik
Cão-Guia

O cão-guia é o animal de estimação treinado para ajudar pessoas portadoras de deficiência visual em suas tarefas do dia a dia, que auxilia seus tutores tanto em passeios, como nas realizações de atividades de uma forma segura. Por isso, neste dia internacional do cão guia, comemorado em 28 de abril, fazemos um lembrete sobre essa realidade tão importante de inclusão social.

A data é resultado de um trabalho que vem sendo realizado desde a antiguidade, e que gera um forte impacto na qualidade de vida das pessoas que precisam de apoio devido à deficiência visual.

Segundo o Censo do IBGE (2010), 3,4% da população é portadora de necessidades visuais. E, somente no Estado de São Paulo, dentre o total de pessoas com deficiência (3 milhões), a maioria possui algum tipo de deficiência visual (40%).

“Queremos aproveitar esta ocasião para conscientizar a todos do grande papel que o cão-guia desempenha na vida de muitas pessoas. Um animal que possui uma ligação de carinho muito forte com os humanos e se torna verdadeiramente um grande amigo, protetor e companheiro. Vários desafios são enfrentados por quem possui deficiência visual, e o cão-guia acaba por transformar e salvar muitas vidas”, explica Thaís Matos, médica veterinária e especialista da área de Confiança & Segurança da DogHero.

Conheça algumas curiosidades sobre esses cãezinhos trabalhadores!

Qualquer raça pode ser um cão-guia?

Cão-Guia
Divulgação/Freepik
Cão-Guia

Depende! Os cachorros precisam ser alertas, inteligentes, fortes e focados. Por isso, nem todas as raças se enquadram nesse trabalho. No geral, Labrador, Golden Retriever e Pastor Alemão são os mais usados. Em alguns casos, o Border Collie pode ser treinado.

Você viu?

É possível brincar normalmente com um cão guia?

Não! Embora sejam animais muito dóceis e sociáveis, se você encontrar um cão-guia na rua, não o distraia. O animal precisa estar focado no trabalho e não deve receber carinhos nem petiscos para não perder a atenção.  Caso ele esteja parado com o tutor e você queira interagir com ele, pergunte para a pessoa se aquele é um bom momento para isso. No entanto, o ideal é que quando o animal estiver com a guia de treinamento para cães (peitoral com alça de trabalho), ele não seja distraído por estranhos.

O cão-guia pode entrar em qualquer ambiente?

Sim! Segundo a Lei n° 11.126 (2005) a pessoa com deficiência visual tem direito a entrar com o cão guia em qualquer lugar. Desta maneira, seja o estabelecimento público ou privado, o cão guia tem passe livre.

O cão-guia se aposenta?

Sim! O trabalho é intenso e requer muita dedicação do pet. Por isso, ele também tem direito a aposentadoria. No geral, um cão guia se aposenta depois de 7 ou 8 anos de trabalho.

O cão-guia faz parte de um grupo de cães de assistência

Divididos nas seguintes atuações: Cães de serviço, que atuam ajudando autistas, diabéticos (há diferença no cheiro da glicemia), dando alerta e auxiliando na mobilidade; Cães ouvintes, que são capazes de reconhecer e alertar o tutor sobre sons importantes como telefone, campainhas, ou bebê chorando, por exemplo, e o Cão-guia, que auxilia pessoas com deficiência visual, dando mais mobilidade, segurança e independência.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários