Para Sthefany brito seus cãezinhos são parte fundamental da família
Reprodução/Instagram
Para Sthefany brito seus cãezinhos são parte fundamental da família


O amor que Sthefany Brito sente por seus filhos de quatro patas é conhecido por seus fãs e seguidores das redes sociais. A atriz sempre faz questão de dizer o quanto seus cachorros são importantes para ela e fazem parte de sua família. A relação entre ela, London e Montalcino se reflete também em seus seguidores e ela se diz muito feliz em ver o carinho que as pessoas dedicam aos dois.

“Até fã-clube eles têm! [risos] Eles fazem parte da minha vida, do meu dia a dia e naturalmente dos meus stories... então as pessoas se apegaram e se sentem próximas a eles! Desenvolveram um carinho por eles, e eu fico muito, muito feliz mesmo!” conta a atriz ao Canal do Pet.

Ainda durante a sua gravidez do pequeno Enrico, algumas pessoas diziam nas redes sociais que ela deveria doar os dois animais e que poderiam fazer mal ao bebê, algo que ela rebateu dizendo que jamais abriria mão dos pets e recebeu muitos elogios pela atitude.

Sthefany conta que acha surreal ser elogiada por algo tão absurdo e que, para ela, os cachorros são como filhos. A atriz analisa que quando chega um irmãozinho mais novo em uma casa, não se doa o irmão mais velho.  “É exatamente assim que penso e sinto aqui em casa”, explica.

A atriz também conta sobre a reação dos dois irmãos mais velhos com a chegada do caçula humano.

“Os cachorros sentiram ciúme com a chegada do Enrico . Eles tinham minha atenção exclusiva e agora não têm mais! Mas com muito amor e muito carinho e paciência estamos nos adaptando cada vez mais”, detalha.

Ela destaca também a importância de seu marido, Igor Raschkovsky, que foi fundamental para equilibrar a atenção com os cãezinhos.

A relação entre o irmão humano com os irmãos mais velhos não poderia ser melhor. O ciúme realmente existe, principalmente pela parte do London, que às vezes deita no pé de Sthefany quando ela amamenta o bebê. "É como se me esperasse! Sempre que dá, eu fico um tempinho só com ele também”, lembra a atriz. “O Tino já é mais doidinho, então fica latindo para mim às vezes, me chamando”, completa.

O ciúme do cãozinho não é só pela atenção da mãe humana: quando qualquer outra pessoa pessoa seu irmãozinho no colo, ele já está ali juntinho para ficar de olho. "É muito fofo! Ele late se tem alguém diferente com o Enrico no colo. Já está protegendo o irmão”, se anima.

Quanto ao Enrico, Sthefany diz que o amor é reciproco e o menino acompanha os cãezinhos com o olhar e os chama quando eles passam, também participa das brincadeiras.

“Acho tão lindo de ver a relação deles sendo construída aos pouquinhos... quando meu marido brinca de bolinha com os cachorros, fica com o Enrico no colo e ele fica prestando muita atenção ‘brincando’ junto”, conta a atriz.

Você viu?

Diariamente, pela manhã, todos vão juntos para o passeio e os três estão sempre juntos nas atividades. Os cães têm acesso livre ao quarto do bebê e são bem calmos.

“London dá uma ignorada nele ainda porque sente ciúme. É nítido! Já o Montalcino (Tino) se deixar quer lamber o Enrico o dia inteiro.”

A mãe dos pets conta que se o irmão humano precisa, a dupla canina está por perto, preocupada, e garante que eles serão muito amigos.

“Se o Enrico chora um pouquinho mais, pode ter certeza que os dois estarão lá pertinho preocupados. Serão muito amigos tenho certeza disso. Acho tão importante para o Enrico essa relação desde tão pequeno. Vai aprender a respeitar e defender os animais desde sempre”, acredita.

Isolamento

A atriz também fala sobre a importância dos dois cãezinhos durante esse tempo de pandemia, em que a família precisa estar em casa por tanto tempo e com a chegada do bebê.

“Eles são um respiro muitas vezes no caos! E, às vezes, eles são o próprio caos”, brinca, “Tentamos não mudar nada da rotina deles. Passeio principalmente, onde dá para gastar energia”.

A atriz conta que a sua relação com o buldogue francês foi destino. Antes de London e Tino, Sthefany foi mãe de Snow, seu primeiro contato com a raça. Infelizmente o  cãozinho faleceu em 2018, o que foi muito triste para a família. Mais uma vez o destino agiu e colocou London no caminho de Sthefany. “Quando vimos ele, o coração quase saiu pela boca. Era pra ser”, conta. E depois veio o Tino, para fazer companhia ao London e completar a família.



A atriz conta que não consegue imaginar sua casa sem seus filhos de quatro patas. “Eles fazem bagunça sim, às vezes é um caos, mas são a alegria da nossa casa junto com o Enrico. Tenho certeza que eles serão (e já estão sendo) fundamentais para o desenvolvimento do Enrico. Quando começar a engatinhar, você acha que ele vai atrás de quem? Dos cachorros, com certeza” afirma.

Ela destaca que o respeito desde cedo é fundamental, e novamente fala sobre a companhia dos cãezinhos durante sua gestação: “Passei a gravidez toda muito bem ‘protegida’ pelos meus guarda-costas e assim serão com o irmão também. Nossa casa é cheia de amor, com nossos filhos”.

Com todo esse amor que vemos por parte da atriz com seus filhos de quatro patas e que eles retribuem em forma de cuidado e dedicação, talvez chamar de “pet” seja até uma palavra injusta a se usar, quando vemos que são filhos que nasceram em outra espécie.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários