Santuário abriga mais de mil gatos resgatados de zona de guerra
Reuters/Khalil Ashawi
Santuário abriga mais de mil gatos resgatados de zona de guerra

Alaa al-Jaleel foi forçado a fechar seu santuário de gatos na Síria, por questões de conflito em 2015, sendo obrigado a fugir para o norte, rumo à cidade de idlib, levando cerca de 100 animais.

Já no novo endereço, ele reabriu seu abrigo, hoje chamado de “Santuário Ernesto” e abriga mais de mil felinos, todos resgatados da guerra. A hora de alimentar todos esses animais é sempre caótica, mas também muito animada, com os miados dos bichanos.

Em um espaço de cerca de 2 mil metros quadrados, os animais recebem cuidados médicos, alimentação e abrigo
Reuters/Khalil Ashawi
Em um espaço de cerca de 2 mil metros quadrados, os animais recebem cuidados médicos, alimentação e abrigo

“A maioria dos gatos tem ferimentos por causa da guerra e também porque seus antigos cuidadores tiveram de deixá-los para trás na hora de fugir do conflito e deixar suas casas. Nós, então, oferecemos a esses animais resgatados abrigo, cuidados médicos e comida", contou Mohamad Wattar, atual gerente do local, à Reuters.

O nome do santuário é uma homenagem ao gato favorito de mulheres italianas que ajudaram a continuar o trabalho no abrigo, enquanto estavam se realojando. O novo local é maior, cercado e mantido por forças de resistência na Síria.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários