Biscuit
The Dodo/Reprodução
Biscuit

Encontrada dentro de um motor de carro, Biscuit, como foi chamada a gatinha, foi adotada por Emilie. Muito assustada, ela passou dois dias embaixo da cama de sua nova tutora.

Somente após dois dias ela pareceu adquirir confiança e pensou, “Talvez essa mulher não seja assim tão louca!”, brincou Emilie ao The Dodo. De início a gatinha apenas encostava a cabeça na mão de Emilie, até que finalmente pulou para seu colo, se tornou uma seguidora incansável.

“Acho que nós precisávamos uma da outra. Eu vivo sozinha já há dois meses e estou a um oceano de distância da minha família”, conta Emilie.

Aos poucos ela foi melhorando de seu olho, que já se mexia normalmente, mas ainda havia algo errado com Biscuit. Emilie notou que a respiração de sua gata estava ofegante, e parecia estar sempre cansada. Foi descoberto que Biscuit tinha uma hérnia diafragmática, que lhe diminuía a capacidade de respirar.

Biscuit e Emilie
Reprodução/Instagram
Biscuit e Emilie

Emilie soube que a única chance de salva-la seria com uma cirurgia, mas que o melhor atendimento da região ficava em Belgrado (Sérvia). Após seis horas de viagem, o veterinário disse haver apenas 50% de chance de sobreviver.

Você viu?

“Ela sentiu que eu estava lá e que estávamos juntas nessa, então ela parou de entrar em pânico”, contou a tutora. “Acho que não dormi naquela noite. Acho que foi [uma das] coisas mais terríveis do mundo”.

Após o que parecia um interminável espera: "A veterinária veio até mim e disse: ‘Ela conseguiu! Não sabemos como, mas ela sobreviveu!", contou emocionada.

A gatinha já havia passado por muita coisa para parar por ali, se agarrando a vida ao máximo. Emilie voltou para casa, no Canadá, e levou sua gata consigo, certa de que seu coração já pertencia a gatinha e que elas seriam inseparáveis a partir dali!



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários